INTERVENÇÃO FONOAUDIOLÓGICA NA PARALISIA DOS NERVOS ABDUCENTE E OCULOMOTOR

  • Soledade C. Torreão da S. Santiago
  • Patrícia de Cássia Faro Jaeger
  • Aganeide Castilho Palitot

Resumo


O presente estudo tem como proposta relatar o trabalho fonoaudiológico com paciente acometido por paralisia dos nervos óculo-motor (III par craniano) e abducente (XI par craniano). A paralisia compromete o tracto córtico-espinhal (hemiparesia do lado oposto) e as fibras do nervo oculomotor (paralisia dos músculos retos superior, inferior e medial, diplopia, estrabismo divergente, ptose palpebral – queda da pálpebra, midríase – inervaçáo parassimpática lesada. A intervençáo fonoaudiológica utilizou procedimentos de relaxamento da regiáo cervical, soltura da calota craniana e músculos da face. As manobras utilizadas foram específicas para cada regiáo: crioterapia, drenagem linfática, pontos motores da face, alongamentos, exercícios dinâmicos, estáticos e de contra-resistência para adequaçáo das funções prejudicadas, mais especificamente, abrir, manter o olho aberto e piscar. Objetivo: Reabilitar os nervos lesados e funções musculares orbitais, através da terapia fonoaudiológica com base na motricidade orofacial. Procedimentos: Paciente do gênero masculino, 68 anos, cirurgiáo-dentista, após incidente com o ácido paramonoclorofenol, utilizado no tratamento endodôntico. Durante o procedimento odontológico, a turbina de alta rotaçáo fez com que o ácido citado, respingasse na bochecha direita. Após duas horas, ocorreu edema e hiperemia infra-orbital direita e paralisia dos nervos óculo-motor e abducente do lado acometido. Na consulta oftalmológica, foi diagnosticado estrabismo e aumento da pressáo intra-ocular do olho direito, sendo o paciente encaminhamento para avaliaçáo neurológica e cardiológica. Após avaliações médicas, prognóstico de 6 meses para recuperaçáo das estruturas comprometidas e provável intervençáo cirúrgica de blefaroplastia, deu-se início a intervençáo fonoaudiológica. Após a anamnese foi realizada avaliaçáo da funçáomuscular das estruturas orofaciais, expressões faciais, funções estomatognáticas, medidas faciais com o paquímetro, fotos e filmagens. Foram realizados procedimentos de relaxamento da regiáo cervical, soltura da calota craniana e músculos da face. As manobras utilizadas foram específicas para cada regiáo: crioterapia, drenagem linfática, pontos motores da face, alongamentos, exercícios dinâmicos, estáticos e de contra-resistência para adequaçáo das funções prejudicadas, mais especificamente, abrir, manter o olho aberto e piscar. Resultados: Após adequaçáo da força muscular da regiáo dos olhos, trabalhou-se a suavizaçáo das rugas de expressáo decorrentes da idade, exacerbadas pela paralisia. O paciente recebeu alta após 65 dias de intervençáo fonoaudiológica. Conclusáo: A terapia fonoaudiológica com base na motricidade orofacial mostrou-se imprescindível e eficaz, na reabilitaçáo da paralisia dos nervos abducente e óculo-motor sem intervençáo cirúrgica e num período de tempo menor que o esperado para o caso.
Palavras-Chave: Paralisia. Reabilitaçáo. Nervos cranianos, Motricidade orofacial.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
22-09-2011
Como Citar
SANTIAGO, S. C. T. DA S.; JAEGER, P. DE C. F.; PALITOT, A. C. INTERVENÇÃO FONOAUDIOLÓGICA NA PARALISIA DOS NERVOS ABDUCENTE E OCULOMOTOR. Revista Extensão & Sociedade, v. 2, n. 3, 22 set. 2011.