O estado do conhecimento sobre a reforma do poder judiciário no Brasil: uma análise histórica

Palavras-chave: História; Produção científica; Reforma judiciária.

Resumo

Este artigo busca investigar a produção histórica e bibliográfica, presentes na plataforma da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) sobre a temática “Reforma do Poder Judiciário”, analisando o que se tem produzido nessa vertente e o que está disponível para acesso. Procura-se analisar a utilização da temática como fonte de pesquisa, o que nos permite afirmar que o conhecimento produzido também é sobre ela e está presente nos discursos dos trabalhos acadêmicos verificados. Trata-se de uma pesquisa de base metodológica quali-quantitativa, ancorada em quinze estudos e que possui aporte teórico em Chalhoub (1986), Wallerstein (1995) e Costa (2014). Diante disso, foi observado que os artigos, as dissertações e as teses que debatem sobre a Reforma do Poder Judiciário enfocam temas diversos, relacionados principalmente com a História Institucional, História do Poder Judiciário e História Constitucional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Heriberto Silva Nunes Bezerra, Serviço Social da Indústria - Escola Natal

Mestre em Educação pelo PPGEP/IFRN, especialista em ensino de Língua Portuguesa e Matemática numa perspectiva transdisciplinar, professor de Matemática do Sesi Escola.

Hélio Teodósio de Melo Filho, Instituto Federal do Rio Grande do Norte

Mestre em educação pelo PPGEP/IFRN, licenciado em história pela UFRN, graduando em direito pela UERN.

Referências

ARAÚJO, André Luís de Toledo. O Conselho Nacional de Justiça como instrumento de minimização da morosidade processual. Marília (SP): Dissertação (Mestrado) - Curso de Direito, Centro Universitário Eurípides de Marília, Fundação de Ensino Eurípides Soares da Rocha, 2009. Disponível em: <https://www.univem.edu.br/servico/aplicativos/mestrado_dir/dissertacoes/O_CONSELHO_NACIONAL_DE_JUSTI%C3%87A_COMO_INSTRUMENTO_DE_MINIMIZ_1138_pt.pdf>. Acesso em: 23 mar. 2019.

BARBOSA, Henrianne. Transparência Pública e Parlamento Eletrônico: A reforma do Poder Judiciário no portal do Senado Federal 2000-2004. São Paulo (SP): Tese (Doutorado) - Curso de Comunicação Social, Programa de Pós-graduação em Comunicação Social, Universidade Metodista de São Paulo, 2009. Disponível em: <http://tede.metodista.br/jspui/handle/tede/1620>. Acesso em: 23 mar. 2019.

CHALHOUB, Sidney. Trabalho, lar e botequim. São Paulo (SP): Brasiliense, 1986.

COSTA, Elton Fogaça da. Campo científico e campo da administração da Justiça: uma análise da (in)visibilidade da Secretaria de Reforma do poder judiciário nos trabalhos de conclusão de pós-graduação stricto sensu (2005 – 2014). Florianópolis (SC): Tese (Doutorado) - Curso de Direito, Programa de Pós-graduação em Direito, Universidade Federal de Santa Catarina, 2017. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/179891>. Acesso em: 23 mar. 209.

GAMBA, Marcelo Schmitt. A análise econômica do Direito e a crise do Poder Judiciário: uma leitura crítica a partir de Richard A. Posner. Florianópolis (SC): Dissertação (Mestrado) - Curso de Direito, Pós-graduação em Direito, Universidade Federal de Santa Catarina, 2012. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/96331>. Acesso em: 23 mar. 2019.

GARCIA NETO, Paulo Macedo. O Judiciário no crepúsculo do Império (1871-1889). In: LOPES, José Reinaldo de Lima (org.). O Supremo Tribunal de Justiça do Império: (1828-1889). São Paulo (SP): Saraiva: coleção direito, desenvolvimento e justiça/série produção científica, 2010.

LIMA, Daniella Munhoz da Costa; FRAGA, Valderez Ferreira; OLIVEIRA, Fátima Bayma de. O paradoxo da reforma do Judiciário: embates entre a nova gestão pública e a cultura organizacional do jeitinho. v. 50, n. 6. Rio de Janeiro (RJ): Revista de Administração Pública, 2016. p.893-912. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rap/v50n6/0034-7612-rap-50-06-00893.pdf>. Acesso em: 21 mar. 2019.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo (SP): Hucitec, 2007.

PONCIANO, Vera Lúcia Feil. Morosidade no Poder Judiciário: Prioridades para a Reforma. Londrina (PR): Scientia Iuris, 2007. Disponível em: <http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/iuris/article/view/4118/3522>. Acesso em: 21 mar. 2019.

PONCIANO, Vera Lúcia Feil. Reforma do Poder Judiciário: Limites e desafios. Curitiba (PR): Dissertação (Mestrado) - Curso de Mestrado em Direito Econômico e Socioambiental, Direito, Universidade Católica do Paraná, 2009. Disponível em: <http://www.egov.ufsc.br/portal/conteúdo/reforma-do-poder-judici%C3%A1rio-limites-e-desafios>. Acesso em: 23 mar. 2019.

PRADO, Mariana Mota. O Paradoxo das Reformas do Estado de Direito: Quando as reformas iniciais se tornam obstáculos para as Reformas Futuras. v. 21, n. 45. Curitiba (PR): Revista de Sociologia e Política, 2013. p.73-90. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rsocp/v21n45/a07v21n45.pdf>. Acesso em: 21 mar. 2019.

RODOVALHO, Maria Fernanda de Todelo. A reforma do estado após a emenda constitucional 45/04: a reforma do poder judiciário. São Paulo (SP): Tese (Doutorado) - Curso de Administração, Escola de Administração de Empresas, Fundação Getúlio Vargas, 2012. Disponível em: <http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/bitstream/handle/10438/9872/tese-mf-pdf.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 23 mar. 2019.

RODRIGUES, Bilella, P. D. Diretrizes para Avaliação para a América Latina e o Caribe. Ciudad Autónoma de Buenos Aires: Akian Gráfica Editora S.A., 2016.

SADEK, Maria Teresa. Os Bacharéis em Direito na Reforma do Judiciário: técnicos ou curiosos? v. 14, n. 2. São Paulo (SP): São Paulo em Perspectiva. 2000. p.101-111. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/spp/v14n2/9793.pdf>. Acesso em: 21 mar. 2019.

SADEK, Maria Teresa. Reforma do Judiciário. Rio de Janeiro (RJ): Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, 2010. 164 p. Disponível em: <https://static.scielo.org/scielobooks/6kf82/pdf/sadek-9788579820335.pdf>. Acesso em: 21 mar. 2019.

SCHWAITZER, Lenora de Beaurepaire da Silva. Desmistificando o AI2: A recriação da Justiça Federal a partir da visão dos bacharéis em Direito. 2017. Rio de Janeiro (RJ): Tese (Doutorado) - Curso de História, Escola de Ciências Sociais, Fundação Getúlio Vargas, 2017. Disponível em: <http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/handle/10438/18943>. Acesso em: 23 mar. 2019.

SENA, Gabriel Astoni; SILVA, Edson Arlindo; LUQUINI, Roberto de Almeida. A Reforma do Poder Judiciário no Brasil: Uma análise a partir do modelo Gerencial. v. 14, n. 33. Florianópolis (SC): Revista de Ciências da Administração, 2012. p.68-78. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/adm/article/view/2175-8077.2012v14n33p68/22537>. Acesso em: 21 mar. 2019.

SILVA, Maciel Henrique; SILVA, Kalina Vanderlei. Dicionário de conceitos históricos. São Paulo: Editora Contexto, 2010.

TAVARES, Luiz Claudio Assis. A Política de Democratização do acesso à Justiça no contexto da Reforma do Poder Judiciário: algumas considerações a partir do projeto balcão de justiça e cidadania do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia. Curitiba (PR): Dissertação (Mestrado) - Curso de Direito, Pós-graduação em Direito, UniBrasil, 2014. Disponível em: <https://www.unibrasil.com.br/wp-content/uploads/2018/03/mestrado_unibrasil_Luiz-Claudio-Tavares.pdf>. Acesso em: 23 mar. 2019.

TOMIO, Fabrício Ricardo de Limas; ROBL FILHO, Ilton Norberto. Accountability e independência judiciais: Uma análise da competência do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). v. 21, n. 45. Curitiba (PR): Revista Sociologia e Política, 2013. p.29-46. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rsocp/v21n45/a04v21n45.pdf>. Acesso em: 21 mar. 2019.

WALLERSTEIN, Immanuel. Após o Liberalismo: em busca da reconstrução do mundo. Petrópolis (RJ): Editora Vozes, 1995.

Publicado
13-04-2021
Como Citar
BEZERRA, H. S. N.; MELO FILHO, H. T. DE. O estado do conhecimento sobre a reforma do poder judiciário no Brasil: uma análise histórica. Revista de Casos e Consultoria, v. 12, n. 1, p. e24447, 13 abr. 2021.
Seção
Ciências Humanas e Sociais