SÍNDROME DE HUNTER: CORRELAÇÕES CLÍNICAS COM A MOTRICIDADE OROFACIAL

  • Silvia Elaine de Moraes Zuim Baldrighi
  • Aline Ferreira de Brito
  • Joana Marques Lima
  • Juliana Nascimento de Alcântara
  • Thalyta Prata Leite de Sá

Resumo


O trabalho a ser apresentado constitui um relato de caso clínico observacional proveniente da experiência vivenciada na prática clínica do curso de Fonoaudiologia da Universidade Federal de Sergipe (UFS), que discorre sobre as correlações clínicas entre a motricidade orofacial e a Síndrome de Hunter, um distúrbio genético grave e raro eminentemente pediátrico. Objetivo: Busca identificar e analisar as alterações fonoaudiológicas da motricidade orofacial em uma criança diagnosticada com Síndrome de Hunter, de 8 anos de idade, do gênero masculino, sendo uma proposta advinda de nossas inquietações suscitadas pelo trabalho fonoaudiológico com o sujeito em questáo, bem como do fato de a literatura nesse campo do saber ser ainda incipiente. O paciente em questáo foi encaminhado pelo neurologista e avaliado pelas estagiárias de Fonoaudiologia em uma sala do Hospital Universitário (HU) da UFS. Procedimentos: Avaliamos as estruturas moles e duras do sistema estomatognático (lábios, língua, bochechas, mandíbula, palato duro, palato mole, tonsilas palatinas e arcada dentária), bem como as funções desempenhadas pelo mesmo (mastigaçáo, respiraçáo, deglutiçáo e sucçáo). Quanto aos aspectos físicos observamos/avaliamos visualmente, bem como nos servirmos de dados do prontuário do paciente, que foi previamente diagnosticado no HU. Com relaçáo aos aspectos faciais e das funções do sistema estomatognático, utilizamos o protocolo de Avaliaçáo do Sistema Estomatognático e Postura – do Laboratório de Investigaçáo Fonológica em Síndromes e Alterações Sensório-Motoras (LIF-SASM) Val et al. 2005. Resultados: Como resultados podemos mencionar, traçando um paralelo com a literatura, que os aspectos encontrados, no tocante à motricidade orofacial, sáo comuns aos encontrados na maioria dos portadores da síndrome, como alterações na língua, lábios, palato, arcada dentária e tonicidade dos OFAs, resultando no comprometimento severo das funções envolvidas (mastigaçáo, deglutiçáo, respiraçáo e sucçáo). Conclusáo: Apontamos para a necessidade de que mais estudos acerca dessa correlaçáo sejam produzidos e para o lugar de importância da Fonoaudiologia na atuaçáo com a Síndrome de Hunter, sendo preponderante na intervençáo com os aspectos miofuncionais orofaciais, a fim de que por meio de tais inferências possamos promover mais e melhor qualidade de vida a esses sujeitos.
Palavras-Chave: Fonoaudiologia; Síndrome de Hunter; Alterações

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
16-09-2011
Como Citar
BALDRIGHI, S. E. DE M. Z.; DE BRITO, A. F.; LIMA, J. M.; DE ALCÂNTARA, J. N.; DE SÁ, T. P. L. SÍNDROME DE HUNTER: CORRELAÇÕES CLÍNICAS COM A MOTRICIDADE OROFACIAL. Revista Extensão & Sociedade, v. 2, n. 3, 16 set. 2011.