NAS RESISTÊNCIAS: AÇÃO POLÍTICA, JOVENS E MULHERES NO MST E EM ASSENTAMENTOS RURAIS

Autores

  • Elisete Schwade Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Irene Alves de Paiva

Palavras-chave:

assentamentos rurais. jovens. mulheres.

Resumo

Nesse artigo procura-se refletir sobre os sentidos da inserção de jovens e mulheres na luta política promovida pelo MST, tendo em vista a referência aos assentamentos como espaço propício pata tal envolvimento. O objetivo é descrever dinâmicas relacionadas  à construção do engajamento de jovens e mulheres como sujeitos de direitos, a partir do investimento na educação e escolarização e da referência aos assentamentos como locais de resistência. Por meio da etnografia no 6º Congresso e do diálogo das questões postas com pesquisas realizadas em assentamentos rurais no sul e nordeste do Brasil, aponta-se para o protagonismo de jovens e mulheres como possibilidade de incrementar e fomentar demandas políticas que beneficiam ao conjunto dos envolvidos nas ações políticas promovidas pelo MST. No entanto, percebem-se também desafios na concretização desse projeto, sobretudo em referência ao local, os quais se evidenciam em trajetórias particulares de jovens e mulheres que residem em assentamentos. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elisete Schwade, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

DAN UFRN, Doutora em Antropologia – USP

Irene Alves de Paiva

DCS UFRN, Doutora em Educação – USP

Downloads

Publicado

12-03-2015

Como Citar

SCHWADE, E.; DE PAIVA, I. A. NAS RESISTÊNCIAS: AÇÃO POLÍTICA, JOVENS E MULHERES NO MST E EM ASSENTAMENTOS RURAIS. Vivência: Revista de Antropologia, [S. l.], v. 1, n. 43, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/vivencia/article/view/6805. Acesso em: 8 ago. 2022.

Edição

Seção

Dossiê/Dossier