DETECÇÃO TEMPORAL DE IMPACTOS EM ÁREAS CONFLITANTES E USO DOS RECURSOS HÍDRICOS NO SEMIÁRIDO DA PARAÍBA

Resumo

O semiárido nordestino apresenta irregularidades climáticas e geomorfológicas além da baixa pluviometria, indicando baixos volumes em seus mananciais. O presente trabalho tem por objetivo mostrar um diagnóstico de caráter qualitativo dos conflitos ambientas e do uso dos recursos hídricos precisamente no município de Monteiro, localizado na microrregião do Cariri Ocidental da Paraíba, na região do alto curso do rio Paraíba. A pesquisa foi realizada entre os anos de 2014 e 2016 sendo destacados os aspectos físicos e socioambientais para identificação das atividades agrícolas, agropastoris e da contaminação das águas do rio por meio de agrotóxicos e resíduos domésticos. As atividades agropastoris e agrícolas nos anos destacados contribuíram de certa forma para observar o uso de materiais poluentes, levando à contaminação das reservas hídricas existentes na região. Os conflitos mais impactantes, das atividades antrópicas, estenderam-se mais entre o eixo leste onde os níveis de poluentes totalizaram uma área de 16,1 km em relação ao eixo sul do Rio Paraíba, em 2014. Em 2016 a área conflitante teve um aumento de 22,5 km, próximos ao açude Poções, manancial da região, o qual está incluído no Projeto de Integração do Rio São Francisco, elevando, portanto, o nível de contaminações e perda de vegetação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jana Yres Barbosa de Sousa, Universidade Federal de Campina Grande - UFCG

Atualmente é concluinte do curso de Engenharia Agrícola para 2014 pela Universidade Federal de Campina Grande - UFCG. Já participou de eventos, encontros e seminários voltados para área de Engenharia Agrícola. Já foi monitora das disciplinas de Microbiologia Ambiental em 2009 e de Sensoriamento Remoto em 2008 pelo curso de Engenharia Agrícola. Ministra aulas de Espanhol Instrumental para alunos da área de ciências agrárias, e de Cartografia (básica e digital) e Geoprocessamento, na UFCG . Já estagiou na Embrapa Algodão entre os anos de 2009-2010, onde trabalhou no Projeto de Gestão Ambiental da unidade, atuando na área de SIG (Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto) , sendo promovida para a mesma um curso de software de imagens, o GVsig. Também foi bolsista por um período de 6 meses no ano de 2011, atuando na área de Agrometeorologia. Atua também em projetos que envolve zoneamento de culturas na Embrapa Algodão. Atua nas seguintes áreas: agrometeorologia, irrigação e drenagem (zoneamentos agrícolas), mapeamentos aplicados a projetos rurais, florestais e recursos hídricos. E professora de Língua Espanhola. Participa de um projeto social da UFCG, o cursinho pré-vestibular solidário, ministra aulas particulares para proficiência e conversação atualmente . Possui habilidades em softwares para o SIG: SPRING, Erdas, GVsig, QGIS, ArcGIS, Global maper e TRACK MAKER.

André Luiz Soares Velozo , Universidade Federal de Campina Grande -UFCG

Possui graduação em Geografia pela Universidade Federal de Campina Grande (2013). Foi bolsista em Geoprocessamento durante a graduação no ano de 2012. Já atuou como professor em escolas particulares e estaduais nos anos de 2009 a 2014. Possui experiência profissional a mais de 7 anos em Geotecnologias (Topografia, Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto), atuando nas seguintes atividades: > Auxiliar de Topografia ? medições, altimetria, nivelamento, cartografia digital para geração de imagens (PDI ? processamento digital de imagens), banco de dados, para o CAR, INCRA e particulares. > SIG e Sensoriamento Remoto para monitoramento de áreas urbanas e agrícolas. > Planejamento e processos ambientais (estudo de áreas de impactos antrópicos, climatológicos e recursos hídricos). > Monitoramento Hidrométrico com elaboração de mapas e documentos para avaliação das Bacias Hidrográficas, e levantamento de áreas suscetíveis a perdas de mata ciliar. > Elaboração de propostas e relatórios , geração de documentos e fichas através de mapeamentos e avaliações de campo para tomada de decisões referentes a áreas sem proteção ambiental, levando em consideração os aspectos geomorfológicos, fisiografia e socioeconômicos da comunidade ou povoados rurais. > Manutenção e controle de PCDs (Plataformas de Coleta de Dados) Automáticas e semiautomáticas para fins meteorológicos e controle de níveis de barragens. > Controle de qualidade de água através de sondas, através do projeto QUALIÁGUA da ANA que permitem a avaliação de parâmetros mínimos a serem coletados nos pontos de monitoramento envolvendo aspectos físico-químicos (transparência, temperatura da água, oxigênio dissolvido, pH e Demanda Bioquímica de Oxigênio, por exemplo), microbiológicos (coliformes), biológicos (clorofila e fitoplâncton) e de nutrientes (relacionados a fósforo e nitrogênio). Em experiência profissional extra, atua como técnico em instalações elétricas prediais e residenciais. Atualmente é técnico de campo em Recursos Hídricos pela Sec. de Recursos Hídrcos do Estado da Paraíba atuando na AESA (Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba). 

José Rodrigues Pereira, Universidade Federal de Campina Grande - UFCG

Possui graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal da Paraíba - UFPB, Areia, PB (1994), Doutorado e Mestrado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Campina Grande - UFCG, Campina Grande, PB (1997 e 2014). Atualmente, desde 01 de agosto de 2015, é Pesquisador A da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (lotado na Embrapa Algodão, Campina Grande, PB). Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Irrigação/Fitotecnia, atuando principalmente nos seguintes temas: Irrigação, Fisiologia de Plantas Cultivadas, Manejo Cultural, Cultivo Orgânico, Diversificação de culturas e agrosistemas integrados, principalmente envolvendo as culturas trabalhadas pela Embrapa Algodão (Algodão, Gergelim, Mamona, Amendoim e Sisal), além de outras culturas, conforme demanda local, mas em consorciação e/ou rotação/sucessão com as culturas supracitadas.

Gustavo Fernando Santos, Universidade Estadual da Paraíba - UEPB

Graduado em Engenharia Sanitária e Ambiental pela Universidade Estadual da Paraíba. Formação acadêmica em Engenharia, com atuação na área de Recursos Hídricos e SIG. Foi bolsista PIBIC (cota 2014/2015), na área de Sistemas e tratamento de águas residuárias. Também estagiou na Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba, com atuação na área de Recursos Hídricos, no monitoramento Hidrométrico (Banco de Dados do Sistema AESA e ANA) e na manipulação em ambiente SIG (Mapas temáticos e Tratamento de imagens de satélite), no ano de 2019.

Sandro Roberto Dias Araújo, Universidade Federal de Campina Grande - UFCG

Mestrando em engenharia agrícola; Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (1988). Tem experiência na área de Irrigação e drenagem, com ênfase irrigação por gotejamento.

Silvia Noelly Ramos de Araújo, Universidade Federal de Campina Grande -UFCG

Possui graduação em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Campina Grande (2014) e mestrado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Campina Grande (2017). Tem experiência na área de Engenharia Agrícola, com ênfase em Engenharia Agrícola, atuando principalmente nos seguintes temas: construções rurais e ambiência, resíduos sólidos e qualidade da água.

Publicado
23-07-2020
Como Citar
SOUSA, J. Y. B. DE; VELOZO , A. L. S.; PEREIRA, J. R.; SANTOS, G. F.; ARAÚJO, S. R. D.; ARAÚJO, S. N. R. DE. DETECÇÃO TEMPORAL DE IMPACTOS EM ÁREAS CONFLITANTES E USO DOS RECURSOS HÍDRICOS NO SEMIÁRIDO DA PARAÍBA . Revista de Geociências do Nordeste, v. 6, n. 2, p. 24-31, 23 jul. 2020.
Seção
Artigos