ALEITAMENTO MATERNO NO SISTEMA PENITENCIÁRIO: SENTIMENTOS DA LACTANTE

Autores

  • Angelita Nogueira Medeiros
  • Bruna Mariane Vasconcelos Ferreira Centro Universitário Tabosa de Almeida - ASCES/UNITA
  • Luana Vanessa Ferreira de Azevedo Costa Centro Universitário Tabosa de Almeida - ASCES/UNITA
  • Júlio César Bernardino da Silva Centro Universitário Tabosa de Almeida - ASCES/UNITA
  • Marilia Cruz Gouveia Câmara Guerra Centro Universitário Tabosa de Almeida - ASCES/UNITA
  • Nayale Lucinda Andrade Albuquerque Centro Universitário Tabosa de Almeida - ASCES/UNITA

DOI:

https://doi.org/10.21680/2446-7286.2020v6n1ID18255

Resumo

Introdução: O aleitamento materno é um processo natural de primordial importância para o desenvolvimento saudável do bebê, pois em sua composição disponibiliza todos os nutrientes que favorecem o adequado desenvolvimento biológico e psicológico. No contexto do sistema prisional, vem à tona uma série de estigmas, falta de estrutura, ineficácia de informações e ambiente inapropriado, permitindo a lactante a vivenciar essa prática com múltiplos sentimentos. Objetivo: Compreender os sentimentos das lactantes em situação prisional acerca da amamentação. Método: Estudo descritivo, exploratório, qualitativo, realizado com 08 lactantes reclusas na Colônia Penal Feminina Bom Pastor (CPFBP), no município de Recife, capital de Pernambuco. Foram realizadas entrevistas semi-estruturadas, guiadas pela questão norteadora: Como mãe, quais os sentimentos de amamentar seu(a) filho(a) na prisão?.As falas foram submetidas à análise de conteúdo temática proposta por Bardin e representada seus resultados a partir de categorias. Resultados: A partir da análise dos discursos emergiram as seguintes categorias: Amamentação: meio de prevenção de doenças e de cumprimento do papel de mãe; Desmame precoce no ambiente prisional e processo de separação mãe e filho: dicotomia de sentimentos positivos e negativos e a experiência do amamentar no ambiente prisional e sua correlação com o extramuros. Conclusões: Inúmeros são os sentimentos vivenciados pelas lactantes permeando os extremos de prazer, amor e tristeza e culpa, sendo estes últimos conseguinte a separação da criança completos os seis meses. A ausência de orientações advindas dos profissionais de saúde acentua as dificuldades das mulheres frente ao aleitamento materno.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruna Mariane Vasconcelos Ferreira, Centro Universitário Tabosa de Almeida - ASCES/UNITA

Enfermeira pelo Centro Universitário Tabosa de Almeida ASCES-UNITA

Luana Vanessa Ferreira de Azevedo Costa , Centro Universitário Tabosa de Almeida - ASCES/UNITA

Enfermeira pelo Centro Universitário Tabosa de Almeida ASCES-UNITA

Júlio César Bernardino da Silva , Centro Universitário Tabosa de Almeida - ASCES/UNITA

Graduando em Enfermagem pelo Centro Universitário Tabosa de Almeida ASCES-UNITA

Marilia Cruz Gouveia Câmara Guerra , Centro Universitário Tabosa de Almeida - ASCES/UNITA

Mestre em Enfermagem pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE

Nayale Lucinda Andrade Albuquerque, Centro Universitário Tabosa de Almeida - ASCES/UNITA

Doutoranda em Saúde Integral pelo Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira – IMIP

Downloads

Publicado

25-02-2020

Como Citar

NOGUEIRA, A.; MARIANE VASCONCELOS FERREIRA, B.; VANESSA FERREIRA DE AZEVEDO COSTA , L.; CÉSAR BERNARDINO DA SILVA , J. .; CRUZ GOUVEIA CÂMARA GUERRA , M. .; LUCINDA ANDRADE ALBUQUERQUE, N. . ALEITAMENTO MATERNO NO SISTEMA PENITENCIÁRIO: SENTIMENTOS DA LACTANTE. Revista Ciência Plural, [S. l.], v. 6, n. 1, p. 18–31, 2020. DOI: 10.21680/2446-7286.2020v6n1ID18255. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/rcp/article/view/18255. Acesso em: 19 jun. 2024.