O pedaço O Alto do Louvor sob a perspectiva de suas usuarias

Palavras-chave: Antropologia Social, Alto do Louvor, Pedaço, Prostituição, Representações

Resumo


O presente artigo objetiva discutir a categoria pedaço a partir das percepções de usuárias do Alto do Louvor na cidade de Mossoró/RN, historicamente referenciado como espaço para a realização de programas e consumo de drogas. Optou-se como procedimento metodológico pelo método qualitativo que consistiu na pesquisa de campo, observação participante e realização de entrevistas. Como resultados identificamos algumas formas de organização hierárquica, estabelecida como manutenção da ordem no lugar, para que as atividades nele desenvolvidas continuem funcionando. Constatamos que as representações das usuárias têm o pedaço como um ‘bom lugar’ e socializador, pois, nele se negocia e compartilha os mais diversos interesses.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Arícia Bezerra, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Bacharel em Ciências Sociais pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte.  Foi bolsista do Programa de Educação Tutorial  (PET).

Cyntia Carolina Beserra Brasileiro, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Professora do curso de Ciências Sociais da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN. Doutora em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Campina Grande (2017). Mestre em Ciências Sociais (2012) pela mesma instituição vinculada à linha de pesquisa Cultura e Identidades. Licenciada (2011) e Bacharel (2009) em Ciências Sociais com área de concentração em Antropologia e ênfase nos estudos de Antropologia da Política e Comportamento Eleitoral. Foi bolsista do Programa de Educação Tutorial em Antropologia (PET - Antropologia) e bolsista CAPES. Tem interesse nas área de Comportamento Eleitoral, Eleições, Gênero e Política.

Terezinha Albuquerque , Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Professora efetiva da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, lotada no departamento Ciências Sociais e Política. Doutora pela Universidade Federal de Pernambuco no Programa de Pós-Graduação em Ciência Política.Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Possui bacharelado em Ciências Sociais(2007) optando pela Sociologia e Ciências Políticas pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Esta vinculada ao projeto Observatório das Metrópoles.Tem experiência na área de Desenvolvimento Regional, com ênfase em Estado e Políticas Públicas, atuando principalmente no seguinte tema: Gestão Pública, Políticas Públicas, Métodos Quantitativos,Participação e Cultura Política

Referências

  • ABREU, Fabiana Rodrigues de; RIBEIRO, Déborah Éllen de Matos. A imagem da mulher prostituta: uma constituição social histórica. Teresina, Piauí: [s. n.], 2019. Disponível em: <https://www.uespi.br/site/wp-content/uploads/A-IMAGEM-DA-MULHER- PROSTITUTA-UMA-CONSTITUI%C3%87%C3%83O-SOCIAL-HIST%C3%93RICA.pdf> Acesso em: 19. Jul. 2020.

  • ALVAREZ, Gabriel Omar; RODRIGUES, Marlene Teixeira. Prostitutas cidadãs: movimentos sociais e políticas de saúde na área de HIV/Aids. Revista Ser Social, Brasília, v. 1, n. 8, p. 97-127, 2001.

  • BRASIL. Código Penal. Artigo 229 do Decreto-lei no 2.848, de 7 de dezembro de 1940. 2009a.

  • BRASIL. Código Penal. Artigo 230 do Decreto-lei no 2.848, de 7 de dezembro de 1940. 2009b.

  • BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. DF: Senado Federal: Centro de Documentação e Informação, 23 ed.2004.

  • BRITO, Raimundo Soares de. Páginas Arrancadas (memórias). Fundação Vingt-un Rosado, Coleção Mossoroense, Série C, Volume 1588, abril de 2010; Origem do arquivo fotográfico. Acesso em 10/01/2019.

  • BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico/ Pierre Bourdieu: tradução Fernando Tomaz (português de Portugal). 13.ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010.

  • GIDDENS, Anhony. Sociologia. 4º. ed. Porto Alegre: Artmed, 2005.

  • GOFFMAN, Erving. Estigma - notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. Tradução: Mathias Lambert. 2004.

  • GOLDEMBERG, Mirian. A arte de pesquisar. Como fazer pesquisa qualitativa em ciências sociais. 6. ed. Rio de Janeiro: Record, 2002.

  • MAGNANI, José Guilherme Cantor. Quando o campo é a cidade: fazendo antropologia nas metrópoles. In: Na metrópole: textos de antropologia urbana. José Guilherme Cantor Magnani e Lílian de Lucca Torres (orgs.). São Paulo: Edusp/Fapesp, 1996.

  • epid=S0103-20702003000100005>. Acesso em: 10 jul. 2020.

  • MUYLAERT, C., SARUBBI Jr, V., GALLO, P., NETO, M., e Reis, A. (2014). Entrevistas narrativas: um importante recurso em pesquisa qualitativa. Revista Da Escola De Enfermagem Da USP, 48 (spe2), 184-189. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S0080-623420140000800027>. Acesso em: 19.jul. 2020

  • PARKER, Richard. Corpos, prazeres e paixões. A cultura sexual no Brasil contemporâneo. São Paulo: Editora Best Seller. 1995.

  • PERLONGHER, Nestor. O negócio do michê. 2ªed. São Paulo, Editora Fundação Perseu Abramo, 2008.

  • ROCHA, Aristotelina. P. B. Expansão urbana de Mossoró (1980 a 2004): geografia dinâmica e expansão do território. Natal: EDUFRN, 2005.

  • SIMMEL, G. As grandes cidades e a vida do espírito (1903). Mana [online]. Vol.11, n.2, pp. 577-591. ISSN 0104-9313. 2005.

  • SIMMEL, G. Questões fundamentais da sociologia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed, 2006.

  • VASCONCELOS, José Gerardo; SANTOS, Verônica Gomes dos. O corpo da prostituta: entre o discurso, a vida cotidiana e a educação. Universidade Federal do Ceará: [s.n.], 2011. Disponível: <http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/24899> Acesso em: 17. jul. 2020.

Publicado
02-04-2021
Como Citar
BEZERRA, A.; BESERRA BRASILEIRO, C. C.; ALBUQUERQUE , T. O pedaço O Alto do Louvor sob a perspectiva de suas usuarias. Equatorial – Revista do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, v. 8, n. 14, p. 1-26, 2 abr. 2021.
Seção
Artigos