RELAÇÃO ENTRE TEMPO DE ALEITAMENTO MATERNO E CARACTERÍSTICAS SÓCIO-ECONÔMICAS DAS MÃES

  • Aline Prade Neu
  • Ana Paula Blanco-Dutra
  • Ana Maria Toniolo da Silva
  • Camila Mulazzani Maria
  • Angela Ruviaro Busanello-Stella

Resumo


As campanhas de incentivo ao aleitamento materno destacam-se como ações importantes de promoçáo e proteçáo da saúde infantil, contribuindo para o aumento dos índices de amamentaçáo em nosso país. Entretanto, apesar de ser recomendado o aleitamento materno exclusivo até os seis meses e complementado até os dois anos, muitas máes deixam de amamentar seus filhos antes disto, o que pode ter relaçáo com o nível socioeconômico e o grau de escolaridade. Objetivo: Relacionar o tempo de aleitamento materno e as características socioeconômicas das máes. Métodos: O levantamento de dados foi realizado através de questionários, distribuídos às máes de alunos de Escolas Municipais de Agudo/RS. Consideraram-se as informações do tempo de aleitamento materno, da escolaridade da máe e da renda familiar de 141 questionários. Os dados coletados foram analisados descritivamente. Resultados: Dos 141 questionários, verificou-se que 22 (15,6%) crianças náo receberam aleitamento materno, 88 (62,4%) receberam até 2 anos de idade e 31 (22,0%) receberam além de 2 anos. Considerando-se as máes que náo amamentaram seus filhos, observou-se que o grau de escolaridade da maioria (13 máes ou 59,1%) era ensino fundamental incompleto e a renda mensal em salários mínimos da maioria (8 máes ou 36,4%) era entre meio e um salário mínimo. Considerando-se as máes que ofertaram aleitamento materno até 2 anos de idade, observou-se que o grau de escolaridade da metade destas (44 máes) era ensino fundamental incompleto e a renda mensal em salários mínimos foi de 31,8% (28 máes) para 1 a 2 salários, seguida de 29,6% (26 máes) para meio até 1 salário. Considerando-se as máes que ofertaram aleitamento materno além dos 2 anos, observou-se que o grau de escolaridade de 58,1% (18 máes) era ensino fundamental incompleto e a renda mensal em salários mínimos era de 29,0% (9 máes) para 2 a 3 salários, seguida de 22,6% (7 máes) para 1 a 2 salários. Conclusáo: Verificou-se que, nesse estudo, a escolaridade da máe náo influenciou o tempo de aleitamento materno. Porém, percebeu-se que famílias cujas máes amamentaram seus filhos por menos tempo apresentaram renda mensal mais baixa.
Palavras-Chave: Aleitamento materno. Escolaridade. Renda.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
21-09-2011
Como Citar
NEU, A. P.; BLANCO-DUTRA, A. P.; SILVA, A. M. T. DA; MARIA, C. M.; BUSANELLO-STELLA, A. R. RELAÇÃO ENTRE TEMPO DE ALEITAMENTO MATERNO E CARACTERÍSTICAS SÓCIO-ECONÔMICAS DAS MÃES. Revista Extensão & Sociedade, v. 2, n. 3, 21 set. 2011.