LEVANTAMENTO DA MESOFAUNA EDÁFICA EM ÁREAS DE PROTEÇÃO DO MARANHÃO.

Resumo


O conhecimento da composição da comunidade da mesofauna edáfica é uma ferramenta importante para compreender o efeito sobre os processos edáficos e também para elucidar como a fauna do solo é afetada pela antropização, provocando mudanças no solo. Neste sentido, a pesquisa visa contribuir com o levantamento das ordens da mesofauna edáfica e sua dinâmica na Área de Proteção Ambiental Municipal do Buriti do Meio (Área I) e a Área de Proteção Ambiental do Inhamum (Área II). As coletas foram realizadas duas vezes durante o período seco, e duas vezes no período chuvoso, totalizando 4 coletas. Para a amostragem da mesofauna, foi utilizado armadilhas do tipo Provid e bateria de extratores Berlese-Tullgre. No laboratório foram feitas a triagem e quantificados os indivíduos e os dados foram analisados em diferentes programas. Foram contabilizados 12.486 indivíduos da mesofauna. Os indivíduos da ordem Collembola foram predominantes nas duas áreas. Ao comparar a abundância de indivíduos coletados nas duas armadilhas. Notou-se que a armadilha Provid se mostrou mais eficiente em relação a armadilha de Berllese Tüllgren. Foi analisada a diversidade das ordens entre os dois ambientes estudados (Shannon-Wiener), a Área II obteve o maior índice de diversidade, sendo confirmado pelo Índice de Pielou (J).

 

Palavras-chave: Berlese-Tullgren, Diversidade, Provid.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiza Daiana Araújo da Silva Formiga , Universidade Estadual do Maranhão - UEMA

Doutora em Zootecnia, Centro de estudos Supeiores de Caxias, Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), Caxias/MA, Brasil.

Publicado
01-10-2021
Como Citar
CHAVES RODRIGUES, J.; DE SOUSA MARTINS, A. E.; OLIVEIRA LIMA, F.; ALVES SOUZA, M. T.; DE ALENCAR COSTA SILVA, M. R.; PEREIRA GONÇALVES , M. V.; LIMA SOARES , F. I.; ARAÚJO DA SILVA FORMIGA , L. D. LEVANTAMENTO DA MESOFAUNA EDÁFICA EM ÁREAS DE PROTEÇÃO DO MARANHÃO. Revista de Geociências do Nordeste, v. 7, n. 2, p. 230-238, 1 out. 2021.
Seção
Artigos