Afastemos o Padre da Polí­tica! A despolitização do clero brasileiro durante o Segundo Império

Autores

  • Ítalo Domingos Santirocchi

Palavras-chave:

Catolicismo, Império, Clero, Polí­tica, Ultramontanismo

Resumo

A politizaçáo do clero brasileiro, a partir da metade do século XVIII, transformou esta classe em uma potencial ameaça a estabilidade do Estado. A constante participaçáo de clérigos em revoluções e sedições, do final do século XVIII até 1842, levou o governo imperial a implementar uma política de despolitizaçáo do clero. A intensificaçáo da participaçáo política da classe clerical, também gerava imensos transtornos para a Igreja, pois os seus ministros, ao se envolverem na política partidária, na maioria das vezes se esqueciam de seus compromissos espirituais e eclesiásticos, favorecendo o nascimento de correntes heterodoxas como o liberalismo eclesiástico liderado pelo padre Feijó. Este texto apresentará as medidas tomadas pelo governo e pelos bispos ultramontanos que objetivavam afastar o clero dos movimentos sediciosos e da política partidária. Deve-se ter presente, porém, que as medidas para a reforma disciplinar do clero, implementadas pelos bispos ultramontanos, iam além desta questáo em si. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

06-08-2011

Como Citar

SANTIROCCHI, Ítalo D. Afastemos o Padre da Polí­tica! A despolitização do clero brasileiro durante o Segundo Império. Mneme - Revista de Humanidades, [S. l.], v. 12, n. 29, 2011. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/mneme/article/view/1015. Acesso em: 30 maio. 2024.