INFLUÊNCIA DOS PROCESSOS DIAGENÉTICOS NA POROSIDADE DOS ARENITOS DA FORMAÇÃO IBOREPI, BACIA DE LAVRAS DA MANGABEIRA, ESTADO DO CEARÁ

Resumo


Análises de processos diagenéticos que atuaram sobre os arenitos da Formação Iborepi foram realizadas em amostras de rochas da Bacia Lavras da Mangabeira. A petrologia e a diagênese desses arenitos é pouco conhecida, principalmente quanto aos processos diagenéticos que atuaram sobre a porosidade original dessas rochas, que podem ser estudadas como análogos de reservatórios de bacias petrolíferas. Estudos petrológico e petrográfico foram realizados em nove lâminas, a fim de avaliar os processos diagenéticos que impactaram a porosidade original dos arenitos Iborepi. Os processos encontrados foram: argila infiltrada como cutículas envolvendo grãos e agregados microcristalinos intersticiais; compactação mecânica e química gerando fraturas em grãos, pseudomatriz em litoclastos dúcteis, micas dobradas e dissolução de grãos originando contatos côncavo-convexos e suturados; precipitação de crescimentos secundários (overgrowths) e projeções de quartzo (outgrowths), caulinita, esmectita e clorita; alteração e substituição de feldspato potássico, muscovita e biótica por caulinita, ilita e clorita. A porosidade dessas rochas é predominantemente primária intergranular, com média de 14%, porém, ocorre porosidade secundária por fratura e dissolução de grãos primários e encolhimento de argila. De modo geral, a porosidade primária dos arenitos Iborepi foi reduzida principalmente por compactação mecânica e química, ciemntação e infiltração de argila, impactando sua qualidade como reservatório de hidrocarbonetos.

Palavras-chave: Arenitos,  porosidade, reservatório.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lima Filho, Universidade Federal de Pernambuco

Análises de processos diagenéticos que atuaram sobre os arenitos da Formação Iborepi foram realizadas em amostras de rochas da Bacia Lavras da Mangabeira. A petrologia e a diagênese desses arenitos é pouco conhecida, principalmente quanto aos processos diagenéticos que atuaram sobre a porosidade original dessas rochas, que podem ser estudadas como análogos de reservatórios de bacias petrolíferas. Estudos petrológico e petrográfico foram realizados em nove lâminas, a fim de avaliar os processos diagenéticos que impactaram a porosidade original dos arenitos Iborepi. Os processos encontrados foram: argila infiltrada como cutículas envolvendo grãos e agregados microcristalinos intersticiais; compactação mecânica e química gerando fraturas em grãos, pseudomatriz em litoclastos dúcteis, micas dobradas e dissolução de grãos originando contatos côncavo-convexos e suturados; precipitação de crescimentos secundários (overgrowths) e projeções de quartzo (outgrowths), caulinita, esmectita e clorita; alteração e substituição de feldspato potássico, muscovita e biótica por caulinita, ilita e clorita. A porosidade dessas rochas é predominantemente primária intergranular, com média de 14%, porém, ocorre porosidade secundária por fratura e dissolução de grãos primários e encolhimento de argila. De modo geral, a porosidade primária dos arenitos Iborepi foi reduzida principalmente por compactação mecânica e química, ciemntação e infiltração de argila, impactando sua qualidade como reservatório de hidrocarbonetos.

Palavras-chave: Arenitos,  porosidade, reservatório.

Freitas, Universidade federal de Pernambuco

Análises de processos diagenéticos que atuaram sobre os arenitos da Formação Iborepi foram realizadas em amostras de rochas da Bacia Lavras da Mangabeira. A petrologia e a diagênese desses arenitos é pouco conhecida, principalmente quanto aos processos diagenéticos que atuaram sobre a porosidade original dessas rochas, que podem ser estudadas como análogos de reservatórios de bacias petrolíferas. Estudos petrológico e petrográfico foram realizados em nove lâminas, a fim de avaliar os processos diagenéticos que impactaram a porosidade original dos arenitos Iborepi. Os processos encontrados foram: argila infiltrada como cutículas envolvendo grãos e agregados microcristalinos intersticiais; compactação mecânica e química gerando fraturas em grãos, pseudomatriz em litoclastos dúcteis, micas dobradas e dissolução de grãos originando contatos côncavo-convexos e suturados; precipitação de crescimentos secundários (overgrowths) e projeções de quartzo (outgrowths), caulinita, esmectita e clorita; alteração e substituição de feldspato potássico, muscovita e biótica por caulinita, ilita e clorita. A porosidade dessas rochas é predominantemente primária intergranular, com média de 14%, porém, ocorre porosidade secundária por fratura e dissolução de grãos primários e encolhimento de argila. De modo geral, a porosidade primária dos arenitos Iborepi foi reduzida principalmente por compactação mecânica e química, ciemntação e infiltração de argila, impactando sua qualidade como reservatório de hidrocarbonetos.

Palavras-chave: Arenitos,  porosidade, reservatório.

Vieira, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Análises de processos diagenéticos que atuaram sobre os arenitos da Formação Iborepi foram realizadas em amostras de rochas da Bacia Lavras da Mangabeira. A petrologia e a diagênese desses arenitos é pouco conhecida, principalmente quanto aos processos diagenéticos que atuaram sobre a porosidade original dessas rochas, que podem ser estudadas como análogos de reservatórios de bacias petrolíferas. Estudos petrológico e petrográfico foram realizados em nove lâminas, a fim de avaliar os processos diagenéticos que impactaram a porosidade original dos arenitos Iborepi. Os processos encontrados foram: argila infiltrada como cutículas envolvendo grãos e agregados microcristalinos intersticiais; compactação mecânica e química gerando fraturas em grãos, pseudomatriz em litoclastos dúcteis, micas dobradas e dissolução de grãos originando contatos côncavo-convexos e suturados; precipitação de crescimentos secundários (overgrowths) e projeções de quartzo (outgrowths), caulinita, esmectita e clorita; alteração e substituição de feldspato potássico, muscovita e biótica por caulinita, ilita e clorita. A porosidade dessas rochas é predominantemente primária intergranular, com média de 14%, porém, ocorre porosidade secundária por fratura e dissolução de grãos primários e encolhimento de argila. De modo geral, a porosidade primária dos arenitos Iborepi foi reduzida principalmente por compactação mecânica e química, ciemntação e infiltração de argila, impactando sua qualidade como reservatório de hidrocarbonetos.

Palavras-chave: Arenitos,  porosidade, reservatório.

Agostinho da Silva, Universidade federal de Pernambuco

Análises de processos diagenéticos que atuaram sobre os arenitos da Formação Iborepi foram realizadas em amostras de rochas da Bacia Lavras da Mangabeira. A petrologia e a diagênese desses arenitos é pouco conhecida, principalmente quanto aos processos diagenéticos que atuaram sobre a porosidade original dessas rochas, que podem ser estudadas como análogos de reservatórios de bacias petrolíferas. Estudos petrológico e petrográfico foram realizados em nove lâminas, a fim de avaliar os processos diagenéticos que impactaram a porosidade original dos arenitos Iborepi. Os processos encontrados foram: argila infiltrada como cutículas envolvendo grãos e agregados microcristalinos intersticiais; compactação mecânica e química gerando fraturas em grãos, pseudomatriz em litoclastos dúcteis, micas dobradas e dissolução de grãos originando contatos côncavo-convexos e suturados; precipitação de crescimentos secundários (overgrowths) e projeções de quartzo (outgrowths), caulinita, esmectita e clorita; alteração e substituição de feldspato potássico, muscovita e biótica por caulinita, ilita e clorita. A porosidade dessas rochas é predominantemente primária intergranular, com média de 14%, porém, ocorre porosidade secundária por fratura e dissolução de grãos primários e encolhimento de argila. De modo geral, a porosidade primária dos arenitos Iborepi foi reduzida principalmente por compactação mecânica e química, ciemntação e infiltração de argila, impactando sua qualidade como reservatório de hidrocarbonetos.

Palavras-chave: Arenitos,  porosidade, reservatório.

Publicado
12-11-2021
Como Citar
VIEIRA BATISTA, Z.; FERREIRA DE LIMA FILHO, M.; RODRIGUES DE ANDRADE FREITAS, W.; MARQUES VIEIRA, M.; OLIVEIRA AGOSTINHO DA SILVA, S. M.; SILVA, V. L. INFLUÊNCIA DOS PROCESSOS DIAGENÉTICOS NA POROSIDADE DOS ARENITOS DA FORMAÇÃO IBOREPI, BACIA DE LAVRAS DA MANGABEIRA, ESTADO DO CEARÁ. Revista de Geociências do Nordeste, v. 7, n. 2, p. 282-294, 12 nov. 2021.
Seção
Artigos