Representação e identidade em Carl Schmitt

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/1983-2109.2022v29n60ID29922

Palavras-chave:

representação, identidade, democracia, imanência, transcendência

Resumo

A questão da representação é central para Carl Schmitt. Em mais de um escrito, tal questão é analisada com detalhes. Além disso, é um tópico recorrente em intérpretes da obra schmittiana. Nosso propósito nesse artigo é voltar à elaboração da noção de representação em Schmitt. Veremos como ele apresenta tal noção, principalmente em sua Teoria da Constituição. A partir da exposição da análise schmittiana, realizaremos uma crítica ao modo como ele elabora tal ideia, apresentando uma maneira distinta de ver a questão: não haveria uma separação entre representação e identidade, como quer Schmitt, mas representação seria ela mesma identidade. A partir dessa crítica, podemos perceber os limites da visão de Schmitt, além de evidenciar os motivos que o levaram a tal noção de representação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BENDERSKY, Joseph. Carl Schmitt. Theorist for the Reich. Princeton: Princeton University Press, 1983.

DOTTI, Jorge. La representación en Carl Schmitt. In: Carl Schmitt hoje: política, direito e teologia. BUENO, Roberto (Org.). São Paulo: Editora Max Limonad, 2015, p.453-477.

DUSO, Giuseppe. La Rappresentanza Politica. Genesi e crisi del concetto. Milano: Franco Angeli, 2003.

FERREIRA, Bernardo. Schmitt, representação e forma política. São Paulo: Lua Nova, n.61, 2004, p.25-51.

GAGNEBIN, Jeanne-Marie. Do conceito de Darstellung em Walter Benjamin ou verdade e beleza. Belo Horizonte: Kriterion, v.46, n.112, Dec. 2005, p.183-190.

GALLI, Carlo. Genealogia della politica. Carl Schmitt e la crisi del pensiero politico moderno. Bologna: Il Mulino, 1996.

HOFMANN, Hasso. Legitimität gegen Legalität: der Weg der politischen Philosophie Carl Schmitts. 4.Aufl., Berlin: Duncker und Humblot, 2002.

MANIN, Bernard. The principles of representative government. Cambridge: Cambridge University Press, 1997.

PASQUINO, Pasquale. Die Lehre vom "pouvoir constituant" bei Emmanuel Sieyès und Carl Schmitt. In: Complexio Oppositorum. Über Carl Schmitt. Berlin: Duncker & Humblot, 1988, p.371-385.

PITKIN, Hanna. The concept of representation. Los Angeles: University of California Press, 1967.

SCHMITT, Carl. Der Begriff des Politischen. Text von 1932 mit einem Vorwort und drei Corollarien. 6. Auflage, 4. Nachdruck der Ausgabe von 1963. Berlin: Duncker & Humblot, 1994.

SCHMITT, Carl. Römischer Katholizismus und politische Form. 2. Auflage. Stuttgart: Klet-Cotta, 1984.

SCHMITT, Carl. Verfassungslehre. 9. Auflage. Berlin: Duncker & Humblot, 2003.

SCHMITT, Carl. The Visibility of the Church: a scholastic consideration. In: SCHMITT, Carl. Roman Catholicism and political form. Connecticut, London: Greenwood Press, 1996, p.45-59.

STRAUSS, Leo. Notes on Carl Schmitt’s The Concept of the Political. In: MEIER, Heinrich. Carl Schmitt & Leo Strauss. The hidden dialogue. Chicago, London: The University of Chicago Press, 1995, p.89-120.

Downloads

Publicado

25-11-2022

Como Citar

CÁSSIO BENJAMIN. Representação e identidade em Carl Schmitt. Princípios: Revista de Filosofia (UFRN), [S. l.], v. 29, n. 60, p. 131–147, 2022. DOI: 10.21680/1983-2109.2022v29n60ID29922. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/principios/article/view/29922. Acesso em: 23 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Carl Schmitt e o pensamento político contemporâneo