Saberes de quintais

práticas espirituais de cura e os usos das plantas no território sul-mineiro

Autores

  • Gabriela Acerbi Pereira Universidade Federal de São Carlos
  • Flávia Nogueira Pereira Universidade Federal de Alfenas

DOI:

https://doi.org/10.21680/2446-5674.2023v10n19ID30983

Palavras-chave:

Cura, Saúde, Sul de Minas Gerais, Território, Fotografia, Espiritualidade

Resumo

O ensaio visual apresentado é uma seleção realizada de fotografias do Projeto Curas (www.projetocuras.com.br), uma iniciativa de cocriação que é uma plataforma digital de pesquisa, documentação e construção de acervos afetivos e familiares. Os processos de criação e composição da plataforma são realizados no Sul de Minas Gerais desde 2019, incluindo moradoras e moradores de cidades de  Poços de Caldas, Machado, Caxambu, Campanha, Alfenas, Cabo Verde, Caldas e entornos vizinhos. As iniciativas se estruturam a partir de produções artísticas e documentais compartilhadas, tendo em vista memórias e perspectivas pessoais e comunitárias de cura, práticas de cuidado e manutenção do bem-estar que atravessam gerações. O ensaio promove uma exposição dos processos criativos cocriados que se estruturam a partir de relações espirituais de saúde, memória e territorialidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriela Acerbi Pereira, Universidade Federal de São Carlos

Atualmente é doutoranda no Programa de Pós Graduação em Antropologia Social (PPGAS) pela UFSCAR e atua na Plataforma Curas (www.projetocuras.com.br). Os trabalhos são voltados às práticas espirituais de cura no sul de Minas e suas relações com os processos históricos de colonização e formação dos territórios sul-mineiros. Pesquisadora no Imuê - Instituto Mulheres e Economia.

Flávia Nogueira Pereira, Universidade Federal de Alfenas

Graduada em Ciências Biológicas pela Fundação Educacional de Machado - Centro Superior de Ensino e Pesquisa (CESEP/FEM). Aluna de Mestrado em Ciências Ambientais pela Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL). Pesquisadora voluntária da Fundação Jardim Botânico de Poços de Caldas (FJBPC) na área de botânica, atuando em pesquisas taxonômicas e na conservação de espécies do bioma Mata Atlântica, principalmente na fitofisionomia de Campos de Altitude.

Referências

DAMÁSIO, Ana Clara. Como pode o “Outro” narrar? Considerações sobre viver, fazer e escrever na Antropologia. Pós - Revista Brasiliense de Pós-Graduação em Ciências Sociais, [S. l.], v. 16, n. 1, p. 72−99, 2021. Disponível em: https://www.periodicos.unb.br/index.php/revistapos/article/view/38013. Acesso em: 2 mai. 2023.

PEREIRA, Edimilson de Almeida. A saliva da fala. Rio de Janeiro: Azougue, 2017.

SOUZA, Marina de Mello e. Catolicismo negro no Brasil: santos e minkisi, uma reflexão sobre miscigenação cultural. Afro-Ásia, n. 28, p. 125−146, 2002.

MARTINS, Leda Maria. Performances do tempo espiralar, poéticas do corpo-tela. Rio de Janeiro: Cobogó, 2021.

TAYLOR, Diana. Roteiros do descobrimento: reflexões sobre a performance e a etnografia. In: TAYLOR, Diana. O arquivo e o repertório: performance e memória cultural nas Américas. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2013. p. 91−123.

Downloads

Publicado

09-10-2023

Como Citar

PEREIRA, G. A.; PEREIRA, F. N. Saberes de quintais: práticas espirituais de cura e os usos das plantas no território sul-mineiro. Equatorial – Revista do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, [S. l.], v. 10, n. 19, p. 1–18, 2023. DOI: 10.21680/2446-5674.2023v10n19ID30983. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/equatorial/article/view/30983. Acesso em: 3 mar. 2024.