Novos ecos de um déficit sociológico na teoria crítica [New echoes of a sociological deficit in Critical Theory]

  • Bárbara Buril Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
Palavras-chave: Alienação, Rahel Jaeggi, Teoria crítica

Resumo

Partindo da obra Alienação, da filósofa Rahel Jaeggi, este artigo aponta para um problema que parece embasar a maior parte das críticas internas aos projetos filosóficos da teoria crítica: um déficit sociológico. No diagnóstico da alienação, a filósofa parece justamente negligenciar o aspecto social do que ela mesma considera como uma crítica social de um conceito cujo potencial seria o de apontar fissuras causadas por uma normatividade aparentemente livre de contradições. Assim, o artigo, na primeira parte, se voltará para uma retomada do conceito seguindo a interpretação de Rahel Jaeggi e identificando como o projeto de uma filosofia social falha em suas próprias pretensões. Na segunda parte, este trabalho buscará defender, através de dois casos de alienação específicos trazidos pela filósofa, que não há uma explicação etiológica para os sofrimentos analisados. Em suma, o artigo sintetiza uma inquietação que a obra Alienação não responde: por que as pessoas estão alienadas de si mesmas?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bárbara Buril, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
Mestre em Filosofia pelo Programa de Pós-Graduação em Filosofia da UFPE. Atualmente realiza pesquisa sobre patologias sociais na tradição teórica da teoria crítica, na linha de pesquisa de ética e filosofia política.

Referências

ADORNO, Theodor. Minima Moralia. Lisboa: 70, 2001.

BERLIN, Isaiah. Ideias políticas na era romântica: ascensão e influência no pensamento moderno. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

BRESSIANI, Nathalie. Uma nova geração da teoria crítica. Discurso. v. 46, n.1, 2016, p. 231-249.

DURKHEIM, Émile. As regras do método sociológico. São Paulo: M. Fontes, 2007.

FREYENHAGEN, Fabian. Adorno’s critique of late capitalism. In: SONDEREGGER, Ruth; DE BOER, Karin. (Ed.). Conceptions of critique in modern and contemporary philosophy. Basinsgstoke: Palgrave Macmillan, 2011.

HEGEL, G. W. F. Princípios da filosofia do direito. São Paulo: M. Fontes, 1997.

HONNETH, Axel. O capitalismo como forma de vida fracassada: esboço sobre a teoria da sociedade de Adorno. Política & Trabalho. n. 24, 2006, p. 9-26.

HONNETH, Axel. Reification: a new look at an old idea. New York: Oxford University Press, 2008.

HONNETH, Axel. As enfermidades da sociedade: aproximação a um conceito quase impossível. Civitas. v. 15, n. 4, 2015, p. 575-594.

JAEGGI, Rahel. “No individual can resist”: Minima Moralia as critique of forms of life. Constellations. v. 12, n. 1, 2005, p. 65-82, 2005.

JAEGGI, Rahel. Rethinking ideology. In: ZURN, Christopher F.; DE BRUIJN, Boujdewijn. (Ed.). New Waves in Political Philosophy. Hampshire: Palgrave Macmillan, 2008. p. 63-86.

JAEGGI, Rahel. Alienation. Apres. Axel Honneth. Introd. trad. Frederick Neuhouser. New York: Columbia University Press, 2014.

JAEGGI, Rahel. O que há (se de fato há algo) de errado com o capitalismo? Três vias de crítica do capitalismo. Cadernos de Filosofia Alemã. v. 20, n. 2, 2016, p. 13-36.

MARX, Karl. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo: Boitempo, 2008.

PERSONA. Direção: Ingmar Bergman. Produção: Svensk Filmindustri. Suécia, 1966. 83 min.

ROSA, Hartmut. Alienation and acceleration: towards a critical theory of late modern temporality. Louisiana: NSU Press, 2010.

TAYLOR, Charles. A ética da autenticidade. São Paulo: É Realizações, 2011.

Publicado
16-12-2016
Como Citar
BURIL, B. Novos ecos de um déficit sociológico na teoria crítica [New echoes of a sociological deficit in Critical Theory]. Princípios: Revista de Filosofia (UFRN), v. 23, n. 42, p. 247-274, 16 dez. 2016.