Perspectivas espaciais sobre a construção do imaginário de medo em bairros periféricos de Belém do Pará (1950-1980)

  • Rudá Silva de Pinho Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Palavras-chave: Memórias, Antropologia e História, Espacialidades, Lendas, Imaginário

Resumo


Em Belém do Pará, a partir da década de 1950, com o Plano de Valorização Econômica da Amazônia, e da década seguinte, com o Modelo de Crescimento Desequilibrado Corrigido, houve um intenso fluxo migratório a partir do interior do estado e, dessa forma, uma grande ocupação de áreas periféricas da cidade. No campo das mentalidades, percebe-se que os moradores de Belém se atrelavam ainda às lendas e mitos. Este artigo objetiva analisar a construção dessas lendas em bairros periféricos de Belém, buscando fundamentos e hipóteses na memória e na paisagem, entendendo como os moradores dessas áreas experienciam a espacialidade local e projetam-na na mentalidade. Para isto, utilizaremos fontes primárias, como entrevistas realizadas com moradores de bairros periféricos da cidade e reportagens dos jornais A Província do Pará e Diário do Pará, e secundárias, como a literatura produzida no período (crônicas, livros de lendas) e estudos sobre o folclore amazônico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CASTRO, Edna. Urbanização, pluralidade e singularidade das cidades amazônicas. In: CASTRO, Edna. (Org.) Cidades na floresta. São Paulo: Annablume, 2008. p. 11-40.
CHAVES, J.; MIRANDA, H.; MITSCHEIN, T. Crescimento, pobreza e violência em Belém. 2 ed. Belém: NUMA/UFPA; POEMA, 2006.
CHAVES, Túlio A. P. de V. Isto não é para nós? Um estudo sobre a verticalização e modernidade em Belém entre as décadas de 1940 e 1950. 2011. 164 f. Dissertação (Mestrado em História Social da Amazônia) – Instituto de Filosofa e Ciências Humanas, Universidade Federal do Pará, Belém. 2011.
COSTA, Luciana M. (Coord.). O Pará nas ondas do Rádio. Belém: Universidade Federal do Pará, 2011. Disponível em: .
FIGUEIREDO, Aldrin M. de; SARGES, Maria de N.(org.). Antônio Lemos:
Revisitando o mito (1913-2013). Belém: Açaí, 2014.
MIDGLEY, Mary. A presença dos mitos em nossas vidas. São Paulo: Editora Unesp, 2014.
MITSCHEIN, T.; CHAVES, J.; MIRANDA, H. Crescimento, pobreza e violência em Belém. Belém: NUMA/UFPA; POEMA, 2006.
MONTEIRO, Walcyr. Visagens e Assombrações de Belém. Belém: Banco da Amazônica S. A., 2000.
MORAES, Eneida de. Aruanda/Banho de Cheiro. Belém: SECULT; FCPTN,
1989 (Lendo o Pará 2).
MORIN, Edgar. O método 5: a humanidade da humanidade. Porto Alegre: Sulina, 2012.
NAVARRO, E. A. Método moderno de tupi antigo: a língua do Brasil dos primeiros
séculos. 2 ed. São Paulo: Vozes, 1999.
OLIVEIRA, José C. de. SILVA, A, REBELO, M, CORRÊA, P. (Orgs). Imaginário Amazônico. Belém: Paka-Tatu, 2007.
OLIVEIRA, José C. Imaginário Amazônico. Belém: Paka-Tatu, 2007.
PINTO, Corrêa. Belém: imagens e evocações. Rio de Janeiro: Do autor, 1968.
PRIORE, Mary Del. Do outro lado: a história do sobrenatural e do espiritismo. São Paulo: Planeta, 2014.
SARGES, Maria de N. Belém: riquezas produzindo a belle-époque (1870-1912). 3. ed. Belém: Paka-Tatu, 2010.
SCHAMA, Simon. Paisagem e Memória. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.
SILVA, Jerônimo Silva e; SARRAF-PACHECO, Agenor. Diásporas de encantados na Amazônia Bragantina. Horizontes Antropológicos (Online), v. 43, p. 129-156, 2015.
SIMÕES, Maria do Socorro; GOLDER, Christophe. Belém conta.... Belém: Cejup; Universidade Federal do Pará, 1995.
TUAN, Yi-Fu. Espaço e lugar: a perspectiva da experiência. Londrina: Eduel,
2013.
WEINSTEIN, Bárbara. A Borracha na Amazônia: expansão e decadência. São Paulo: Edusp, 1993.
Publicado
22-09-2017
Como Citar
PINHO, R. S. DE. Perspectivas espaciais sobre a construção do imaginário de medo em bairros periféricos de Belém do Pará (1950-1980). Equatorial – Revista do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, v. 4, n. 6, p. 35-52, 22 set. 2017.
Seção
Artigos