DESENVOLVIMENTO REGIONAL DIFERENCIADO NO SERIDÓ BRASILEIRO

Resumo


O objetivo desse artigo é identificar e analisar o grau de desenvolvimento socioeconômico da Mesorregião Diferenciada do Seridó. O procedimento metodológico foi a construção de indicadores de centralidade e disparidade regional com dados de Produto Interno Bruto, população, educação, saúde, renda e emprego.  Com os resultados foi possível identificar um baixo desenvolvimento socioeconômico na região.  Mas, vale destacar que alguns municípios da região obtiveram um desenvolvimento socioeconômico, mesmo que pequeno, mas, não ficaram estagnados no tempo.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Osmar Faustino Oliveira, UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE

Mestre em Desenvolvimento Urbano pela Universidade Federal de Pernambuco (2019). Especialista em Projetos Sociais e Políticas Públicas pela Faculdade de Ciências Humanas Esuda FCHE (2018). Especialista em Mercado de Capitais pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2017). Bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2015). Economista registrado no Conselho Regional de Economia do Rio Grande do Norte (CORECON/RN). Tem experiência na área de Economia, Planejamento Urbano e Regional, Desenvolvimento territorial e Local, Desenvolvimento Econômico, Desenvolvimento Regional e Políticas Públicas. Foi pesquisador do Observatório das Metrópoles (Núcleo Recife) durante o período do mestrado (2017 a 2019). Foi pesquisador voluntário no Grupo de Estudos e Pesquisas em Espaço, Trabalho, Inovação e Sustentabilidade - GEPETIS (2013 a 2015). Como também, foi bolsista de extensão no Laboratório de Estudos Rurais (LabRural) da UFRN (2015). Foi colaborador do projeto:Trabalho Decente nos Sistemas agroalimentares: as relações de trabalho e aspectos tecno-econômicos da produção de melão no Polo Açú-Mossoró-RN (2016). Foi estagiário na empresa Banco do Brasil S/A. Atuando na área administrativa e financeira desta empresa (2013 a 2015). Foi aluno especial do Programa de Pós-graduação em Estudos Urbanos e Regionais (PPEUR) da UFRN (2016). Exerceu a função de professor de Sociologia na Escola Estadual Professora Maria Ocila Bezerril durante o ano letivo (2016 a 2017). Atualmente é pesquisador do Observatório das Metrópoles (Núcleo Natal). Em que atua no projeto: TR Economia Metropolitana e Desenvolvimento Regional: Mudanças da base produtiva e mercado de trabalho. Atualmente é Revisor de periódico da Revista Agenda Política.

Jandir Ferrera de Lima, UNIOESTE

Doutor em Desenvolvimento Regional (Ph.D.) pela Universidade do Québec(UQAC)/Canadá. Mestre em Economia pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e Bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade de Cruz Alta (UNICRUZ). Professor do Mestrado em Economia e do Mestrado e Doutorado em Desenvolvimento Regional e Agronegócio da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE). Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq. Pesquisador do Núcleo de Desenvolvimento Regional e do Grupo de Pesquisas em Desenvolvimento Regional e Agronegócio da UNIOESTE. Pesquisador associado do Grupo de Pesquisas em Intervenção Regional (GRIR) da Universidade do Québec e do Centro de Pesquisas sobre o Desenvolvimento Territorial (CRDT) do Canadá. Foi pesquisador visitante na Bolívia, Canada, Paraguai, Venezuela e Romênia. Dentre os prêmios recebidos se destacam: prêmio de excelência do departamento de Ciências Humanas da Universidade do Québec (Canadá), Economista Acadêmico do Ano (2015), Prêmio Paranaense de Ciência e Tecnologia do Governo do Estado do Paraná (2017), Prêmio Brasil de Economia (2018), Premio Paraná de Economia e Prêmio BRDE de Desenvolvimento, em varias edições; ; Docente Honorifico (2017) da UNITEPC - Bolívia. Pesquisa na área de desenvolvimento regional e humano, com ênfase em economia dos territórios e desigualdades socioeconômicas. Autor de textos e livros científicos publicados no Brasil e no exterior.

Publicado
17-03-2021
Como Citar
OLIVEIRA, O. F.; FERRERA DE LIMA, J. DESENVOLVIMENTO REGIONAL DIFERENCIADO NO SERIDÓ BRASILEIRO. Revista de Economia Regional, Urbana e do Trabalho, v. 10, n. 1, p. 129 - 150, 17 mar. 2021.