AS FUNÇÕES ESTOMATOGNÁTICAS E A POSTURA CORPORAL NOS RESPIRADORES ORAIS OBSTRUTIVOS E FUNCIONAIS

  • Patrí­cia Girarde Machado
  • Carolina Lisboa Mezzomo
  • Ana Fátima Viero Badaró
  • Luana Cristina Berwig

Resumo


As repercussões dos respiradores orais orgânicos e funcionais no sistema estomatognático e corporal do indivíduo sáo pouco estudadas. Tradicionalmente, é observado um tratamento do respirador oral como um grupo único, náo o diferenciando em respiradores orais orgânicos (obstrutivos) e funcionais. A respiraçáo oral pode ter como consequência alterações no posicionamento estático e dinâmico da cabeça. Portanto, é fundamental analisar o complexo orofacial junto à postura corporal, uma vez que o sistema estomatognático náo pode ser separado de sua relaçáo com a cabeça e o pescoço. Objetivo: Avaliar as funções estomatognáticas e a postura corporal em crianças respiradoras orais obstrutivas (ROO) e funcionais (ROF), comparando os achados nos dois grupos. Métodos: A amostra foi composta por 21 crianças de ambos os sexos, de 8 e 9 anos, 8 ROO e 13 ROF. Inicialmente, fez-se um levantamento dos casos de respiradores orais em um Serviço de Atendimento Fonoaudiológico e em um Instituto Pedagógico Social. Após, foi realizada anamnese e triagem fonoaudiológicas. A coleta de dados englobou a avaliaçáo postural fotogramétrica, a avaliaçáo dos órgáos fonoarticulatórios, com ênfase nas funções estomatognáticas e a avaliaçáo otorrinolaringológica. Resultados: Na mastigaçáo adequada, bilateral alternada, os ROO apresentaram maior frequência (12,5%) em relaçáo aos ROF (7,7%). Este grupo também apresentou maior frequência no que se refere ao ruído e à alteraçáo da velocidade. Nas demais características atípicas o ROF obteve maior frequência, contudo, nenhum dos resultados foi estatisticamente significante. Na deglutiçáo, tanto o padráo de normalidade quanto as características de atipia sáo mais frequentes nos ROF, com exceçáo do ruído que foi a única diferença estatisticamente significante observada nos ROOs. Nos dendogramas, na vista anterior e lateral, assim como na biofotogrametria, a cabeça encontrou-se anteriorizada nos grupos. Conclusáo: A partir do trabalho realizado, pode-se concluir que o ruído durante a deglutiçáo foi a única diferença estatisticamente significante entre os ROOs e ROFs. Assim, a respiraçáo oral interfere em determinados aspectos posturais e de sistema estomatognático, independente de sua causa ser obstrutiva ou viciosa.
Palavras-Chave: Postura; Fotogrametria; Sistema Estomatognático; Respiraçáo bucal; Criança

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
15-09-2011
Como Citar
MACHADO, P. G.; MEZZOMO, C. L.; BADARÓ, A. F. V.; BERWIG, L. C. AS FUNÇÕES ESTOMATOGNÁTICAS E A POSTURA CORPORAL NOS RESPIRADORES ORAIS OBSTRUTIVOS E FUNCIONAIS. Revista Extensão & Sociedade, v. 2, n. 3, 15 set. 2011.