ÁFRICA E MODERNIDADE EM GEORGES BALANDIER

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2238-6009.2023v1n61ID29782

Resumo

As pesquisas realizadas por Georges Balandier no continente africano transformaram a tradição dos estudos africanistas na França. Contrastando tanto com a visão etnológica das origens construída por seus antecessores quanto com o modelo estruturalista de pensamento então vigente, a abordagem situacional e dinâmica da antropologia e da sociologia proposta por ele a partir de meados do século XX colocou em primeiro plano as relações de poder e as transformações sociais e políticas ligadas à colonialidade. Neste sentido, Balandier antecipou debates sobre as desordens da modernidade já a partir de suas primeiras experiências de campo em cidades africanas, destacando-se, ainda, pela natureza literária e reflexiva ou autobiográfica do conjunto de seus escritos. Assim, na trajetória intelectual que o conduziu de africanista e terceiro mundista a pensador das sociedades hipermodernas, figura a preocupação com as questões históricas e políticas do seu tempo.

Palavras-chave: Africanismo Francês; Georges Balandier; Situação Colonial; Modernidade.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

15-12-2023

Como Citar

MOTTA, A.; OLIVEIRA, L. A. de. ÁFRICA E MODERNIDADE EM GEORGES BALANDIER. Vivência: Revista de Antropologia, [S. l.], v. 1, n. 61, 2023. DOI: 10.21680/2238-6009.2023v1n61ID29782. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/vivencia/article/view/29782. Acesso em: 21 maio. 2024.

Edição

Seção

Fluxo Contínuo/Continuous Flow