O reuso de águas residuais como meio de convivência com a seca no semiárido do Nordeste Brasileiro

  • Clara Yasmim De Souza Lucena Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Danilla Joyce Rocha dos Santos Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Polyana Lorena Santos da Silva Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Eulália Dantas da Costa Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Rebecca Luna Lucena Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Resumo


Segundo o Atlas dos desastres naturais do Brasil, as secas e estiagens são o tipo de desastre mais recorrente no país, responsável por 54% do total de desastres registrados, sendo a região Nordeste a mais afetada. Com o problema da carência hídrica nesta região do país, torna-se fundamental utilizar a água racionalmente e priorizar formas sustentáveis para o seu reaproveitamento. Nesse contexto, este trabalho tem por objetivo principal apontar as vantagens das ações de reuso de águas de esgoto no semiárido brasileiro, destacando as práticas mais adequadas e viáveis à região, tomando por base experiências já existentes em áreas semelhantes e suas possíveis aplicações no município de São Fernando/RN. Através da pesquisa documental e de campo, pode-se afirmar que no município de São Fernando/RN, as duas ETEs, que realizam tratamento do tipo secundário e se encontram em perfeito estado de funcionamento, podem servir de fonte de água para irrigação de alimento animal bem como para arborização urbana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

  • AB’ SABER, A. N. Problemática da desertificação e da savanização no Brasil intertropical. Geomorfologia. Universidade de São Paulo, São Paulo, 1977. 19p.

  • AB’SÁBER, A N. O domínio morfoclimático das Caatingas brasileiras. São Paulo, IGE-OG/USP, 1974.

  • ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 13.969 / 97: Tanques sépticos - Unidades de tratamento complementar e disposição final dos efluentes líquidos - Projeto, construção e operação. Rio de Janeiro, 1997.

  • AYRES, R.S.; WESCOT, D.W. A qualidade da água na agricultura. UFPB, Campina Grande, PB, 1991, 217p.

  • BASTOS, R. K. X. Fertirrigação com águas residuárias. In: FOLEGATTI, M.V. (Coord.) Fertirrigação: Citrus, flores e hortaliças. Guaíba: Agropecuária, 1999. 279p.

  • BERNARDI, C.C. Reúso de água para irrigação. Monografia (Pós-Graduação), Gestão Sustentável da Agricultura Irrigada, Fundação Getúlio Vargas, Brasília-DF, 2003.

  • BRASIL. Ministério do Meio Ambiente, Conselho Nacional de Recursos Hídricos. Resolução n° 54, de 28 de novembro de 2005 (publicada no DOU em 09/03/2006).

  • CARVALHO, N. L.; HENTZ, P.; SILVA, J. M.; BARCELLOS; A. L. Reutilização de águas residuárias. Revista do Centro do Ciências Naturais e Exatas - UFSM, Santa Maria Revista Monografias Ambientais - REMOA e-ISSN 2236 1308 - V. 14, N. 2 (2014): Março, p. 3164 - 3171

  • CAVALCANTE, K. D. B.; O uso de águas residuais e as vantagens de suas aplicações na agricultura. Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande-PB, 2015.

  • CEPED/UFSC. Atlas brasileiro de desastres naturais: 1991 a 2012 / Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres. 2. ed. rev. ampl. – Florianópolis: CEPED UFSC, 2013. Volume Rio Grande do Norte. 103 p.

  • COSTA, D. M. A; JÚNIOR, A. C. B. Avaliação da necessidade do reuso de águas residuais. Natal, 2005, p. 82.

  • CROMER, R. N. Irrigation of radiata pine with wastewater: A review of the potential for tree growth and water renovation. Aust. For., v. 43, p. 87-100, 1980.

  • DORIGON, E. B.; TASSARO, P. Caracterização dos efluentes da lavação automotiva em postos de atividade exclusiva na região AMAI – Oeste catarinense. Unoesc & Ciência – ACBS, Joaçaba, v. 1, n. 1, p. 13-22, jan./jun. 2010

  • GERBA, C. P.; SMITH Jr, J. E. Sources of pathogenic microorganisms and their fate during land application of wastes. Journal of Environmental Quality, 34:42-48, 2005.

  • MAFFRA, C. MAZZOLA, M. As razões dos desastres em território brasileiro. In: Santos, R. (org.), Vulnerabilidade ambiental: desastres naturais ou fenômenos induzidos? 1ª Edição, Brasília: MMA, 2007.

  • MALVEZZI, R. Semi-Árido: uma visão holística. Brasília: Confea, 2007. 140p.

  • MARENGO, J. A.; ALVES, L. M.; ALVALA, R. C. S.; CUNHA, A. P.; BRITO, S.; MORAES, O. L. L. Climatic characteristics of the 2010-2016 drought in the semiarid Northeast Brazil region. Anais da Academia Brasileira de Ciências. Online version, p 1 – 13, 2017. DOI: 10.1590/0001-3765201720170206

  • MONTE, H. M.; ALBUQUERQUE, A. Reutilização de águas residuais. Instituto Superior de Engenharia de Lisboa. Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos. Lisboa, Portugal. 2010.

  • MOSER, C. The asset vulnerability framework: reassessing urban porverty reduction strategies. World Development, New York, v. 26, n.1, 1998.

  • PAGANINI, W. S. Disposição de esgotos no solo, através de escoamento à superfície, com utilização de gramíneas: avaliação do processo quanto aos aspectos sanitários. 232f. Tese (Doutorado em Saúde Pública) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 1997.

  • SARAIVA, V. M.; KONIG, A. Produtividade do capim-elefante-roxo irrigado com efluente doméstico tratado no semiárido potiguar e suas utilidades. Holos. Ano 29, Vol 1, p 28 – 46, 2013.

  • SCHAER-BARBOSA, M.; SANTOS, M. E. P.; MEDEIROS, Y. D. P. Viabilidade do reuso de água como elemento mitigador dos efeitos da seca no semiárido da Bahia. Ambiente & Sociedade, São Paulo v. XVII, n. 2, p. 17-32, abr.-jun. 2014.

  • SCHEER, G. G.; ZSCHORNACK, T.; MUNDSTOCK, C. M.; QUADROS, V.; Qualidade de água do efluente da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Cachoeirinha, RS. 2013.

  • SCHNEIDER, R. P.; TSUTIYA, M. T., Membranas filtrantes para o tratamento de água, esgoto e água de reuso. ABES-Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental, 2001. 234 p.

  • TRINIDAD, J. G.; GONZÁLEZ, J. A. D.; LUJAN, A. V. Recuperación y Reutilización de las Aguas Residuales en la Producción Agrícola y Pecuaria de las Zonas Áridas. Anais do XI Congreso Nacional de Irrigación. Contaminación, Tratamiento y Reuso del Agua. Guanajuato, México, 19-21 de Septiembre de 2001.

  • VALE, M. B.; GRILO, J. A. S.; VASCONCELOS, N. S.; FREITAS, J. P.; PEDROZA F. A. Reuso de esgotos domésticos tratados para irrigação de Capim Elefante (Pennisetum purpureum): uma abordagem parasitológica, tendo em vista sua utilização como ração animal. Disponível em: http://engemausp.submissao.com.br/17/anais/arquivos/54.pdf , Acesso em Set 2017.

Publicado
23-05-2018
Como Citar
LUCENA, C. Y. D. S.; SANTOS, D. J. R. DOS; SILVA, P. L. S. DA; COSTA, E. D. DA; LUCENA, R. L. O reuso de águas residuais como meio de convivência com a seca no semiárido do Nordeste Brasileiro. Revista de Geociências do Nordeste, v. 4, p. 1-17, 23 maio 2018.