Estimulação precoce em bebê pré termo como intervenção da terapia ocupacional

Autores

Palavras-chave:

Prematuridade; Estimulação precoce; Terapia ocupacional.

Resumo

A prematuridade refere-se ao nascimento de bebê com idade gestacional a 37 semanas. Sabe-se que essa circunstância, relacionada a uma internação prolongada, estabelece um fator de risco ao desenvolvimento neuropsicomotor (DNPM). A pesquisa tem como objetivo analisar os efeitos da intervenção terapêutica ocupacional, da estimulação precoce no desenvolvimento de bebê pré termo. A metodologia usada foi a revisão integrativa nas bases de dados Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), Medical Literature Analysis and Sistem on-li (Medline) e Scientific Eletronic Library Online (SciELO Brasil), utilizando os descritores “estimulação precoce e prematuridade”; ‘terapia ocupacional e prematuridade”; “estimulação precoce”; “estimulação precoce e prematuridade”; “terapia ocupacional e prematuro”. Foram analisados oito artigos seguindo os critérios de inclusão: artigos publicados em português, artigos publicados e indexados nos referidos bancos de dados nos últimos dez anos, que apresentem considerações sobre a temática da estimulação precoce em bebê pré-termo: recurso de uma intervenção da terapia ocupacional. A Terapia Ocupacional (TO) intervém de forma positiva e funcional quando se diz respeito a estimulação precoce, no qual o profissional da TO desenvolve métodos e técnicas que influenciam no desenvolvimento do indivíduo como um todo, sempre com o objetivo principal na qualidade de vida e independência promovendo o desenvolvimento global.  A atuação do terapeuta ocupacional na Estimulação Precoce (EP) em bebê pré-termo visa o desenvolvimento físico, psíquico, moto sensorial, social e familiar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARBOSA, V. C.; FORMIGA, C. K. M. R.; LINHARES, M. B. M. Avaliação das variáveis clínicas e neurocomportamentais de recém-nascidos pré-termo. São Carlos: Rev. Brás. Fisioter, v. 11, 2007.

BERTICELL et al. Estudo do desenvolvimento neuropsicomotor de crianças nascidas prematuras. Saúde (Santa Maria), Santa Maria, Vol. 41, n. 2, jul./Dez, p. 139-148, 2015. Disponivel em: <https://doi.org/10.5902/2236583416736>

BETTIOL, H.; BARBIERI, M. A.; SILVA, A. A. M. Epidemiologia do nascimento pré-termo: tendências atuais. Rev. Bras. Ginecol. Obstet. v. 32, n. 2, p. 57-60, 2010.

BRASIL. Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde. Diretrizes de estimulação precoce crianças de zero a 3 anos com atraso no desenvolvimento neuropsicomotor decorrente de microcefalia: Plano nacional de enfrentamento a microcefalia. Brasília - Df, 2016.

BRASIL. Pacto nacional pela redução da mortalidade materna e neonatal. ISSN 1806-1192, Ano V, maio/junho de 2004.

CARDOSO, A. S.; LIMA, A. M.; MAXIMINO, V. S.; SPECIAN, C. M. Estudo exploratório de dor em recém-nascidos pré-termos em uma unidade de tratamento intensivo neonatal. Cad Ter Ocup da Univ Federal São Carlos. v. 18, n. 2, p. 105-114, 2010.

CHRISTO, V.; DIETRICH, A.; NOBERT, A. A. F.; BONOMIGO, E. C. B.; STRASSBURGER, S. Z. A importância da estimulação precoce no desenvolvimento motor em neonatos pré-termo. Relatório técnico-científico. Rio de Janeiro: UnijuÍ, p. 01-04, 2016.

CONSELHO FEDERAL DE FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL – COFFITO. Disponível em: <http://www.crefito9.org.br/terapia-ocupacional/o-que-e-terapia-ocupacional/164.>. Acesso em: 07 de novembro. 2020.

FERNANDES, P. T. S. et al. Desenvolvimento neuropsicomotor de recém-nascidos prematuros: uma revisão sistemática. Conscientize Saúde, Uberaba, v. 16, p.463-470, 21 dez. 2007.

FERNANDES, P. V.; GERZSON, L. R.; ALMEIDA, C. S.; SPESSATO, B. C. Desenvolvimento da manipulação do bebê em diferentes idades motoras.

R. bras. Ci. e Mov. v. 25, n. 1, p. 99-108, 2017.

FONSECA, L. M. M.; SEOCHI, C. G. S. Cuidados com o bebê prematuro: orientações para a familia. Preto-SP: FIERp, v. 64, 2009.

GIARETTA, C.; BECKER, S. M.; FUENTEFRIA, R. N. Desenvolvimento Neuropsicomotor de lactentes prematuros vinculados à Clínica da Mulher de Chapecó. Rev Neurocienc, Chapecó, v. 19, n. 4, p.642-652, abr. 2011.

GORETTI, A. C.S; ALMEIDA, S. F. C. A; LEGNANI, V. N. A relação mãe-bebê na estimulação precoce: um olhar psicanalítico. Estilos clin., São Paulo, v. 19, n. 3, set./dez. 2014, 414-435. Disponivel em: < DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v19i3p414-435>.

HACKBARTH, B. B. et al. Suscetibilidade à prematuridade: investigação de fatores comportamentais, genéticos, médicos e sociodemográficos. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, São Paulo, v. 37, n. 8, p.353-358, nov. 2015.

JOAQUIM A, R. H. V.; WERNETB, M.; LEITEC, A. M.; FONSECAC, L. M. M.; MELLOC, D. F. Interações entre mães e bebês prematuros: enfoque nas necessidades essenciais. Cad. Bras. Ter. Ocup., São Carlos, v. 26, n. 3, p. 580-589, 2018.

LIMA; CAVALCANTE; COSTA. Triagem do desenvolvimento neuropsicomotor de crianças brasileiras: uma revisão sistemática da literatura. Fisioter Pesqui. 2016;23(3):336-42 Disponivel em: < DOI: 10.1590/1809-2950/15703523032016>

MÉLO, T. R.; ARAÚJO, L. B.; NOVAKOSKI, K. R. M.; ISRAEL, V. L. Sistematização de instrumentos de avaliação para os dois primeiros anos de vida de bebês típicos ou em risco conforme o modelo da CIF. Fisioter Pesqui. v. 26, n. 4, p. 380-393, 2019.

MENDES, K. A. S. et al. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem, Texto Contexto Enferm, Florianópolis, v. 17, n. 4, p. 758-764, Out-Dez., 2008.

NAVAJAS, A. F; CANIATO, F. Estimulação precoce/essencial: a interação familia e bebe pré-termo (prematuro). Cad. de Pós-Graduação em Distúrbios do Desenv. São Paulo, v. 3, n. 1, p. 59-62, 2003.

OLIVEIRA, B. S.; MENDONÇA, K. M. P. P.; FREITAS, D. A. Fisioterapia Motora no recém-nascido prematuro em Unidade Intensiva Neonatal: Uma revisão sistemática. DOI:10.5585/ Cons. Saude. v. 14, n. 4, p. 52-54, 2015.

OTONI, A. C.; GRAVE M. T. Q. Avaliação dos sinais neurocomportamentais de bebês pré-termo internados em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal. Rev Ter Ocup Univ São Paulo. v. 25, n. 2, p. 151-158, maio/ago 2014.

OTTONI, A. C. S; GRAVE, M. T. Q. Avaliação dos sinais neurocomportamentais de bebês prétermo internados em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal. Rev Ter Ocup Univ São Paulo. v. 25, n. 2, p. 151-8. maio/ago 2014

PERUZZOLO, D. L.; OLIVEIRA, L. D.; FILHEIRO, M.; SOUZA, A. P. R. Contribuições à clínica da Terapia Ocupacional na área da intervenção precoce em equipe interdisciplinar. Cad. Ter. Ocup. UFSCar, São Carlos, v. 23, n. 2, p. 295-303, 2015.

PERUZZOLO, D. L.; SOUZA, A. P. R. Uma hipótese de funcionamento psicomotor como estratégia clínica para o tratamento de bebês em intervenção precoce. Cad. Bras. Ter. Ocup., São Carlos, v. 25, n. 2, p. 427-434, 2017.

ROSOT, N.; SAUR, B.; THOMAZINI, J. W.; SANTOS, B. V.; SCHLOSSMACHER, C. S.; DRAPIER, V. R.; RIECHI, T. I. J. S. Verificação do progresso no desenvolvimento em crianças submetidas à intervenção de atenção precoce. Ciências & Cognição. v. 23, n. 2, p. 217-226, 2018.

SANTOS et al. Intervenção do Terapeuta Ocupacional nas Alterações do Desempenho Ocupacional do Recém-Nascido Pré-Termo em Unidades de Terapia Intensiva Neonatal. Escola Superior de Saúde do Politécnico de Leiria. 2020. Disponivel em: <https://doi.org/10.25766/v7ve-9r37>

SERRÃO, B. G. M. A Importância da Estimulação Precoce no Desenvolvimento Motor de Crianças com Síndrome de Down. Revisão de Literatura. Monografia de conclusão de curso (Especialização em Fisioterapia Neurofuncional) - Faculdade FASERRA/ BIO CURSOS, Manaus, 2017.

SILVA, S. et al. Atuação da fisioterapia através da estimulação precoce em bebes prematuros. Revista Eletrônica Atualiza Saúde, Salvador, v. 5, n. 5, p.29-36, jan. 2017.

SOUZA et al A importância da Terapia Ocupacional na estimulação precoce em crianças com Síndrome de Down. Revista vita et sanitas da Faculdade União Goyazes, Trindade (GO), v.12, n.1, ISSN 1982-5951, p. 1. jan./jul. 2019.

SOUZA, A. C.; MARINO, M. S. F. Atuação do Terapeuta Ocupacional com criança com atraso do desenvolvimento neuropsicomotor. Cad. Ter. Ocup. Ufscar, São Carlos, v. 21, n. 1, p.149-153, 01 jan. 2013.

SOUZA, K. C. L.; CAMPOS, N. G.; SANTOS JUNIOR, F. F. U. Perfil dos recém-nascidos submetidos à estimulação precoce em uma unidade de terapia intensiva neonatal. Rev Bras Promoc Saude, Fortaleza, v. 26, n. 4, p. 523-529, out./dez., 2013.

TOSO, B. R. G. O. et al. Validação de protocolo de posicionamento de recém-nascido em Unidade de Terapia Intensiva. Revista Brasileira de Enfermagem, Cascavel, v. 68, n. 6, p.1147-1153, dez. 2015.

Downloads

Publicado

26-05-2021

Como Citar

AMARANTE , I. R.; MENDES, A. L. R.; REIS, A. de S. .; SANTOS, I. do N. .; CORREIA, R. F. de O. .; BRAGA, A. C. da C. .; ROCHA, A. L. M. A. Estimulação precoce em bebê pré termo como intervenção da terapia ocupacional. Revista de Casos e Consultoria, [S. l.], v. 12, n. 1, p. e24588, 2021. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/casoseconsultoria/article/view/24588. Acesso em: 14 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos de Revisão