A TELESSAÚDE COMO FERRAMENTA NA EDUCAÇÃO CONTINUADA PARA O DIAGNÓSTICO PRECOCE DO CÂNCER INFANTOJUVENIL
PDF [54-66]

Como Citar

Barros, M., Vicente, D. R., Bushatsky, M., e Silva, D., Coutinho, N., de Morais, V., Diniz, P. R., de Santana, J., Melo, R., & Novaes, M. (2018). A TELESSAÚDE COMO FERRAMENTA NA EDUCAÇÃO CONTINUADA PARA O DIAGNÓSTICO PRECOCE DO CÂNCER INFANTOJUVENIL. Revista Brasileira De Inovação Tecnológica Em Saúde - ISSN:2236-1103, 7(4). https://doi.org/10.18816/r-bits.v7i4.12429

Resumo

RESUMOINTRODUÇÃO: O câncer infantojuvenil vem se apresentando como a segunda causa de óbito na população entre 0 e 19 anos no Brasil, atrás apenas das causas externas. As tecnologias de informação e comunicação, especificamente, a telessaúde, revela-se uma mola propulsora na triagem de suspeitas de neoplasias malignas, além de promover a integração da equipe da atenção primária à saúde e a do centro de referência, diminuindo distâncias, e promovendo educação continuada igualitária.OBJETIVO: Associar os resultados do pré e pós-testes e descrever as teleconsultorias enviadas após a intervenção do projeto FIQUE ATENTO: PODE SER CÂNCER: A telessaúde como ferramenta para a suspeição precoce do câncer infantojuvenil, realizado com profissionais da atenção primária à saúde em Recife-Pernambuco.MÉTODO: Trata-se de um estudo quase-experimental sem grupo controle, descritivo, com abordagem quantitativa. Realizado nos anos de 2015 e 2016, a partir da análise de dados secundários da Plataforma de Telessaúde HealthNET da RedeNutes, do Núcleo de Telessaúde da Universidade Federal de Pernambuco. Utilizou-se o software EpiInfo 7.2 como suporte estatístico para o cálculo das frequências absolutas e relativas, assim como para as medidas de associação. Adotou-se o p-valor menor que 0,05 para o cálculo de significância estatística. O projeto foi aprovado sob o número do CAAE 50707515.7.0000.5208.RESULTADOS: Os profissionais, após a intervenção, mostraram maior desenvolvimento com relação aos conhecimentos obtidos sobre epidemiologia (p<0,001), e sinais e sintomas das neoplasias infantojuvenis (p<0,001). Foram geradas oito teleconsultorias com tempo médio de resposta de 53,32 horas, em que 50% (4) foram casos clínicos e tiveram seus encaminhamentos qualificados, e nenhum precisou ser regulado à unidade de referência.CONCLUSÃO: A telessaúde mostra-se como uma ferramenta com potencial de educação permanente, contribuindo para o diagnóstico precoce do câncer infantojuvenil, aumentando as chances de cura e sobrevida. Palavras-chave: Saúde da Criança; Saúde do Adolescente; Neoplasias; Telessaúde; Atenção primária à saúde.
https://doi.org/10.18816/r-bits.v7i4.12429
PDF [54-66]

Referências

INCA. Particularidades do Câncer Infantil ­ INCA [Internet]. 2015 [cited 2016 Jul 30]. p. 8–9. Available from: http://www.inca.gov.br/conteudo_view.asp?id=343

INCA IN de câncer J de AG da S. Tipos e incidência do câncer infantil [Internet]. 2017 [cited 2017 May 28]. Available from: http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/tiposdecancer/site/home/infantil

Santos D, Echenique I, Teixeira LR. Mortalidade por câncer infantojuvenil: entenda a queda. Rede Câncer [Internet]. 2010;40–1. Available from: http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/bf9362004140c0bfadadade8765d5801/13_artigo.pdf?MOD=AJPERES

American Cancer Society. Can Childhood Cancers Be Prevented? [Internet]. Cancer in children. 2016 [cited 2017 May 28]. Available from: https://www.cancer.org/cancer/cancer-in-children/preventing-childhood-cancers.html

Coeli M, Viana C, Monteiro AI. Team’s performance in... PESQUISA. 2012;4(3):2692–701.

Rodrigues LBB, Silva PC dos S, Peruhype RC, Palha PF, Popolin MP, Crispim J de A, et al. A atencao primaria a saude na coordenacao das redes de atencao: uma revisao integrativa. Cien Saude Colet [Internet]. 2014;19(2):343–52. Available from: http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232014000200343&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Mistério da Saúde. Portaria 2546 de 2011. 2011. p. 11.

Brasil MDS. Comissão Nacional de Ética em Pesquisa. Cons Nac Saúde [Internet]. 2012;1–16. Available from: http://conselho.saude.gov.br/web_comissoes/conep/aquivos/resolucoes/23_out_versao_final_196_ENCEP2012.pdf

Alexandro R, Valentim DM. Batista, araújo, valentim, silva e morais (2014). 2014;33–50.

Souza C, Pimenta D. Videoconferência E Webconferência Na Ead ,. 2014;5–8.

Lucena BE de B, Junior JD, Diniz RVZ. Telessaúde como ferramenta de apoio à atenção primária à saúde: um olhar sobre as teleconsultorias em cardiologia. Rev Bras Inovação Tecnológica em Saúde. 2013;38–47.

Ebserh HUF. NUTES-HC/UFPE lança versão mobile da Plataforma de Telessaúde HealthNet - Detalhes das Notícias - EBSERH [Internet]. Plataforma Healthnet. 2015 [cited 2017 May 28]. Available from: http://www.ebserh.gov.br/web/hc-ufpe/detalhes-das-noticias/-/asset_publisher/7d2qZuJcLDFo/content/id/890043/2016-01-nutes-hc-ufpe-lanca-versao-mobile-da-plataforma-de-telessaude-healthnet

Ministério da Saúde. Portaria 2.488/11. 21 de outubro de 2011; 2011. p. 55.

Tomasi E, Facchini LA, Piccini RX, Thumé E, Da Silveira DS, Siqueira FV, et al. Epidemiological and socio-demographic profile of primary care workers in the South and Northeast of Brazil | Perfil sócio-demográfico e epidemiológico dos trabalhadores da atenção básica à saúde nas regiões Sul e Nordeste do Brasil. Cad Saude Publica. 2008;24(SUPPL. 1):193–201.

Mutti CF, Paula CC de, Souto MD. Assistência à Saúde da Criança com Câncer na Produção Científica Brasileira Health Care of Children With Cancer in the Brazilian Scientific Literature. 2010. 2010;56(1):71–83.

Curvo HRM, Pignati WA, Pignatti MG. Morbimortalidade por câncer infantojuvenil associada ao uso agrícola de agrotóxicos no Estado de Mato Grosso, Brasil. Cad Saúde Coletiva [Internet]. 2013;21(1):10–7. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-462X2013000100003&lng=pt&nrm=iso&tlng=en

Friestino KJO. Estatística Espacial Aplicada aos Estudos de Incidência de Câncer . Spatial Statistic Applied to Incidence Studies of Cancer . Estadística espacial aplicada a los estudios de incidencia de cáncer . 2016;10(2):103–17.

Instituto Nacional de Câncer José de Alencar Gomes da Silva. INCIDÊNCIA , MORTALIDADE E MORBIDADE HOSPITALAR POR CÂNCER EM CRIANÇAS , ADOLESCENTES E ADULTOS JOVENS NO BRASIL : Rio de Janeiro; 2016. 414 p.

INCA. Tipos de câncer infantojuvenil [Internet]. 2016 [cited 2016 Jun 30]. Available from: http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/tiposdecancer/site/home/infantil

Instituto Oncoguia. Sinais e Sintomas dos Tumores Cerebrais / Sistema Nervoso Central em Crianças - Instituto Oncoguia [Internet]. 2017 [cited 2017 May 28]. p. 4. Available from: http://www.oncoguia.org.br/conteudo/sinais-e-sintomas-dos-tumores-cerebrais---sistema-nervoso-central-em-criancas/4112/596/

ABRALE AB de L e L. LINFOMA EM CRIANÇAS - ABRALE [Internet]. Câncer Infantil. 2016 [cited 2017 May 28]. p. 12. Available from: http://www.abrale.org.br/linfoma-infantil/lnh

Ministério da Saúde. Telessaúde Brasil Redes [Internet]. Brasília; 2012. 73 p. Available from: http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/manual_telessaude.pdf

Downloads

Não há dados estatísticos.