Tradições e culturas (in) distintas: O entrelugar em Um rio chamado tempo, uma casa chamada terra, de Mia Couto

  • Rosilda Alves Bezerra

Resumo


À luz da teoria literária pós-colonialista, a autora  faz verificar na narrativa do autor “um compêndio de temas recorrentes e motivo reiterativos” por entre mundos em permanentes conflitos, de modo que no universo africano de língua portuguesa, inserido na produção fictícia de Mia Couto, o leitor é capaz  perceber “a imagem de uma nação – Moçambique – e a imagem de uma língua em sua diversidade” num imbricamento entre homem, natureza e sagrado, diversidade que eleva a narrativa à condição de coisas e mundos transitórios e diversos, por meio dos quais se inscrevem identidades em movimentos incessantes

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
08-06-2012
Como Citar
BEZERRA, R. A. Tradições e culturas (in) distintas: O entrelugar em Um rio chamado tempo, uma casa chamada terra, de Mia Couto. Revista Odisseia, n. 8, 8 jun. 2012.
Edição
Seção
Artigos