Avaliação do uso e ocupação do solo no município de Pilõezinhos-PB, de 1984-2016 utilizando o geoprocessamento

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2447-3359.2017v3n1ID10982

Resumo

A utilização de SIG para delimitação de uso e ocupação do solo é uma das principais ferramentas de planejamento ambiental. O município de Pilõezinhos sofreu modificações em sua estrutura fundiária e ambiental com o passar dos anos. Objetivou-se com esse trabalho avaliar o uso e ocupação do solo do município de Pilõzinhos-PB, de 1984- 2016 utilizando a técnica de geoprocessamento, como subsídio a tomada de decisões no processo de reorganização do espaço rural do município. As imagens foram coletadas no banco de imagens do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais- INPE, compreendendo os anos de 1984, 1995, 2004 e 2016. Os mapas de uso e ocupação foram gerados levando em consideração as áreas maiores que seis hectares e foram coloridas conforme metodologia proposta pelo IBGE. Conclui-se que o município de Pilõezinhos apresenta redução de sua área de floresta devido a ocupação urbana e agrícola. A savanização do solo do município é consequência da fragilidade edáfica dos solos agricultáveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Luan Ferreira da Silva, Universidade Federal da Paraíba

É graduando em Agronomia no Centro de Ciências Agrárias, Campus II da Universidade Federal da Paraíba. Foi voluntário Probex no ano (2013), Bolsista de Iniciação Científica na Área de Fitotecnia entre os anos de (2013-2014) e Eletroquímica e Química Ambiental entre os anos de (2014-2015). Tem experiência na área de Agronomia, atuando nos temas: Fertilidade do Solo, Adubação-Verde, Poluição Ambiental e Agroecologia

Alison José da Silva, Universidade Federal da Paraíba

Graduando em Agronomia, Centro de Ciências Agrárias, Campus II da Universidade Federal da Paraíba.

Referências

DIEL, P.S.; COSTA, P.F.; OLIVEIRA, P.S.R.; SILVA, N.L.S.; ROSSET, J.S. Capacidade de uso de solo das propriedades rurais da microbacia do córrego Guará no Município de Marechal Cândido Rondon/PR. Scientia Agraria Paranaensis, Marechal Cândido Rondon, v. 12, sup., p. 400-410. 2013.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA (EMBRAPA). Sistema brasileiro de classificação de solos. 3. ed. Brasília: Embrapa, 2013. 353p.

FRANCISCO, P.R.M.; CHAVES, I.B.; LIMA, E.R.V. Classificação de terras para mecanização agrícola e sua aplicação para o estado da Paraíba. Revista Educação Agrícola Superior, Brasília, v.28, n.1, p. 30-35. 2013.

FRANCISCO, P.R.M.; MEDEIROS, R.M.; SANTOS, D.; MATOS, R.M. Classificação climática de Köppen e Thornthwaite para o estado da Paraíba. Revista Brasileira de Geografia Física, Recife, v. 08, n. 04, p. 1006-1016, 2015.

GARCIA, G.J.; ANTONELLO, S.L.; MAGALHÃES, M.G.M. Nova versão do sistema de avaliação de terras-SIAT. Engenharia Agrícola, Jaboticabal, v.25, n.2, p.516-529. 2005.

GONÇALVES, S.R.A.; ARAÚJO, R.R. Elaboração de mapas temáticos por meio do Sistema de Informação Geográfica (SIG) para caracterização das áreas de contribuição da bacia do manancial Rio Santo Anastácio. Tópos, Presidente Prudente, v. 7, n. 1, p. 58-67, 2013.

ARAÚJO, J.B.S.; PINTO FILHO, J.L.O. Identificação de fontes poluidoras de metais pesados nos solos da bacia hidrográfica do rio Apodi-Mossoró/RN, na área urbana de Mossoró-RN. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, Pombal, v.5, n.2, p. 80-94. 2010.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Manual técnico da vegetação brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2012. 271 p.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Produção Agrícola Municipal 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2014. 400 p.

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE). Image Catalog. Disponível em: <http://www.dgi.inpe.br/CDSR/>. Acesso em: 13 dez. 2016.

LEÃO, T.C.C.; ALMEIDA, W.R.; DECHOUM, M.S.; ZILLER, S.R. Espécies invasoras no Nordeste do Brasil: contextualização, manejo e políticas públicas. Recife: CEPAN, 1. Ed., 2011. 99 p.

MACHADO, P.L.O.A.; WADT, P.G.S. Boas práticas agrícolas: terraceamento. Rio Branco: Embrapa, 1. Ed., 2016. 9p.

MARÇAL, M.S.; GUERRA, A.J.T. Identificação de áreas suscetíveis à erosão dos solos em Açailândia no estado do Maranhão. In: Simpósio Nacional de Controle de Erosão, 7., 2001, Goiânia. Anais… Goiânia: UFG, 2001. p. 1-9.

OLIVEIRA, E.S. Estudo preliminar sobre a evolução do uso e ocupação do solo no município de Planaltina de Goiás. GeoTemas, Pau dos Ferros, v.3, n.1, p. 111-123. 2013.

PEDRON, F.A.; DALMOLIN, R.S.D.; AZEVEDO, A.C.; POELKING, E.L.; MIGUEL, P. Utilização do sistema de avaliação do potencial de uso urbano das terras no diagnóstico ambiental do município de Santa Maria – RS. Ciência Rural, Santa Maria, v.36, n.2, p. 468-477, 2006.

RAMPIM, L.; TAVARES FILHO, J.; BEHLAU, F.; ROMANO, D. Determinação da capacidade de uso do solo usando o manejo sustentável para uma média propriedade em Londrina-PR. Bioscience Journal, Uberlândia, v.28, n.2, p. 251-264. 2012.

SENA, F.T.N.S. SANTIAGO NETO, B.J. LEITE, A.C.S. Uso do geoprocessamento como subsídio à análise ambiental: imagem SRTM na geração de mapas hipsométrico e de declividade das bacias difusas da barragem Boa Esperança no estado do Piauí. In: Simpósio brasileiro de ciências geodésicas e tecnologias da geoinformação, 4, Recife. Anais. Recife: IV SBCGTG, 2012. p. 19-40.

SILVA, F.C.; CRUZ, M.L.B. Análise da fisionomia da cobertura vegetal em ambientes semiáridos: o caso do município de Jaguaretama, estado do Ceará. REGNE- Revista de Geociências do Nordeste, Caicó, v. 2, n. especial, p. 1-9. 2016.

SILVA, J.G.S.; PAULA, L.A.M.; ESMERALDO, G.G.; MONTE, F.C.D. Impactos da seca nas unidades produtivas familiares assentadas. RDE- Revista de Desenvolvimento Econômico, Salvador, v. 16, n. 30, p. 35-45. 2014.

SILVA, P.L.F.; CAVALCANTE, A.C.P.; SILVA, A.G. Evaluation of degradation of environmental resources: A case study on a rural property Pilõezinhos-PB. Revista Monografias Ambientais, Santa Maria, v.15, n.1, p. 132-140. 2016.

SILVA, P.L.F.; CAVALCANTE, A.C.P.; SILVA, A.G. Análise da produção agrícola proveniente da agricultura familiar do Município de Pilõezinhos-PB. Élisée, Revista de Geografia UEG, Anápolis, v.5, n.1, p.120-133, jan.-jun. 2016.

SOS MATA ATLÂNTICA. Área de Mata Atlântica no município de Pilõezinhos 2015. Disponível em: < http://aquitemmata.org.br/#/busca/pb/Para%C3%ADba/Pil%C3%B5ezinhos>. Acesso em: 14 dez. 2016.

TABARELLI, M.; PINTO, L.P.; SILVA, J.M.C.; HIROTA, M.M.; BEDÊ, L.C. Desafios e oportunidades para a conservação da biodiversidade na Mata Atlântica brasileira. Megadiversidade, Rio de Janeiro, v.1, n.1, p. 132-138. 2005.

XAVIER, S.J. Geoprocessamento e análise ambiental. Revista Brasileira de Geografia, v.54, n.3, p. 47-61. 1992.

Downloads

Publicado

30-06-2017

Como Citar

SILVA, P. L. F. da; SILVA, A. J. da. Avaliação do uso e ocupação do solo no município de Pilõezinhos-PB, de 1984-2016 utilizando o geoprocessamento. Revista de Geociências do Nordeste, [S. l.], v. 3, n. 1, p. 48–63, 2017. DOI: 10.21680/2447-3359.2017v3n1ID10982. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/revistadoregne/article/view/10982. Acesso em: 18 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos