GeoPark Araripe e a geodiversidade do sul do Estado do Ceará, Brasil

Autores

  • Marcelo Martins de Moura-Fé

DOI:

https://doi.org/10.21680/2447-3359.2016v2n1ID10635

Resumo

Componente da Rede Global de Geoparques da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura), o GeoPark Araripe apresenta uma notável geodiversidade no seu conjunto de 9 (nove) geossítios abertos para visitação pública. Essa geodiversidade reflete uma história geológica-geomorfológica antiga e significativa, a qual coaduna com eventos importantes da história natural do planeta Terra. Buscando promover a conservação desse patrimônio natural, o GeoPark Araripe fomenta a utilização conservacionista dos seus geossítios em consonância com o desenvolvimento socioeconômico sustentável das comunidades locais, sobretudo, aquelas situadas nas proximidades dos geossítios. Para isso, o território dos 6 municípios que o compõem são objeto de estratégias de geoconservação que devem considerar as particularidades regionais e a riqueza cultural do Cariri cearense (histórica, antropológica, arqueológica e artística), notadamente, o geoturismo e a geoeducação. O objetivo principal deste artigo é apresentar a geodiversidade da região sul do Estado do Ceará, o Cariri cearense, mais precisamente os geossítios do GeoPark Araripe.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

02-11-2016

Como Citar

MOURA-FÉ, M. M. de. GeoPark Araripe e a geodiversidade do sul do Estado do Ceará, Brasil. Revista de Geociências do Nordeste, [S. l.], v. 2, n. 1, p. 28–37, 2016. DOI: 10.21680/2447-3359.2016v2n1ID10635. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/revistadoregne/article/view/10635. Acesso em: 1 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos