Geomorfologia da Serra do Feiticeiro em Lajes/RN

  • Gleydson Rubens de Farias Bezerra

Resumo


Os compartimentos geomorfológicos da Superfície Sertaneja do Rio Grande do Norte são o resultado da conjugação de diversos processos que remontam a fusão e divisão de paleocontinentes, deformações estruturais e processos de pediplanação marcadamente a partir do Paleógeno. No município de Lajes/RN, relevos de modesta altitude interrompem a planura suave da Superfície Sertaneja, constituindo-se em elementos importantes para a compreensão da evolução geomorfológica potiguar, destacando entre eles o Pico do Cabugi, como registro do mais jovem evento magmático na porção continental do Brasil e a Serra do Feiticeiro. Assim, o objetivo geral deste trabalho é discutir a geomorfologia da Serra do Feiticeiro e sua importância na dinâmica ambiental de Lajes. A metodologia é baseada em revisão da literatura científica, trabalhos de campo e aplicação de geoprocessamento. Os resultados apontam que a Serra do Feiticeiro é um maciço estrutural originado pela fissão e junção de paleocontinentes. A evolução ulterior sugere que suas escarpas foram fortemente afetadas por falhamentos e erosão diferencial. A hidrografia de Lajes é fortemente influenciada pela existência desse relevo que é um importante divisor de bacias hidrográficas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
27-10-2016
Como Citar
BEZERRA, G. R. DE F. Geomorfologia da Serra do Feiticeiro em Lajes/RN. Revista de Geociências do Nordeste, v. 2, p. 22-32, 27 out. 2016.