COMPARAÇÃO DA ATIVIDADE ELÉTRICA DO MÚSCULO ORBICULAR DA BOCA E MENTUAL EM DIFERENTES EXERCÍCIOS PARA REABILITAR A FORÇA

  • Renata Abreu Moreira
  • Luiza do Carmo Costa
  • Amanda Freitas Valentim
  • Renata Maria Moreira Moraes Furlan
  • Tatiana Vargas de Castro Perilo
  • Estevam Barbosa de Las Casas
  • Andréa Rodrigues Motta

Resumo


O principal componente dos lábios é o músculo orbicular da boca, importante para as funções de sugar, mastigar, deglutir e falar. Várias condições promovem a diminuiçáo da força deste músculo. Para reabilitá-la, o fonoaudiólogo utiliza exercícios que promovem a contraçáo do orbicular da boca. Com o propósito de medir e reabilitar a força dos lábios, o Grupo de Engenharia Biomecânica da UFMG desenvolveu um dispositivo intraoral que tem a forma e a dimensáo do músculo dos lábios. Objetivo: Comparar a atividade elétrica dos músculos orbicular da boca e mentual durante a realizaçáo de exercícios de contraçáo labial sem contra-resistência (“bico fechado”), contraçáo com contra-resistência do dispositivo intraoral (desenvolvido pelo grupo supracitado) e por fim, contraçáo com contra-restistência de um botáo. Métodos: Foram avaliados 10 sujeitos do sexo feminino utilizando-se a eletromiografia de superfície. Dois eletrodos descartáveis foram posicionados, um na parte superior do músculo orbicular e um no músculo mentual, além do eletrodo terra, no pulso. Foram solicitadas três tarefas: ”bico fechado”, contra-resistência do dispositivo intraoral e por fim, contra-restistência de um botáo. A ordem de mediçáo foi randomizada entre os participantes. Analisou-se os valores de RMS da atividade elétrica de todas as tarefas, e realizou-se a normalizaçáo do sinal, calculando-se os valores de potencial elétrico dos exercícios em porcentagem do bico fechado, acreditando ser esta a tarefa que promoveria a contraçáo voluntária máxima do músculo avaliado. Resultados: verificou-se que o dispositivo intraoral desenvolvido pelo Grupo gerou maior atividade elétrica no lábio superior (115,57 mV ) quando comparado aos exercícios de contra-resistência promovida pelo botáo (103,32 mV) e “bico fechado” (84,39 mV). Em relaçáo ao mentual o exercício de contra-resistência com o botáo apresentou os menores valores de atividade elétrica (41,97 mV), seguido pelo exercício de contra-resistência com o dispositivo (50,48 mV) e por fim pelo exercício de “bico fechado” (78,95 mV). Conclusáo: O dispositivo intraoral gerou maior ativaçáo elétrica do lábio, enquanto o exercício de contra-resistência com o botáo gerou a menor atividade elétrica do músculo mentual. Desta maneira, para indicaçáo de cada um dos exercícios avaliados o profissional necessariamente deverá levar em conta seus benefícios e também as possíveis compensações indesejadas que possam gerar. Os dados encontrados podem direcionar futuras pesquisas indicando tarefas a serem empregadas no processo de normalizaçáo dos dados.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
15-09-2011
Como Citar
MOREIRA, R. A.; COSTA, L. DO C.; VALENTIM, A. F.; FURLAN, R. M. M. M.; PERILO, T. V. DE C.; CASAS, E. B. DE L.; MOTTA, A. R. COMPARAÇÃO DA ATIVIDADE ELÉTRICA DO MÚSCULO ORBICULAR DA BOCA E MENTUAL EM DIFERENTES EXERCÍCIOS PARA REABILITAR A FORÇA. Revista Extensão & Sociedade, v. 2, n. 3, 15 set. 2011.