ANÁLISE NASOFARINGOSCÓPICA DO FECHAMENTO VELOFARíNGEO: COMPARAÇÃO ENTRE VELOPLASTIA INTRAVELAR E RETALHO FARÍNGEO NA CORREÇÃO DA INSUFICIÊNCIA VELOFAR͍NGEA

  • Rafaeli Higa Scarmagnani
  • Daniela Aparecida Barbosa
  • Daniela Jovel Modolo
  • Ana Paula Fukushiro
  • Renata Paciello Yamashita

Resumo


Dentre as técnicas cirúrgicas empregadas na correçáo da insuficiência velofaríngea (IVF) estáo o retalho faríngeo (RF) e a palatoplastia posterior secundária com veloplastia intravelar (VI). O RF cria uma obstruçáo mecânica na nasofaringe unindo o palato à parede posterior da faringe. A VI, por sua vez, reposiciona a musculatura do palato mole, melhorando a funçáo velofaríngea, sem incidir em prejuízos às vias aéreas superiores, os quais sáo comuns após o RF. Por ser considerado um procedimento mais fisiológico, recomenda-se que a VI seja utilizada como uma primeira opçáo no tratamento da IVF, de tal modo que, mesmo os pacientes que necessitem futuramente do RF, possam apresentar uma condiçáo velofaríngea mais favorável, evitando, por exemplo, a indicaçáo de um retalho muito largo, e seus efeitos nocivos às vias aéreas superiores. Objetivos: Este estudo preliminar pretendeu investigar se pacientes submetidos à VI e posteriormente ao RF apresentam melhores resultados no fechamento velofaríngeo do que pacientes submetidos a um único procedimento cirúrgico, o RF. Métodos: Foram analisados os resultados da nasofaringoscopia, de 24 indivíduos com fissura de palato reparada submetidos à correçáo da IVF há 15 meses, em média, sendo 12 submetidos à palatoplastia posterior secundária com veloplastia intravelar e, posteriormente, ao retalho faríngeo (grupo VI+RF) e, 12 pacientes submetidos à cirurgia de retalho faríngeo (grupo RF). Considerou-se para análise, a classificaçáo do fechamento velofaríngeo aferida durante a emissáo da sílaba /pa/ e de sentenças contendo fonemas plosivos e fricativos.
Resultados: Verificou-se no grupo VI+RF, 67%, 25% e 42% dos pacientes com fechamento velofaríngeo completo na emissáo de /pa/, sentenças com plosivas e sentenças com fricativas, respectivamente. No grupo RF, as proporções de pacientes com fechamento velofaríngeo completo foram de 33%, 17% e 17%, respectivamente, para a emissáo de /pa/, sentenças com plosivas e sentenças com fricativas. Conclusáo: Os achados preliminares do presente estudo nos permitem concluir que, pacientes submetidos ao RF precedido da VI, apresentaram melhores resultados quanto ao fechamento velofaríngeo, quando comparados aos pacientes submetidos unicamente ao RF, comprovando a hipótese de que o reposicionamento da musculatura do palato, por meio da VI, pode favorecer tratamentos cirúrgico posteriores.
Palavras-Chave: Nasofaringoscopia; Insuficiência velofaríngea; Fissura de palato; Veloplastia intravelar; Retalho velofaríngeo

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
16-09-2011
Como Citar
SCARMAGNANI, R. H.; BARBOSA, D. A.; MODOLO, D. J.; FUKUSHIRO, A. P.; YAMASHITA, R. P. ANÁLISE NASOFARINGOSCÓPICA DO FECHAMENTO VELOFARíNGEO: COMPARAÇÃO ENTRE VELOPLASTIA INTRAVELAR E RETALHO FARÍNGEO NA CORREÇÃO DA INSUFICIÊNCIA VELOFAR͍NGEA. Revista Extensão & Sociedade, v. 2, n. 3, 16 set. 2011.