CORPO EM TEMPOS DE ISOLAMENTO: Reflexões e Experimentos Artísticos
v. 3 n. 2 (2020)

CORPO EM TEMPOS DE ISOLAMENTO: Reflexões e Experimentos Artísticos

 

Dossiê do Teatro Potiguar, Potiguar Theater Dossier: 10 anos do grupo Arkhétypos.
v. 3 n. 1 (2020)

O Dossiê temático Arkhétypos Grupo de Teatro: 10 anos de Pesquisa buscou receber artigos, resenhas de livros e de espetáculos que tivessem relação com as produções, artística, pedagógicas e científicas decorrentes das pesquisas desenvolvidas no Grupo. O Arkhétypos é um Grupo de Teatro da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), vinculado ao Departamento de Artes, do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes. É coordenado por Robson Haderchpek, professor da Licenciatura em Teatro e do Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da UFRN, e composto por estudantes e docentes desses cursos, além de contar com colaboradores de áreas afins.
Desde sua criação, em 2010, o Grupo atua nas áreas da pesquisa e da extensão, desenvolvendo processos criativos e produzindo espetáculos teatrais que almejam estabelecer proximidade na relação entre a sociedade e o meio acadêmico. Ao longo desses 10 anos de existência o Grupo Arkhétypos produziu onze espetáculos, tendo sido tema de cinco projetos de pesquisa, dezessete trabalhos de conclusão de curso, sete dissertações de mestrado, uma tese de doutorado, e três pesquisas de pós- doutorado, além de também ser tema de dois livros, três capítulos de livro e doze artigos científicos. O Grupo Arkhétypos trabalha na perspectiva do Teatro Ritual e as atividades desenvolvidas no Grupo são norteadas por uma metodologia de caráter empírico buscando valorizar ações de diálogo entre as produções acadêmicas e a sociedade local. O projeto, de natureza interdisciplinar, busca também criar um espaço de troca e de reflexão a partir do diálogo entre o teatro, a dança a música e as artes visuais Em novembro de 2019 aconteceu o primeiro “SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE
PESQUISA DO GRUPO ARKHÉTYPOS” reunindo pesquisadores de várias partes do Brasil, da Áustria e do México em seis mesas temáticas: Olhares sobre a Criação; Corpo, Jogo e Cultura Popular; Pedagogias da Cena; Diálogos Cenográficos; Afetos, Encontros e Sentidos; e Debates Decoloniais. O evento teve como principal objetivo promover um encontro entre pesquisadores que participaram dos processos de criação do Grupo Arkhétypos e organizar um material teórico específico sobre o tema.

Pam Dutra, na Performance Bálsamo, 2017 DEART UFRN  foto de Bárbara Borges
DOSSIÊ Virada Afetiva
v. 2 n. 3 (2019)

Uma quantidade considerável de autores está construindo uma teoria dos afetos. Os proponentes da "virada" para o afeto localizam-se no nexo de vários vetores intelectuais. A própria história da arte vem sendo alvo de diferentes pontos de vista que enfrentam as questões contemporâneas sob a perspectiva dos afetos.

PERFORMANCES NEGRAS
v. 2 n. 2 (2019)

Performances negras é o tema da quarta edição da Revista Manzuá, parece estar havendo no atual cenário do teatro a ocorrência marcante do corpo negro. As performances negras vêm ganhando outras escrituras, como a produção de Ayrson Heráclito. Sua obra provoca novos circuitos temporais e estéticos. Surge a possibilidade de visibilidade. As performances negras contemporâneas produzidas longe das capitais. Vozes vindas de um fora, ressoam preconceitos e paranoias. Como lidar com esta produção de indivíduos vistos como subalternos, que convivem com broncas, chamadas, ironias: convivem com os apagamentos.

Autor da imagem: Diogo Moreira
Corpos Pol´ˆíticos/ Political Bodies
v. 2 n. 1 (2019)

A terceira edição da Manzuá: Revista de Pesquisa em Artes Cênicas tem como eixo temático os Corpos Políticos.Como apontam os estudos atuais, os Corpos Políticos são aqueles atravessados em suas individualidades por afetos que tangem `a coletividade: medo e desamparo, por exemplo. Esta circuitação afetiva dos corpos afirma instituições e modelos sociais que, no presente contexto, operam forças exploratórias de poder. As políticas internacionais, os grandes acordos financeiros, as religiões, o pensamento patriarcal etc. agem como categorias fortes sobre corpos em apagamento.

The third edition of Manzuá: Journal of Research in Performing Arts has as its thematic axis the Political Bodies. As the current studies point out, Political Bodies are those crossed in their individualities by affections that put it on the collective: fear and helplessness, for example. This affective circuit of bodies affirms social institutions and models that, in the present context, operate exploratory forces of power. International policies, major financial agreements, religions, patriarchal thinking, etc. act as strong categories on erasing bodies.

Deslocamentos e Implicações Coloniais
v. 1 n. 2 (2018)

O segundo número da revista Manzuá (ISSN: 2595-4024) tem como tema Deslocamentos e Implicações Coloniais. Nesta edição, a revista busca textos e reflexões conceituais e estéticas promovidas pelos deslocamentos produzidos pelas novas políticas coloniais, bem como críticas e documentações acerca de trabalhos em Artes Cênicas que se reconheçam implicados nesta discussão. 

Imagem da capa: Frank de Oliveira