Breves notas sobre A paz perpétua: ética, polí­tica e devir

  • Antonio Basílio Novaes Thomaz Menezes

Resumo

Este ensaio se define antes de tudo por um experimento mental: ler A Paz Perpétua com as lentes foucaultianas da problematizaçáo do poder, nos termos de uma “ontologia crítica do presente”. Voltado para uma caracterizaçáo crítica da atualidade na análise da do quadro de desconstruçáo histórica da razáo como avalista da paz e do universal como fim último do projeto iluminista, este ensaio tem por objeto reconstruir o tema da Paz Perpétua, naquilo que ainda o torna possível hoje sob a ótica das relações de poder. Seu objeto contrasta a ideia de um projeto filosófico com a tarefa de um incitamento ao desafio de pensar a letra kantiana fora do seu quadro restrito, transpondo as barreiras da leitura a tarefa de pensar a possibilidade da Paz no mundo contemporâneo.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
23-09-2010
Como Citar
MENEZES, A. B. N. T. Breves notas sobre A paz perpétua: ética, polí­tica e devir. Princípios: Revista de Filosofia (UFRN), v. 16, n. 25, p. 157-169, 23 set. 2010.