Riscos e desastres relacionados a eventos extremos (climáticos e meteorológicos) no estado da Paraíba

Autores

  • Jonatas Nascimento da Costa Universidade Federal de Campina Grande (UFCG)
  • Josué Barreto da Silva Júnior
  • Sérgio Murilo Santos de Araújo

DOI:

https://doi.org/10.21680/2447-3359.2018v4n0ID13950

Resumo

Os desastres caracterizam-se enquanto fenômenos excepcionais ou extremos que afetam diretamente uma dimensão social, econômica, ambiental, político-institucional, etc. Compreendendo a complexidade que envolve os riscos e desastres, o presente estudo, objetivou desenvolver uma analise dos eventos extremos (climáticos-meteorológicos) no estado da Paraíba, relacionando: registros oficiais, tipologias, condicionantes físicos-ambientais, intensidade dos fenômenos, dimensão social impactada, entre outros. Desta forma, constata-se a grande variabilidade tipológica de desastres atuantes no estado, com forte presença de eventos climáticos e meteorológicos. Assim foram identificados os seguintes eventos extremos: Enxurradas, Inundações, Alagamentos, Vendavais, Granizos, Trovoadas, e processos integrados de convecção

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jonatas Nascimento da Costa, Universidade Federal de Campina Grande (UFCG)

Pesquisador em Geomorfologia estrutural e dinâmica, Climatologia e Hidrologia aplicadas a riscos e desastres. Geografia Física, Geociências, Riscos e Desastres, Gerenciamento de Riscos em Acidentes de Múltiplas Vítimas.

Referências

AGENCIA EXECUTIVA DE GESTÃO DAS ÁGUAS DO ESTADO DA PARAÍBA - AESA. Geoportal AESA. 2010. Disponível em: http://geo.aesa.pb.gov.br/ Acesso em: 03 nov. 2017.

ARAÚJO, L. E. Análise estatística de chuvas intensas na bacia hidrográfica do rio Paraíba. Dissertação (Mestrado em Meteorologia) - Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, 2006. 94f.

ARAÚJO, P.H.C. Eventos climáticos extremos: os efeitos dos fenômenos El Niño e La Niña sobre a produtividade agrícola nas regiões Nordeste e Sul do Brasil. Dissertação (Mestrado em Economia Aplicada) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2012. 55f.

AYOADE, J. O. Introdução à climatologia para os trópicos. Editora Bertrand Brasil, Rio de Janeiro, 320 p. 2012.

BECKER, C. T.; MELO, M. M. M. S.; COSTA, M. M. N.; RIBEIRO, R. E. P. Caracterização Climática das Regiões Pluviometricamente Homogêneas do Estado da Paraíba. Revista Brasileira de Geografia Física, Ano 02, vol. 04. Recife. 2011, p. 286-299.

BARRETO, Raquel. Identificação de áreas susceptíveis a eventos extremos de chuva no Distrito Federal. Brasília, 2008. Dissertação (Mestrado em Geografia), Instituto de Ciências Humanas, Departamento de Geografia, Universidade de Brasília. 162p.

BRASIL. Ministério da Integração Nacional. Secretaria Nacional de Defesa Civil. Anuário brasileiro de desastres naturais: 2011 - Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres. - Brasília: CENAD, 2012. 82p.

CASTRO, C.M.,PEIXOTO, M.N.O., RIO, G.A.P. Riscos ambientais e Geografia: Conceituações, abordagens e escalas. Anuário do Instituto de Geociências – UFRJ (Rio de Janeiro: UFRJ), v.28-2, p. 11-30, 2005.

CPRM - Serviço Geológico do Brasil. Geologia e Recursos Minerais do Estado da Paraíba. 2002. Organizado por Edilton José, Cícero Alves, José Maria Ferreira. Recife: CPRM, 2002. 234f.

_____________________________. Novo GEOSGB CPRM. 2017. Disponível em: http://geosgb.cprm.gov.br/. Acesso em: 01. dez. 2017.

CPTEC – Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos. Glossário Técnico CPTEC. 2017. Disponível em : http://www.cptec.inpe.br/glossario.shtml. Acesso em: 04 jun. 2017.

FERREIRA, A. G.; MELLO, N. G. S. Principais Sistemas Atmosféricos Atuantes sobre a Região Nordeste do Brasil e a Influência dos Oceanos Pacífico e Atlântico no Clima da Região. Revista Brasileira de Climatologia, v. 1, p. 15-26, 2005.

STIPP, M. E. F. Impactos Ambientais provocados por vendavais em áreas urbanas. In: VI Encontro de Geógrafos da América Latina - Territórios em Redefinicion - Lugar y Mundo en América Latina, Buenos Aires. Territorios en Redefinición Lugar y Mundo en América Latina – Resúmenes Sesiones de Temas Libres, 1997.

TUCCI, C.E.M.; SILVEIRA, A.L.L. Hidrologia: ciência e aplicação. 4ª ed. Porto Alegre: UFRGS/ABRH. 2007. 943p.

TRICART, J. Ecodinâmica. Rio de Janeiro, FIBGE/SUPREN. 1977. 91p.

NASCIMENTO, Ernani de Lima. Previsão de tempestades severas Utilizando-se parâmetros convectivos e modelos de mesoescala: Uma estratégia operacional adotável no Brasil? Revista Brasileira de Meteorologia, v. 60, n. 1, p. 121-140, 2005.

NÓBREGA, José Nildo. Eventos extremos de precipitação nas Mesorregiçoes do estado da Paraíba e suas relações com a TSM dos oceanos Atlântico e Pacifico. Dissertação (Mestrado em Meteorologia), Centro de Tecnologia e Recursos Naturais (Unidade Academica de Ciencias Atmósfericas – UACA), Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande-PB, 2012. 96 f.

MENDONÇA,F.; LEITÃO, S. A. M. Riscos e vulnerabilidade socioambiental urbana: uma perspectiva

a partir dos recursos hídricos. GeoTextos, 2008. Salvador, v. 4, n. 1-2, p. 145-163.

MOLION, L. C. B.; BERNARDO, S.O. Dinâmica das chuvas sobre o Nordeste brasileiro, In: XI CONGRESSO BRASILEIRO DE METEOROLOGIA. Anais Sociedade Brasileira de Meteorologia – SBMET CL00132, Rio de Janeiro, RJ, 2000.

SANTOS, C. A. C; BRITO, J. I. B. Análise dos índices de extremos para o semi-árido do Brasil e suas relações com TSM e IVDN. Revista Brasileira de Meteorologia, v. 22, p. 303–312, 2007.

SILVA, D. F.; GALVÍNCIO, J. D. Estudo da Influência da Oscilação Decadal do Pacífico no Nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Geografia Física. v. 04, p. 665 – 676, 2011.

SILVA DIAS, M. A. F.;: Sistemas de Mesoescala e Previsão de Tempo a Curto Prazo. Revista Brasileira de Meteorologia. 1987, 2, 133-150.

SANTOS, N. A. ; SIQUEIRA, A. H. B. ; BEZERRA, K. L. T. ; CASTRO, C P Q ; MELO, M. L. D. . Eventos extremos: analise do evento ocorrido em junho de 2010 na costa leste do Nordeste Brasileiro. In:. Anais do VI Semana de Meteorologia: Seminário 'atmosfera e os impactos socioeconômicos', 2011.

IBGE. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATISTICA. 2016. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/estadosat/perfil.php?sigla=pb> Acesso em: 30 mai 2017.

______________________________________________________________. Manual técnico de geomorfologia. IBGE, Coordenação de Recursos Naturais e Estudos Ambientais. – 2. ed. - Rio de Janeiro : IBGE, 2009. 175p

INSTRUÇÃO NORMATIVA n. 1, de 24 de agosto de 2012. Diário Oficial da União. Seção 1, n. 169, quinta-feira, 30 de agosto de 2012. Disponível em: http://bibspi.planejamento.gov.br/bitstream/handle/iditem/208/Instru%C3%A7%C3%A3o%20Normativa%20n1%2c%20de%2024%20agosto%20de%202012.pdf?sequence=1 . Acesso em: 09 nov. 2017.

RADAMBRASIL, BRASIL. Ministério das Minas e Energia, Secretaria Geral. Projeto RADAMBRASIL. Folhas. 24/25. Jaguaribe/Natal; geologia, geomorfologia, pedologia, vegetação e uso potencial da terra. Rio de Janeiro, 744 p. 7 mapas. 1987.

Universidade Federal de Santa Catarina. Relatório de danos materiais e prejuízos decorrentes de desastres naturais no Brasil: 1995 – 2014.Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres. Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres; Banco Mundial [Organização Rafael Schadeck] - Florianópolis: CEPED UFSC, 2016. 230 p.: il. color.; 20,5 cm.

Universidade Federal de Santa Catarina. Atlas brasileiro de desastres naturais: 1991 a 2012.Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres.; Vol. Paraíba / Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres. 2 ed. rev. ampl. - Florianópolis: CEPED UFSC, 2013. 105 p. :il. color.; 22 cm. Volume Paraíba.

VAREJÃO-SILVA, M. A. Meteorologia e Climatologia. PAX Gráfica e Editora Ltda, 2ª Edição, 532 p., 2001

Downloads

Publicado

23-05-2018

Como Citar

COSTA, J. N. da; SILVA JÚNIOR, J. B. da; ARAÚJO, S. M. S. de. Riscos e desastres relacionados a eventos extremos (climáticos e meteorológicos) no estado da Paraíba. Revista de Geociências do Nordeste, [S. l.], v. 4, p. 110–125, 2018. DOI: 10.21680/2447-3359.2018v4n0ID13950. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/revistadoregne/article/view/13950. Acesso em: 1 jul. 2022.