Filosofia, Ciência e História

  • Cláudio Ferreira Costa

Resumo

Esse ensaio tematiza a absorcçáo do dominio da imaginacáo filosófica pelo da investigaçáo cientifica, considerando duas maneiras de ver contrastantes: a concepçáo de A. Comte, segundo a qual a metafisica faz parte de um estágio intermediario da evoluçáo do saber situado entre religiáo e ciencia, e a opiniáo de A. Kenny de que ao menos em seus temas centrais a filosofia ha de permanecer para sempre irredutivel a ciencia. Em minha conclusáo favorereço Comte contra Kenny. De um lado, esse ultimo náo consegue apresentar um suporte satisfatório para as suas ideias; de outro, basta uma breve olhada no vertiginoso e cada vez mais abrangente progresso contemporâneo da ciencia, para nos apercebermos de que certas ideias defendidas por Comte merecem reavaliacáo. Ele estava apontando para a direcáo certa, ainda que pudesse enganar-se seriamente quanta as dimensões e a natureza do território a ser percorrido. A novidade desse trabalho náo está, todavia, em seu argumento geral, mas na tentativa de uma analise da natureza dos conceitos metafisicos com base em Comte (secáo 4).

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
03-10-2010
Como Citar
COSTA, C. F. Filosofia, Ciência e História. Princípios: Revista de Filosofia (UFRN), v. 5, n. 06, p. 55-88, 3 out. 2010.