FORÇA DE LÍNGUA: ESTABILIDADE DURANTE A CONTRAÇÃO SUSTENTADA

  • Amanda Freitas Valentim
  • Renata Maria Moreira Moraes Furlan
  • Tatiana Vargas de Castro Perilo
  • Andréa Rodrigues Motta
  • Márcio Falcão Santos Barroso
  • Estevam Barbosa de Las Casas
  • Cláudio Gomes da Costa

Resumo


A força da língua é importante para a execuçáo adequada das funções orofaciais. A avaliaçáo instrumental desta força fornece várias informações, como a estabilidade da contraçáo. Objetivo: Analisar a estabilidade da força da língua mediante contraçáo sustentada em indivíduos com tensáo de língua normal e alterada. Métodos: Pesquisa realizada com 10 indivíduos, homens e mulheres, com idades entre 19 e 53 anos. Cinco destes apresentavam tensáo adequada de língua na avaliaçáo clínica e cinco, grave diminuiçáo da tensáo lingual, tendo sido os dois grupos pareados por idade, sexo e índice de massa corporal. A avaliaçáo instrumental da força lingual foi realizada utilizando-se o Forling, um aparelho desenvolvido pelo Grupo de Engenharia Biomecânica da UFMG. Foram realizadas duas medições de cada participante e analisados força máxima e estabilidade, calculada por meio do coeficiente de variaçáo (CV) em três segmentos distintos do tempo de mediçáo: no início, na metade e no final do teste com duraçáo de três segundos cada um. Quanto menor o CV, maior é a homogeneidade dos dados, ou seja, mais estável é o segmento. Resultados: Indivíduos com grave diminuiçáo da tensáo lingual apresentaram menores valores de força máxima (média de 4,87 N) e maior instabilidade (CV médio de 0,382) do que indivíduos com tensáo de língua adequada (média da força máxima de 23,40 N e CV médio de 0,152). Em relaçáo aotrecho mais estável, verificou-se que, em indivíduos com tensáo adequada de língua, o trecho mais estável foi o do meio para todos os sujeitos e nos indivíduos com grave diminuiçáo da tensáo lingual foi o trecho final para quatro dos cinco indivíduos. O coeficiente de variaçáo médio para o grupo com tensáo normal foi de 0,090; 0,062 e 0,088 para os momentos início, meio e fim respectivamente, enquanto para o grupo com grave diminuiçáo da tensáo, nos mesmos segmentos foi de 0,189; 0,396 e 0,193, que sáo valores maiores e mais discrepantes entre si. Conclusáo: Indivíduos com grave diminuiçáo da tensáo lingual apresentaram maior instabilidade de força de língua.
Palavras-Chave: Força muscular. Instrumentaçáo. Língua.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
21-09-2011
Como Citar
VALENTIM, A. F.; FURLAN, R. M. M. M.; PERILO, T. V. DE C.; MOTTA, A. R.; BARROSO, M. F. S.; DE LAS CASAS, E. B.; DA COSTA, C. G. FORÇA DE LÍNGUA: ESTABILIDADE DURANTE A CONTRAÇÃO SUSTENTADA. Revista Extensão & Sociedade, v. 2, n. 3, 21 set. 2011.