Cidade política, cidade poética:

inscrição, circulação e cotidiano na cidade de Viçosa (MG)

  • Jeferson Carvalho da Silva Universidade Federal de Viçosa
Palavras-chave: Antropologia Urbana, Cidades, Espaço Urbano, Fotografia, Desenho Etnográfico

Resumo

Este artigo tem como objetivo esboçar a ampliação das categorias “inscrição” e “circulação” abordadas pela antropóloga Teresa Caldeira. Tais categorias referem-se a práticas de ocupação e produção dos espaços públicos das cidades. As imagens, nesse processo, auxiliadas pela busca de caminhos de aplicação e construção de “olhares disciplinados para ver as cidades”, propostos por Urpi Montoya Uriarte, se tornaram elementos importantes para observar e interpretar a realidade de ruas, becos e avenidas da cidade de Viçosa (MG), onde se deu o campo dessa pesquisa. Sob essas perspectivas nos aproximamos de uma cidade em constante movimento, produzida e ressignificada cotidianamente por seus habitantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, Cirene Ferreira. Saudade em dois tempos: crônicas de Norah. Viçosa: [s.n.], 1996.
ARANTES, Antonio Augusto. Paisagens paulistanas: transformações do espaço público. Campinas: Editora da Unicamp. São Paulo: Imprensa Oficial, 2000.
AZEVEDO, Aina. “Desenho e antropologia: recuperação histórica e momento atual”. Cadernos de Arte e Antropologia, v. 5, n. 2, 2016, pp. 15-32.
BARBOSA, Andrea. “Fotografia, narrativa e experiência”. In: BARBOSA, Andrea (et al.). A experiência da imagem na etnografia. São Paulo: Terceiro Nome, 2016, pp. 191-204.
CALDEIRA, Teresa Pires do Rio. “Inscrição e circulação: novas visibilidades e configurações do espaço público em São Paulo”. Tradução de Claudio Alves Marcondes. Novos Estudos – CEBRAP, n.94, 2012. pp. 31-67.
CANEVACCI, Massimo. A cidade polifônica: ensaio sobre a antropologia da comunicação urbana. Tradução de Cecília Prada. 2. ed. São Paulo: Studio Nobel, 1997.
CAUSEY, Andrew. Drawn to see: drawing as an ethnographic method. Toronto: University of Toronto Press, 2017.
CERTEAU, Michel de. “Terceira parte: práticas de espaço”. In: ______. A invenção do cotidiano: 1. artes de fazer. 22. ed. Petrópolis: Editora Vozes, 2014, pp. 155-198.
GOMES, Inês Belo. “‘Deixei o desenho enterrado’ ou como ressuscitar o grafismo enquanto metodologia antropológica: um caso prático”. Cadernos de Arte e Antropologia, v. 5, n. 2, 2016, pp. 75-90.
GONÇALVES, José Reginaldo Santos. “Teorias antropológicas e objetos materiais”. In: Antropologia dos objetos: coleções, museus e patrimônios. Rio de Janeiro: 2007, pp. 13-42.
HELLER, Agnes. “A estrutura da vida cotidiana”. In: O cotidiano e a história [livro eletrônico]. Tradução de Carlos Nelson Coutinho e Leandro Konder. São Paulo: Editora Paz e Terra, 2016.
JACQUES, Paola Berenstein. “Corpografias urbanas”. São Paulo: Arquitextos, ano 8, n. 093.07, Vitruvius, 2008. Disponível em: http://vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/08.093/165. Acesso em: 12 jun 2019.
______. “Experiência Errática”. Redobra. Salvador: n. 10, ano 3, 2012, pp. 192-204.
KUSCHNIR, Karina. Desenhando cidades. Sociologia & Antropologia, v. 02.04, 2014. p. 295-314.
______. “Ethnographic Drawing: eleven benefits of using a sketchbook for fieldwork”. Visual Ethnography Journal, v.5, n. 1, 2016, p. 103-134.
ROCHA, Ana Luiza Carvalho da; ECKERT, Cornelia. Etnografia da duração: antropologia das memórias coletivas em coleções etnográficas. Porto Alegre: Marcavisual, 2013.
SANTOS, Milton. “O lugar e o cotidiano”. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (Orgs.). Epistemologias do Sul [livro eletrônico]. São Paulo: Cortez, 2013.
SCHVARSBERG, Gabriel. “Cartografar o movimento: narrativas da sarjeta”. Redobra. Salvador: n. 09, ano 3, 2012, pp. 160-178.
SILVA, Jeferson Carvalho da. “’Nós passamos por aqui’: notas de uma experiência etnográfica errante”. Fotocronografias, v. 5, n. 10, 2019a, pp. 166-179.
______. “’Estou ao lado do açougue’: construindo narrativas etnográficas de espaços cotidianos. Fotocronografias, v. 4, n. 8, 2019b, pp. 98-111.
URIARTE, Urpi Montoya. “Olhar a cidade”. Ponto Urbe, n. 13, 2013, pp. 1-14. Disponível em: http://journals.openedition.org/pontourbe/774. Acesso: 15 set 2019.
Publicado
21-06-2020
Como Citar
CARVALHO DA SILVA, J. Cidade política, cidade poética:. Equatorial – Revista do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, v. 7, n. 13, p. 1-28, 21 jun. 2020.