Vulnerabilidade geológico-geomorfológica da folha Boqueirão, Paraíba

  • Rafael Albuquerque Xavier

Resumo

A Carta Geológica da Folha Boqueirão, escala 1:100.000, elaborada pelo Serviço Geológico do Brasil foi utilizada para analisar a vulnerabilidade erosiva a partir dos parâmetros geológicos e geomorfológicos. Para tanto, foi utilizado a metodologia de Creppani (2001) e Xavier et. al. (2014), para analisar a vulnerabilidade geológica e geomorfológica respectivamente. Como argumentação teórica, discutem-se os conceitos de “limites de intemperismo” e “limites de transporte” de Gilbert (1877). Os resultados mostraram a predominância da estabilidade geológica e geomorfológica da área de estudo. Rochas resistentes ao intemperismo e o relevo suave marcam a paisagem. O regime pluviométrico não favorece a atuação da pedogênese, e a ocorrência de chuvas concentradas promove a aceleração dos processos erosivos superficiais que, em alguns casos, remove todo o manto de intemperismo, formando os lajedos rochosos. Conclui-se que as ideias de Gilbert (1877) são válidas para auxiliar no entendimento da morfodinâmica em ambientes semiáridos e que as características geológicas são variáveis fundamentais neste sistema.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
27-10-2016
Como Citar
XAVIER, R. A. Vulnerabilidade geológico-geomorfológica da folha Boqueirão, Paraíba. Revista de Geociências do Nordeste, v. 2, p. 294-303, 27 out. 2016.