Percepção da equipe multidisciplinar sobre a intervenção da terapia ocupacional em pacientes com câncer de mama

Autores

Palavras-chave:

Câncer de mama; Terapia ocupacional; Equipe Multidisciplinar.

Resumo

Considerado uma das maiores causas de morte no mundo, o câncer de mama necessita de tratamentos de uma equipe multidisciplinar para uma assistência mais complexa e completa, devido às mudanças no estilo de vida e rupturas com o cotidiano. O Terapeuta Ocupacional é responsável por auxiliar o indivíduo no resgate dos papéis e fazeres do cotidiano. Esta pesquisa teve como objetivo analisar a percepção da equipe multidisciplinar sobre a intervenção da Terapia Ocupacional no paciente com câncer de mama. Tratou-se de um estudo de campo de abordagem quantitativa realizada com 15 profissionais da área da saúde que integram a equipe multidisciplinar de atenção a pacientes mastectomizadas de um Hospital de referência em Oncologia na cidade de Teresina-PI. Os dados foram coletados através de um questionário estruturado, elaborado pelo pesquisador, onde constavam dados sócio-demográfico profissional e um questionário com questões acerca da percepção desses sobre a atuação da terapia ocupacional em pacientes oncológicos. A análise dos dados demonstram que a equipe era formada por médico, enfermeiros, fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais, sendo 80% dos profissionaisdo sexo feminino e atuavam como técnicos de enfermagem (53%); da amostra estudada (87%) respondeu saber o que era Terapia Ocupacional mas, 60% não conheciam a intervenção desses profissionais com pacientes mastectomizadas. A maioria (87%) dos participantes consideraram resolutiva a intervenção da terapia ocupacional. Todos os profissionais consideraram importante a assistência terapêutica ocupacional junto a equipe no tratamento do câncer de mama, mas também a maioria, não conhecia essa atuação com essas pacientes, destacando-se a resposta do profissional médico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BATISTA, D.R.R.,Mattos,M.,Silva,S.F (2015). Convivendo com o âncer:dodiagnósticoao tratamento.Rev.EnfermUFSM.jul-set.5(3).499-510p.

BOMBARDA, T.B ; Lanzab A. L. ; Santos A.C. A. V.; (2016). Joaquima R.H.V.T.; Terapia Ocupacional na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) adulto e as percepções da equipe. Cad. Ter. Ocup. UFSCar, São Carlos, v. 24, n. 4, p. 827-835.

CARDOSO,C.G;HENNINGTON,E.A.(2011). TRABALHO EM EQUIPE E REUNIÕES multiprofissionais de nbsaúde:uma construção a espera pelos sujeitos da mudança.Trabalho,educação e saúde.9(1).85-112p.

C ASSIS, M.R., (2012). Comprometimento funcional tardio de membro superior e qualidade de vida de mulheres submetidas à cirurgia do câncer de mama.Dissertação (pósgraduação),Universidade de São Carlos.105p.

CENIK,V.M;Santos,.; (2012). A.Mastectomia e sexualidade: uma revisão integrativa.Psicologia: reflexão e crítica.25 (2).339-349p.

CERDEIRA, D.Q;et.,al. (2015). Atuação fisioterapêutica em pacientes pós-cirurgia do câncer de mama:uma revisão bibliográfica.Rev Expressão Católica.3(1).23-25p.

COFFITO.(2019) Disponívelem:https://www.coffito.gov.br/nsite/?p=3191.

COSTA,A.E.L;Souza,J.R.(2018). Implicações psicossociais relacionadas a assitênciaá gestante com câncer: percepções da equipe de saúde.Rev SBPH. V(21).n(2).Rio de Janeiro.

DE OLIVEIRA, A.et al. (2014). Reflexões sobre a prática de Terapia Ocupacional em Oncologia na cidade de São Carlos.vol.11º,nº2.Cadernosde Terapia Ocupacional da UFSCar INCA. (2018). Disponível em: http://www.inca.gov.br/estimativa/2018/.

LISALVIA, A.C.G;Maciel,M.G.G. (2016). A contribuição da Terapia Ocupacional em pacientes mastectomizadas.Multitemas.

OLIVEIRA, A,.et al.(2014). Demandas por cuidados de enfermagem no domicílio por mulheres submetidas à onco-cirurgia. Rev.EnfermUFSM.jan-mar.4(1).67-75p.

OLIVEIRA,A.T;Gomes,M.G.J.P.B. (2010).O olhar da Terapia Ocupacional junto da equipe multidisciplinar em cuidados paliativos.V congresso da pesquisa extensão da FSG III salão de extensão.369-382p.

OTHERO,M.B.(2010). Terapia Ocupacional –Práticas em Oncologia.Roca.São Paulo.

PEREIRA, A. A. (2013) Possibilidades de intervenção da Terapia Ocupacional na reabilitação de mulheres mastectomizadas.Trabalho de conclusão de curso (Bacharel em Terapia Ocupacional).Faculdade de Ceilândia,Brasília-DF.

QUEIRÓS, R.P. et al. (2019). Análise do conhecimento da atuação do fisioterapeuta no câncer de mama: O que a equipe multidisciplinar de saúde tem a falar. Mostra de Fisioterapia da Unicatólica, [S.l.], v. 3, n. 1. ISSN 2526-4915.

RODRIGUES, N.R.S.(2016). Avaliação das atividades de vida diária em pacientes com câncer de mama submetidas a tratamento cirúrgico.Tese (Doutourado em Ginecologia, Obstetrícia e Mastologia). Faculdade de Medicina, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”.Botucatu.68p.

SEVERINO, M. F. (2014). O impacto do tratamento Oncológico no desempenho ocupacional de pacientes.2014.29p. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Terapia Ocupacional)- Faculdade de Ceilândia,Brasília.

SILVA, I. M. C. Avaliação da qualidade de vida relacionada à saúde de mulheres

portadoras do câncer de mama.Dissertação (mestrado em saúde e ambiente)-UFMA, 2018.

SILVA,G.C.L.,Santos,A.S.,Silva,S.B. Bases epigenéticas do câncer:um novo olhar sobre a progressão tumoral.II Conbracis;2017.

SILVEIRA, M.H.;Ciampone,M.H.T.;Gutierrez,B.A,O. Percepção da equipe multiprofissional sobre cuidados paliativos.Rev.Bras.Gerontol.17(1).7-16p.2014.

TOMAZ,L.A et al. Enfrentamento e Resiliência de pacientes com câncer submetidos a tratamento quimioterápico.R. interd.v.8,n.2,p195-205,abr.mai.jun.2015.

VIEGAS, S.M.F;Penna,C.M.M.A construção da integralidade no trabalho cotidiano da equipe de saúde da família.Esc Anna Nery (impr).17(1).P133-141.jan.mar.2013.

Downloads

Publicado

10-05-2023

Como Citar

ANDRADE , V. F. .; CORREIA, R. F. de O.; FREITAS, L. C. de .; MENDES, A. L. R. .; CASTRO, J. G. de . Percepção da equipe multidisciplinar sobre a intervenção da terapia ocupacional em pacientes com câncer de mama. Revista de Casos e Consultoria, [S. l.], v. 14, n. 1, p. e30359, 2023. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/casoseconsultoria/article/view/30359. Acesso em: 13 abr. 2024.

Edição

Seção

Ciências da Saúde