Contribuição do rio Cocó e riacho Maceió na sedimentação da plataforma interna de Fortaleza-CE

Autores

  • Regimario Pereira Lima Filho Universidade Federal do Ceará - UFC / Instituto de Ciências do Mar - LABOMAR
  • Mônica Pimenta de Novaes Castelo Branco Instituto de Ciências do Mar (LABOMAR/UFC)
  • Lidriana de Souza Pinheiro Instituto de Ciências do Mar (LABOMAR/UFC)

DOI:

https://doi.org/10.21680/2447-3359.2019v5n0ID18474

Resumo

A plataforma continental interna de Fortaleza nas últimas décadas sofre com constantes alterações morfológicas e sedimentológicas devido a forte influência antrópica e por fatores naturais. O principal objetivo deste trabalho é correlacionar às características sedimentológicas e os teores de carbonato de cálcio e matéria orgânica de amostras coletadas em dois ambientes relativamente próximos, mas com padrão sedimentológico e morfológico bastante distintos. As análises com os parâmetros propostos no trabalho mostraram que o ambiente ao largo do riacho Maceió com uma predominância de areia muito fina e silte, e do rio Cocó areia grossa e muito grossa. Em geral, os teores de carbonato de cálcio e matéria orgânica foram maiores na área do riacho Maceió, mostrando ser um ambiente de baixa intensidade dinâmica. Em contrapartida, a área do rio Cocó, por ser uma região aberta à incidência de ondas, apresenta uma maior atividade hidrodinâmica (deriva litorânea), que favorece a dispersão de materiais, resultando, portanto, no não acúmulo de matéria orgânica e carbonato de cálcio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

01-11-2019

Como Citar

PEREIRA LIMA FILHO, R. .; PIMENTA DE NOVAES CASTELO BRANCO, M. .; SOUZA PINHEIRO, L. de. Contribuição do rio Cocó e riacho Maceió na sedimentação da plataforma interna de Fortaleza-CE. Revista de Geociências do Nordeste, [S. l.], v. 5, p. 105–115, 2019. DOI: 10.21680/2447-3359.2019v5n0ID18474. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/revistadoregne/article/view/18474. Acesso em: 29 maio. 2024.