CARACTERIZAÇÃO SEDIMENTOLÓGICA DOS COLÚVIOS DO MACIÇO DE MATA GRANDE – AL: UMA COMPARAÇÃO ENTRE BREJOS DE ALTITUDE DO NORDESTE DO BRASIL

Resumo


O estudo da dinâmica geomorfológica demanda o reconhecimento dos processos superficiais. A partir de uma visão sistêmica, os elementos da paisagem e os inputs de energia atuando sobre eles se refletem nos ambientes de sedimentação e seus depósitos. Neste contexto, as áreas de exceção úmida circunscritas pelo ambiente semiárido do Nordeste do Brasil compõem um conjunto ambiental único, cujos registros de eventos denudacionais pretéritos, sob a forma de depósitos de encosta representam um proxy regional de grande qualidade para a reconstrução de sua evolução temporal. Diante disso, este trabalho buscou identificar os marcadores da dinâmica geomorfológica do maciço sub-úmido de Mata Grande, Alagoas, expressos em suas coberturas superficiais, comparando-os com os de outras áreas congêneres sobre a Província Borborema. A pesquisa partiu da descrição dos colúvios da área, por meio da análise de sua granulometria e morfoscopia, no intuito de proceder comparações com materiais semelhantes oriundos de outros brejos de altitude. Observou-se que os colúvios de Mata Grande são compostos em sua maior parte por areia lamosa, ocorrendo ainda fluxos de detritos incorporando de seixos a matacões. Os materiais mostraram-se semelhantes aos dos outros ambientes de encostas sub-úmidas do NE, corroborando a existência de uma dinâmica própria a esses ambientes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laís Susana de Souza Gois, Universidade Federal de Pernambuco - UFPE

Graduada em Geografia Licenciatura e mestranda em Geografia pelo Instituto de Geografia, Desenvolvimento e Meio Ambiente (IGDEMA) da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), participou do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação a Docência (PIBID) de 2014 a 2016, estagiária da Secretaria Municipal de Educação (SEMED) de 2017 a 2018. É membro do Núcleo de Estudos do Quaternário do Nordeste do Brasil (NEQUAT) e do Grupo de Pesquisa em Educação Geográfica (GPEG). Trabalha com geomorfologia do quaternário, solos e áreas de exceção no Nordeste brasileiro.

Antônio Carlos de Barros Corrêa, Universidade Federal de Pernambuco - UFPE

Possui graduação em Geografia pela Universidade Federal de Pernambuco (1994), fez intercâmbio de graduação na Radford University, Virginia, EUA, mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Pernambuco (1997), doutorado em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho com estágio sanduiche na Universidade de Durham, Reino Unido (2001) e pós-doutorado em geomorfologia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2003) . Atualmente é docente e pesquisador da Universidade Federal de Pernambuco, membro permanente dos programas de pós-graduação em geografia e arqueologia, Vice-presidente da UGB (União da Geomorfologia Brasileira) de 2008 a 2010, Membro do Conselho da UGB desde 2010, Lider do Grupo de Estudos do Quaternário do Nordeste Brasileiro (GEQUA) e do Laboratório de Geomorfologia do Quaternário da UFPE e Vice-Coordenador do Programa de Pós-graduação em Arqueologia da UFPE de 2014 a 2018. Coordenador Adjunto da Área de Geografia da CAPES desde 2018. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Geomorfologia, atuando principalmente nos seguintes temas: geomorfologia do quaternário, geomorfologia do semi-árido do Nordeste do Brasil, geomorfologia histórica e estrutural, aplicação de índices morfométricos na análise geomorfológica e análise geossistêmica.

Nivaneide Alves de Melo Falcão, Universidade Federal de Alagoas - UFAL

Possui graduação em Geografia (Bacharelado) pela Universidade Federal da Paraíba (1998), mestrado (2001) e doutorado (2007) em Geociências pela Universidade Federal de Pernambuco. Atualmente é professora do curso de bacharelado e licenciatura em Geografia e também do Mestrado em Geografia da Universidade Federal de Alagoas. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Geomorfologia, atuando principalmente nos seguintes temas: análise ambiental por geoprocessamento, mapeamento geomorfológico, diagnóstico ambiental, degradação ambiental e educação ambiental. É coordenadora do Laboratório de Geomorfologia e Solos - GEOMORFOS da Universidade Federal de Alagoas.

Kleython de Araújo Monteiro, Universidade Federal de Alagoas - UFAL

Possui graduação em Bacharelado em Geografia pela Universidade Federal de Pernambuco (2007), mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Pernambuco (2010) e doutorado em Geografia pela Universidade Federal de Pernambuco (2015). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal de Alagoas e Líder do Núcleo de Estudos do Quaternário do Nordeste do Brasil (NEQuat/UFAL), sendo também integrante do Grupo de Estudos do Quaternário do Nordeste do Brasil (GEQUA/UFPE), atuando principalmente nos seguintes temas: Geomorfologia Estrutural, Megageomorfologia, Morfometria, Morfogênese e Geografia Física Aplicada.

Publicado
07-01-2021
Como Citar
GOIS, L. S. DE S.; CORRÊA, A. C. DE B.; FALCÃO, N. A. DE M.; MONTEIRO, K. DE A. CARACTERIZAÇÃO SEDIMENTOLÓGICA DOS COLÚVIOS DO MACIÇO DE MATA GRANDE – AL: UMA COMPARAÇÃO ENTRE BREJOS DE ALTITUDE DO NORDESTE DO BRASIL. Revista de Geociências do Nordeste, v. 7, n. 1, p. 01-12, 7 jan. 2021.
Seção
Artigos