UMA ANÁLISE DO RESTAURO À LUZ DAS TEORIAS CONTEMPORÂNEAS: A CONVERSÃO DO EDIFÍCIO DA ANTIGA ALFÂNDEGA EM CAIXA CULTURAL FORTALEZA

  • Isabelle de Lima Almeida Universidade de Fortaleza
  • Karina da Silva Queiroz Universidade de Fortaleza
  • Gérsica Vasconcelos Goes Universidade de Fortaleza
Palavras-chave: Restauro Contemporâneo, Monumento Histórico, Equipamento Cultural, Patrimônio Cultural, Teoria Contemporânea do Restauro

Resumo

Este artigo tem como objeto de estudo a intervenção no edifício da Antiga Alfândega de Fortaleza para a sua conversão em Caixa Cultural, analisando a introdução do programa arquitetônico contemporâneo de equipamento cultural a partir do respaldo teórico do restauro. A relevância do tema se dá pela necessidade de manter bens culturais constantemente utilizados para que sua conservação seja viabilizada, ainda que modificando o uso original, resultando, assim, em intervenções de restauro essenciais à conversão de usos. Nesse sentido, destaca-se a influência das ideias do restauro contemporâneo nas práticas de intervenções em edifícios históricos. Empregou-se como metodologia a pesquisa de referências bibliográficas e iconográficas, a visita ao local sob estudo, a investigação dos desenhos arquitetônicos do projeto de restauro e a interpretação do material levantado na fase de diagnóstico do bem patrimonial. A análise da intervenção surge, por sua vez, como contribuição ao desenvolvimento de repertório arquitetônico de estratégias projetuais de intervenção em monumentos históricos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Isabelle de Lima Almeida, Universidade de Fortaleza
Graduanda em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de Fortaleza.
Karina da Silva Queiroz, Universidade de Fortaleza
Graduanda em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de Fortaleza.
Gérsica Vasconcelos Goes, Universidade de Fortaleza
Mestre e Doutoranda em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Professora do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Fortaleza.

Referências

ALMEIDA, A.A. Segregação urbana na contemporaneidade: o caso da Comunidade Poço da Draga na cidade de Fortaleza. 2015. 258 f. Dissertação (Mestrado) -Curso de Mestrado em Arquitetura e Urbanismo, Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2015.
BENEDITO, F. Caminhando por Fortaleza. Fortaleza: Destak, 1999. BRANDI, C. Teoria da restauração. Cotia: Ateliê Editorial, 2013.
BRASIL. Ministério da Cultura. Instituto do Programa Monumenta. Manual de elaboração de projetos de preservação do patrimônio cultural. Elaboração José Hailon Gomide, Patrícia Reis da Silva, Sylvia Maria Nelo Braga. Brasília: Ministério da Cultura, Instituto do Programa Monumenta, 2005.
BRASIL. Portaria n°420, de 22 de dezembro de 2010. Dispõe sobre os procedimentos a serem observados para a concessão de autorização para realização de intervenções em bens edificados tombados e nas respectivas áreas de entorno, 2010.
CARSALADE, F. L. A pedra e o tempo: arquitetura como patrimônio cultural. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2014.
CASTRIOTA, L.B. (Org.). Casa de Câmara e Cadeia de Mariana: a recuperação de um patrimônio nacional. Belo Horizonte: Instituto de Estudos do Desenvolvimento Sustentável, 2012.
CHOAY, F. A alegoria do patrimônio. São Paulo: Estação Liberdade; Editora UNESP, 2001.CURY, I.(Org.). Cartas patrimoniais. 2. ed. rev. e aumentada. Rio de Janeiro: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, 2000.
KÜHL, B.M. História e Ética na Conservação e na Restauração de Monumentos Históricos. Revista CPC, São Paulo, v. 1, n. 1, p.16-40, nov. 2005.
LEMOS, C.A. C. O que é patrimônio histórico. São Paulo: Brasiliense, 1981.
LYRA, C. C. Preservação do patrimônio edificado: a questão do uso. Brasília: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, 2016.
MOROZOWSKI; PERRY. Edifício da Antiga Alfândega: recomendações para o restauro, patologias e diagnóstico. Curitiba, 2005a.
MOROZOWSKI;PERRY. Conjunto Cultural da Caixa: Fortaleza. Curitiba, 2005.
OLIMPIO, M. L. V. O registro de procedimentos metodológicos em projetos de intervenção arquitetônica no patrimônio edificado: o caso de Natal/RN. 2015. 202 f. Dissertação (Mestrado) -Curso de Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
VIEIRA, N. M. Gestão de sítios históricos: a transformação dos valores culturais e econômicos em programas de revitalização em áreas histórica. Recife: Editora Universitária da UFPE, 2007.
VIEIRA, N. M.; NASCIMENTO, J. C. A cristalização da “eterna imagem do passado” nas práticas preservacionistas dos sítios históricos brasileiros: perspectivas para a sua superação? In: Encontro da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, 2, 2012, Natal. Anais...Natal: II Encontro da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, 2012. 21 p.
Publicado
29-08-2018
Como Citar
ALMEIDA, I. DE L.; QUEIROZ, K. DA S.; GOES, G. V. UMA ANÁLISE DO RESTAURO À LUZ DAS TEORIAS CONTEMPORÂNEAS: A CONVERSÃO DO EDIFÍCIO DA ANTIGA ALFÂNDEGA EM CAIXA CULTURAL FORTALEZA. Revista Projetar - Projeto e Percepção do Ambiente, v. 3, n. 2, p. 51-65, 29 ago. 2018.
Seção
TEORIA E CONCEITO