“Cadê o Modes”? Efeitos de sentido no discurso sobre a pobreza menstrual em reportagem da Folha de S. Paulo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/1983-2435.2023v8n1ID32267

Palavras-chave:

Pobreza menstrual, Efeitos de sentido, Discurso neoliberal

Resumo

A pobreza é um fenômeno complexo que atinge milhões de pessoas no mundo. No Brasil, a pobreza menstrual é um aspecto dessa condição, evidenciada por jornais e dividindo opiniões. Trata-se da falta de acesso a produtos, serviços e outros bens sociais, como absorventes, informação, saneamento básico. O estudo teve por objetivo contribuir com a discussão sobre a problemática da pobreza menstrual e a existência de políticas sociais no contexto do neoliberalismo. Utilizamos o recorte de uma reportagem da Folha de S. Paulo. Com base nos dispositivos teórico-analíticos da Análise do Discurso pecheutiana, demonstramos que, em se tratando da pobreza menstrual, há um longo caminho a percorrer na luta das mulheres para o alcance de direitos sociais no contexto neoliberal. Tal problemática dá a ver o quanto o Estado, em governo recente, ausenta-se do atendimento aos interesses da classe trabalhadora, silenciando as causas da pobreza menstrual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisca Maria Nunes da Silva, Universidade Federal de Alagoas

Doutorado em andamento pelo Programa de Pós-Graduação em Linguística e Literatura (PPGLL/UFAL). Mestre em Ciências da Saúde (PPGCS/UFAL). Especialista em Educação para Saúde (UNCISAL) e em Gestão em Saúde Pública (FACEAR). Graduada em Enfermagem (UFAL). Professora Adjunta nos cursos de Enfermagem e de Medicina da UFAL, Campus Arapiraca nas disciplinas Epidemiologia e Bioestatística, Saúde e Sociedade, Saúde Coletiva, Metodologia do Ensino Aplicada à Enfermagem e no Eixo Integração Ensino, Serviço e Comunidade. Tem experiência na área de Enfermagem em Saúde Pública. Integrante dos Grupos de Estudo: Trabalho, Ser Social e Enfermagem - GETSSE/CNPq e Grupo de Estudo em Análise do Discurso - GrAD/CNPq.

Sóstenes Ericson Vicente da Silva, Universidade Federal de Alagoas

Estágio Pós-Doutoral em Linguística (IEL/UNICAMP); Doutor em Letras e Linguística/Análise do Discurso (PPGLL/UFAL); Mestre em Serviço Social (PPGSS/UFAL); Especialista em Formação para a Docência do Ensino Superior (CESMAC-AL); Graduado em Enfermagem (FENSG/UPE); Graduado em Letras - Licenciatura Plena, com habilitação em Língua Inglesa e suas respectivas Literaturas (UNEAL). Graduado em Pedagogia pelo Centro Universitário INTA (UNINTA/CE). Atualmente, Professor Adjunto IV do Curso de Enfermagem da UFAL, vinculado ao Grupo de Saúde Coletiva, atuando principalmente nos seguintes temas: Análise do Discurso; Trabalho, História e Atuação da Enfermagem; Discurso, Gênero e Enfermagem. Professor Permanente do Programa de Pós-Graduação em Linguística e Literatura (PPGLL/UFAL). Pesquisador Colaborador do Instituto de Estudos da Linguagem (IEL/UNICAMP, 2016-2017). Líder 1 do Grupo de Estudo Trabalho, Ser Social e Enfermagem - GETSSE/CNPq. Líder 2 do Grupo de Estudo em Análise do Discurso - GrAD/CNPq. Membro do Centro de Pesquisa Política, Enunciação, História, Materialidades, Sexualidades - PoEHMaS/IEL/UNICAMP. Membro Honorário da Academia Canindeense de Letras e Artes (ACLA), desde 2018. Membro Efetivo da Academia Arapiraquense de Letras e Artes (ACALA), desde 2019, ocupando a cadeira nº 2. Vice coordenador do Curso de Bacharelado em Enfermagem - UFAL/Campus Arapiraca (2018-2020). Coordenador do Curso de Bacharelado em Enfermagem - UFAL/Campus Arapiraca (desde 2020). Coordenador do Núcleo Docente Estruturante (NDE) do Curso de Bacharelado em Enfermagem - UFAL/Campus Arapiraca (2019-2021; 2021-2023). Membro efetivo da Academia Palmeirense de Letras, Ciências e Artes (APALCA), desde 2022, ocupando a cadeira nº 34. Membro da Câmara Técnica de Saúde da Criança do COREn/AL, desde 2022. (Texto informado pelo autor)

Downloads

Publicado

22-06-2023

Como Citar

NUNES DA SILVA, F. M.; ERICSON VICENTE DA SILVA, S. “Cadê o Modes”? Efeitos de sentido no discurso sobre a pobreza menstrual em reportagem da Folha de S. Paulo. Revista Odisseia, [S. l.], v. 8, n. 1, p. 57–74, 2023. DOI: 10.21680/1983-2435.2023v8n1ID32267. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/odisseia/article/view/32267. Acesso em: 12 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos