As edições clima (1978-1997) e suas condições de enunciação: considerações sobre funções discursivas e amizade

Autores

  • Cellina Rodrigues Muniz UFRN

Resumo

Este artigo apresenta algumas considerações sobre um aspecto das condições de enunciação da CLIMA, editora que funcionou na cidade de Natal entre os anos de 1978 e 1997 sob o comando do jornalista, livreiro e editor Carlos Lima (1943-1997). Durante sua existência, a editora CLIMA publicou 195 títulos de autores norte-rio-grandenses, sendo, assim, um dispositivo fundamental na cultura livresca e literária local. Como recorte de uma pesquisa maior em andamento e com base em entrevistas semiestruturadas, relatos da imprensa e informações paratextuais (GENETTE, 2009) das edições, o objetivo do artigo é refletir sobre o exercício das formas-sujeito (FOUCAULT, 1995) atuantes no campo discursivo editorial a partir de um aspecto: a amizade. Compreendida como uma das muitas formas da cultura de si (FOUCAULT, 2005), a amizade pode ser compreendida como um dos ritos genéticos (MAINGUENEAU, 2001) que possibilitaram a emergência discursiva das edições CLIMA.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cellina Rodrigues Muniz, UFRN

Licenciada em Letras, Mestre em Linguística e Doutora em Educação com pós-doutorado em Linguística. Professora Adjunta do Departamento de Letras (DLET-CCHLA-UFRN) e do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem (PPgEL-UFRN).

Downloads

Publicado

02-02-2024

Como Citar

MUNIZ, C. R. As edições clima (1978-1997) e suas condições de enunciação: considerações sobre funções discursivas e amizade. Mneme - Revista de Humanidades, [S. l.], v. 24, n. 47, 2024. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/mneme/article/view/34749. Acesso em: 19 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos