FONOTERAPIA EM GLOSSECTOMIA TOTAL - ESTUDO DE CASO

  • Camila Alves Vieira

Resumo


A cirurgia curativa do câncer de língua ocasiona sequelas que prejudicam o bom funcionamento das funções estomatognáticas. Objetivo: descrever, por meio de estudo de caso, os achados da avaliaçáo e a evoluçáo da reabilitaçáo fonoaudiológica das funções de deglutiçáo e fala de um indivíduo, 58 anos, gênero masculino, submetido à glossectomia total em junho de 2009. Após a avaliaçáo diagnosticou-se disfagia orofaríngea mecânica severa e alteraçáo na articulaçáo da fala. Procedimentos: Na reabilitaçáo fonoaudiológica foram utilizadas, como formas de atuaçáo, as terapias diretas e indiretas. Na terapia indireta trabalhou-se controle motor oral, sensibilidade, mobilidade, motricidade, tônus e postura das estruturas adjacentes da língua resseccionada. Na terapia direta empregou-se a manobra de postura de cabeça para trás para auxiliar na ejeçáo de alimentos para a faringe. Resultados: O paciente passou a alimentar-se exclusivamente por via oral, com a restriçáo de sólidos, após dez meses em tratamento. No que se refere à fala, foram utilizados exercícios de sobrearticulaçáo, velocidade e ritmo para melhorar a inteligibilidade dela. Dessa forma, considerou-se os resultados da intervençáo fonoaudiológica surpreendentes e o paciente recebeu alta após um ano em tratamento. Conclusáo: as ressecções de língua apresentam sequelas significativas nas funções de deglutiçáo e fala, assim sendo, é imprescindível a atuaçáo fonoaudiológica para modificar e adaptar essas funções, além de proporcionar uma melhor qualidade de vida ao paciente.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
15-09-2011
Como Citar
VIEIRA, C. A. FONOTERAPIA EM GLOSSECTOMIA TOTAL - ESTUDO DE CASO. Revista Extensão & Sociedade, v. 2, n. 3, 15 set. 2011.