Modalidade deôntica e construção argumentativa nas Cartas Apostólicas do Papa Francisco

uma análise semântico-discursiva da deonticidade

Palavras-chave: Modalidade, Argumentação, Deonticidade

Resumo

Neste artigo, buscamos investigar os aspectos semântico-discursivos da modalidade deôntica nas Cartas Apostólicas do Papa Francisco redigidas em língua espanhola entre os anos de 2013 e 2019. Para isso, recorremos a tipologia das modalidades de Hengeveld (2004), que define a modalidade deôntica como aquela que é relativa ao que é legalmente, socialmente e moralmente aceito em termos de regras e conduta social. A partir da leitura e análise do corpus, constatamos que o sujeito semântico tende a ser mais especificado [+ específico], cuja orientação modal mais recorrente foi para o Participante, em que lhe recaia a obrigação, permissão ou proibição de (não) realizar o evento descrito pelo predicado. Averiguamos que os estados-de-coisas, sobre os quais incidiam os valores modais deônticos, em sua maioria, o de obrigação, mostraram-se, majoritariamente, dinâmicos [+ dinâmico] e com polaridade positiva, isto é, sem a anteposição de alguma partícula de negação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Silva Oliveira, Universidade Federal do Ceará (UFC)

Graduado em Letras-Espanhol pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Especialista em Retórica e Argumentação pela Universidade de Araraquara (UNIARA). Mestre em Linguística pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Doutorando em Linguística pela Universidade Federal do Ceará (UFC) e bolsista CAPES, atuando em pesquisas na linha de Descrição e Análise Linguística, especificamente em estudos voltados para a descrição e análise da língua espanhola desde uma perspectiva funcionalista.

Publicado
18-08-2020
Como Citar
OLIVEIRA, A. S. Modalidade deôntica e construção argumentativa nas Cartas Apostólicas do Papa Francisco. Revista Odisseia, v. 5, n. 2, p. p. 39-58, 18 ago. 2020.
Seção
Várias