Romarias e práticas devocionais ao Padre Cícero e à Mãe das Dores em tempos de pandemia

Autores

  • Yslia Batista Alencar URCA
  • Renata Marinho Paz Universidade Regional do Cariri

DOI:

https://doi.org/10.21680/2446-5674.2022v9n16ID26138

Palavras-chave:

Antropologia da Religião; Romarias; Práticas Devocionais; Pandemia

Resumo

Neste artigo, analisamos os impactos da pandemia da Covid-19 sobre as crenças e práticas religiosas dos devotos do Padre Cícero e de Nossa Senhora das Dores, bem como percepções dos romeiros sobre a pandemia. A pesquisa, desenvolvida entre setembro de 2020 e março de 2021, baseou-se na interação junto a grupos de romeiros em redes sociais na internet. Apresentamos uma reflexão sobre o processo de realização de pesquisa, com seus limites e possibilidades, bem como sobre as visões dos nossos interlocutores sobre a pandemia, e como vêm sendo desenvolvidas suas práticas religiosas, especialmente aquelas relacionadas à devoção ao Padre Cícero. Trazemos também uma análise acerca das impressões dos romeiros sobre a pandemia e suas associações às prédicas escatológicas do Padre Cícero. Por fim, apresentamos percepções sobre o processo constante de recriação das romarias, agudizado neste cenário pandêmico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Yslia Batista Alencar, URCA

Graduada em Bacharelado em Ciências Sociais pela Universidade Regional do Cariri - URCA (2021). Foi bolsista PIBIC pela Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico - FUNCAP de 2020 a 2021. Foi bolsista do PIBIC - Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (CNPq) em 2020. Participou como bolsista do PIBID - Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Capes) de 2018 a 2019.

Referências

ALENCAR, Salatiel. Joaseiro Celeste: tempo e paisagem na devoção ao Padre Cícero. São Paulo: Attar, 2007.

BRAGA, Antônio Mendes da Costa. Padre Cícero: sociologia de um padre, antropologia de um santo. Bauru: Edusc, 2007.

BRAGA, Antônio Mendes da Costa; SILVA, Amanda Priscila Souza; MENESES, Itamara Freires. “Romeiros, turismo e devoção em Juazeiro do Norte, Ceará, Brasil”. In Estudos de Religião (IMS), vol. 33, p. 271 – 291. 2019. Esse parêntesis não tem. Disponível em https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/ER/article/view/9528 (Acesso em 23 de junho de 2020).

CARVALHO, Gilmar de. Madeira matriz. Cultura e memória. São Paulo: Annablume, 1998.

CORDEIRO, Maria Paula Jacinto. Entre chegadas e partidas. Dinâmicas das romarias em Juazeiro do Norte. Fortaleza: IMEPH, 2011.

ELIADE, Mircea. The enciclopédia of religion. New York: MacMillian Publishing Company, 1987.

LERNER, Kátia; GRADELLA, Pedro de Andréa. Mídia e pandemia: os sentidos do medo na cobertura de influenza H1N1 nos jornais cariocas. Revista do Programa de Pós-graduação em Comunicação da UFRJ, Rio de Janeiro, v. 14, n. 02, 2020. Disponível em (https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/3850). Acesso em 13 de março de 2021.

PAZ, Renata Marinho Para onde sopra o vento. A igreja católica e as romarias de Juazeiro do Norte. Fortaleza: IMEPH, 2011.

SANTHIAGO, Ricardo; MAGALHÃES, Valéria Barbosa de. “Rompendo o isolamento: reflexões sobre história oral e entrevistas à distância”. Anos 90, Porto Alegre, vol. 27, 2020.

VAINFAS, Ronaldo; SOUZA, Juliana Beatriz. Brasil de Todos os santos. Rio de Janeiro: Zahar, 2000.

Downloads

Publicado

19-03-2022

Como Citar

BATISTA ALENCAR, Y.; MARINHO PAZ, R. Romarias e práticas devocionais ao Padre Cícero e à Mãe das Dores em tempos de pandemia. Equatorial – Revista do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, [S. l.], v. 9, n. 16, p. 1–22, 2022. DOI: 10.21680/2446-5674.2022v9n16ID26138. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/equatorial/article/view/26138. Acesso em: 1 jul. 2022.