Reconhecimento de padrões de orações passivas por meio de Mapas Auto-organizáveis

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/1983-2435.2023v8n1ID32258

Palavras-chave:

Orações passivas, Gramática Sistêmico-Funcional, Rede Neural de Mapas Auto-organizáveis

Resumo

O presente artigo busca lançar as bases para o desenvolvimento de um
modelo descritivo capaz de distinguir, por intermédio da Rede Neural de Mapas
Auto-organizáveis (Rede SOM), as diversas configurações que as orações passivas
formadas com verbo auxiliar ser + particípio passado do verbo principal assumem
em contextos específicos de interação. As 220 orações constitutivas do corpus
foram alocadas, pela Rede SOM, em 46 neurônios, que representam diferentes
exemplares de orações passivas, considerando, concomitantemente, as classes dos
oito parâmetros selecionados por esta pesquisa. Esses 46 exemplares refletem, de
forma bastante criteriosa, as variações das orações passivas em termos de
configurações gramatical e pragmático-discursiva, considerando o aparato teórico da
Gramática Sistêmico-Funcional. A definição do número ótimo de grupos possibilitou,
ainda, a depreensão dos dados a partir de, basicamente, três importantes
agrupamentos, que retratam os principais significados evocados pelas orações
passivas no âmbito das 102 notícias jornalísticas analisadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gesieny Laurett Neves Damasceno, Universidade Federal do Espírito Santo

Possui doutorado em Letras Vernáculas (Língua Portuguesa) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ (2012 - 2016), mestrado em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal do Espírito Santo - UFES (2009 - 2011) e graduação em Língua Portuguesa e Literatura de Língua Portuguesa pela Universidade Federal do Espírito Santo - UFES (2004 - 2008). Atua, principalmente, nos seguintes temas: Gramática da Língua Portuguesa, Funcionalismo Linguístico, Gramática Sistêmico-Funcional. É professora Adjunta do Departamento de Línguas e Letras da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e Professora Permanente do Programa de Pós-Graduação em Linguística da mesma universidade. 

Violeta Virginia Rodrigues, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Possui graduação em Português-Literaturas (1990), Especialização em Literatura Infanto-Juvenil (1991), Mestrado em Letras Vernáculas (1994) e Doutorado em Letras Vernáculas (2001) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Fez estágio Pós-Doutoral (de 01 de agosto 2012 a 10 de abril de 2013 e de 07 de março a 07 de dezembro de 2019) sob supervisão da Professora Doutora Maria Beatriz Nascimento Decat (FALE / POS-LIN / UFMG). Atualmente é professor titular da Universidade Federal do Rio de Janeiro, integrando o quadro de docentes permanentes do Departamento de Letras Vernáculas - Setor de Língua Portuguesa -, atuando nos cursos de Graduação e no Programa de Pós-Graduação em Letras Vernáculas. Tem experiência na área de Letras, atuando principalmente nos seguintes temas: Língua Portuguesa, Sintaxe (Processos sintáticos: Subordinação, Coordenação, Correlação, Justaposição); Funcionalismo (Gramaticalização de conectores; Desgarramento e insubordinação de cláusulas), Ensino de Língua Portuguesa e Redação (correção e avaliação).

Downloads

Publicado

15-06-2023

Como Citar

LAURETT NEVES DAMASCENO, G.; VIRGINIA RODRIGUES, V. Reconhecimento de padrões de orações passivas por meio de Mapas Auto-organizáveis. Revista Odisseia, [S. l.], v. 8, n. 1, p. 36–56, 2023. DOI: 10.21680/1983-2435.2023v8n1ID32258. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/odisseia/article/view/32258. Acesso em: 12 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos