As porosidades do campo literário nacional: a emergência da literatura pós-Holocausto no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/1983-2435.2020v5nEspecialID23097

Palavras-chave:

Emergência. Campo literário. Literatura pós-Holocausto. Memória multidirecional.

Resumo

Neste artigo, que dialoga com as ideias centrais da pesquisa de doutorado concluída por mim em 2020, proponho pensar a literatura brasileira pós-Holocausto como uma literatura emergente dentro do campo literário do Brasil. A emergência, conceituada como um potencial e um ato de ruptura, tem sido condicionada pela pesquisa teórico-crítica que viu a literatura em questão como marginalizada, étnica e alheia às realidades brasileiras. Para superar tal confinamento, contextualizo-a como um conjunto literário autônomo e heterogêneo que irrompe as fronteiras entre as noções da literatura brasileira, da literatura judaica e da literatura do Holocausto. Além disso, como uma característica particular e um parâmetro primário da sua emergência, chamo atenção à presença de memórias entrelaçadas de várias histórias de violência que provocam uma reflexão acerca de novas maneiras de rememoração no Brasil pós-ditatorial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joanna Moszczynska, Universität Regensburg

Assistente de pesquisa (Pós-doutorado) no Centro de Estudos da Área Internacional e Transnacional (CITAS) da Universidade de Regensburg – Alemanha.

Downloads

Publicado

20-12-2020

Como Citar

MOSZCZYNSKA, J. As porosidades do campo literário nacional: a emergência da literatura pós-Holocausto no Brasil. Revista Odisseia, [S. l.], v. 5, n. Especial, p. 85–105, 2020. DOI: 10.21680/1983-2435.2020v5nEspecialID23097. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/odisseia/article/view/23097. Acesso em: 25 maio. 2024.