AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DA FORÇA DE INCISÃO EM INDIVÍDUOS COM DTM

  • Gerlane Karla Bezerra Oliveira Nascimento
  • Laudicéia Marques de Santana Lima
  • Leilane Maria de Lima
  • Síntia Ribeiro
  • Daniele Andrade da Cunha
  • Hilton Justino da Silva

Resumo


Introduçáo: A força de mordida, um dos componentes da funçáo mastigatória, é exercida pelos músculos elevadores da mandíbula e regulada pelos sistemas nervoso, muscular, esquelético e dentário. Sua quantificaçáo pode ser realizada com o auxílio de células de carga que ao sofrerem deformidade (mordida) promovem variaçáo ôhmica em seu sensor ou strain gages, gerando um potencial elétrico equivalente a força aplicada em quilograma-força (Kgf). A quantificaçáo desse componente da mastigaçáo pode auxiliar no diagnóstico e terapêutica das funções e distúrbios do Sistema Estomatognático. Estudos com células de carga revelaram que as médias de força máxima encontradas na mordida humana, em indivíduos sem Disfunçáo Temporomandibular (DTM), é de aproximadamente 32±12 Kgf. Os dentes molares apresentam força máxima de aproximadamente 88 Kgf em homens e 69 Kgf em mulheres, já os incisivos alcançam a força máxima de 28 Kgf para homens e 22 Kgf para mulheres. Objetivo: Verificar os valores de força incisáo em voluntários com e sem alterações em articulaçáo temporomandibular (ATM). Método: O estudo contou com a participaçáo de quatro voluntárias do gênero feminino e idades entre 24 e 26 anos, sendo duas com DTM e duas sem queixas ou sinais de alterações em ATM. Foi verificada a força de incisáo de cada uma das voluntárias através da utilizaçáo de uma célula de carga posicionada entre os incisivos centrais. Solicitou-se que a voluntária realizasse três incisões com duraçáo de cinco segundos cada e intervalo entre elas de dez segundos. Dos três valores obtidos (em Kgf) foi retirada a média aritmética para análise dos resultados. Resultados: O valor médioencontrado nas incisões dos indivíduos sem queixas de DTM foi 44,1Kgf enquanto que as voluntárias com DTM apresentaram média igual a 14,5Kgf. Conclusáo: A presença de DTM pode ter influenciado o rebaixamento da força de mordida.
Palavras-Chave: Incisáo;Transdutor de força; Mordida

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
22-09-2011
Como Citar
NASCIMENTO, G. K. B. O.; LIMA, L. M. DE S.; LIMA, L. M. DE; RIBEIRO, S.; CUNHA, D. A. DA; SILVA, H. J. DA. AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DA FORÇA DE INCISÃO EM INDIVÍDUOS COM DTM. Revista Extensão & Sociedade, v. 2, n. 3, 22 set. 2011.