O CONCEITO DE PRAÇA E A QUALIDADE DA PAISAGEM URBANA

  • Vivian Dall'Igna Ecker s.af.
Palavras-chave: praças; qualidade espacial; conceitos

Resumo

As praças são uma tipologia decorrente da cultura urbana de origem europeia, e que está associada à imagem de espaço livre, cercado de edificações. São espaços públicos presentes em muitas cidades, desde as suas origens, e possuem qualidades arquitetônicas e paisagísticas que lhes denotam a característica de espaço de convergência e centralidade. Nesta pesquisa, parte-se do pressuposto de que, a partir de determinados atributos, as praças incentivam as práticas de sociabilidade, fortalecendo o senso de identidade e pertencimento dos habitantes às cidades. Da mesma forma, a partir de atributos ambientais e paisagísticos, estas contribuem para a qualidade da paisagem urbana. Com base nos pressupostos apresentados, pretende-se expor, neste artigo, uma revisão bibliográfica acerca da qualidade espacial de praças, descrevendo os principais conceitos, relativos a esta tipologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vivian Dall'Igna Ecker, s.af.

Arquiteta e urbanista formada pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FA/UFRGS), em 2007. Teve o trabalho final de graduação indicado ao Ópera Prima. Em sua trajetória, trabalhou no escritório holandês Atelier Pro, no ano de 2003. De 2005 a 2013, integrou a equipe da linha de pesquisa em Edificações e Comunidades Sustentáveis (NORIE/UFRGS), onde participou de projetos de ensino, pesquisa e extensão, e desenvolveu um trabalho de especialização. Ingressou no mestrado em 2014, no Programa de Pós-Graduação em Urbanismo, História e Arquitetura da Cidade (PGAU-Cidade/UFSC), quando estudou as questões relativas à importância de praças, com ênfase na qualidade da paisagem urbana. Já lecionou em disciplinas de expressão gráfica, conforto ambiental, paisagismo, projeto arquitetônico e história da arquitetura. Em 2018, trabalhou no setor de tutoria interna, na modalidade de Ensino à Distância, da UNIASSELVI, onde esteve responsável por disciplinas de história da arquitetura.

Referências

ABBUD, B. Criando paisagens: guia de trabalho em Arquitetura Paisagística. São Paulo: Editora SENAC, 2006.

ARENDT, H. A condição da vida humana. Rio de Janeiro: Editora Forense Universitária, 2007. (Texto original de 1958).

BACKES, M. A. Princípios do Paisagismo Ecológico. Curso Modular “Paisagismo Regenerativo” - apostilas diversas (não publicado). Nova Petrópolis-RS, 2004.

BACKES, M.A. Curso Completo de Jardinagem e Paisagismo - apostilas diversas (não publicado). Nova Petrópolis-RS, 2010.

BORJA, J.; MUXI, Z. El espacio público, ciudad y ciudadanía. Barcelona: Ed. Península, 2000.

CALDEIRA, J. M. A praça brasileira. Trajetória de um espaço urbano: origem e modernidade. Tese (Doutorado). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade de Campinas, 2007.

CARR, S.; FRANCIS, M.; RIVLIN, L. G.; STONE, A.M. Public space. Davis: University of California, 1995.

CASTELLO, L. Repensando o lugar no projeto urbano: variações na percepção de lugar na virada do milênio (1985-2004). Tese (Doutorado). Programa de Pesquisa e Pós-Graduação em Arquitetura, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2005.

FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Ed. Nova Fronteira, 1986.

GEHL, J. Cities for people. Washington: Island Press, 2010.

HABERMAS, J. Mudança estrutural da esfera publica: investigações quanto a uma categoria da sociedade burguesa. Rio de Janeiro. Tempo Brasileiro, 1984.

JACOBS, J. Morte e vida de grandes cidades. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

JOHN, N.; REIS, A. T. Percepção, estética e uso do mobiliário urbano. Gestão & Tecnologia de Projetos, v. 5, n. 2, novembro/2010.

LAMAS, J. M. R.G. Morfologia Urbana e Desenho da Cidade. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1993.

LANDSCAPE MAGAZINE, v. 99, n. 1. Washington D.C.: American Society of Landscape Architects, January 2009.

LANDSCAPE MAGAZINE, v. 100, n. 4. Washington D.C.: American Society of Landscape Architects, April 2010.

LYNCH, K. A Imagem da Cidade. São Paulo: WMF / Martins Fontes, 2011. (Texto original de 1960).

MAGRO, M.L. Os espaços externos do Campus I da Universidade de Passo Fundo: a análise da percepção dos usuários e de suas referências. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre/RS, 2006.

MARCUS, C.C.; FRANCIS, C. People places: design guidelines for urban open space. Nova Iorque: John Wiley, 1998.

MARX, M. Cidade no Brasil – Terra de quem? São Paulo: EDUSP/Livraria Nobel S.A., 1991.

MASCARÓ, L. Ambiência Urbana. Porto Alegre: +4 Editora, 1996.

MASCARÓ, J. L. Infraestrutura da Paisagem. Porto Alegre: +4 Editora, 2007.

MENEZES, F. M. Projeto urbano e criação de espaços públicos: cidade pedra branca na grande Florianópolis. Dissertação (Mestrado). Pós-Graduação em Urbanismo, História e Arquitetura da Cidade, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2013.

MOURTHÉ, C. Mobiliário Urbano. Rio de Janeiro: 2AB, 1998.

OLIVEIRA, L. A. Padrões espaciais na morfologia urbana na Ilha de Santa Catarina: diálogos entre o local e o global. In: G. P. A. SILVA; L. A. OLIVEIRA (Orgs.). Arquitetura da cidade contemporânea: sobre raízes, ritmos e caminhos. Florianópolis: Editora da UFSC, 2013.

REIS FILHO, N. G. Notas sobre urbanização dispersa e novas formas de tecido urbano. São Paulo: Via das Artes, 2006.

SENNETT, R. O declínio do homem público – as tiranias da intimidade. São Paulo: Companhia das Letras, 1993. (Texto original de 1970).

SIMMEL, G. Questões fundamentais da sociologia: indivíduo e sociedade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2006. (Texto original de 1917).

SITTE, C. A construção das cidades segundo seus princípios artísticos. São Paulo: Ática, 1992. (Texto original de 1889).

TENÓRIO, G. S. Ao desocupado em cima da ponte - Brasília, arquitetura e vida pública. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade de Brasília, 2012.

VAZ, N. P. La place publique comme espace de communication - La place publique centrale de Florianópolis au Brésil et la place parisienne. Saarbrücken: Editions Universitaires Europeennes (EUE), 2010.

ZEVI, B. Saber ver a arquitetura. São Paulo: Martins Fontes, 2011. (Texto original de 1959).

Publicado
23-01-2020
Como Citar
DALL’IGNA ECKER, V. O CONCEITO DE PRAÇA E A QUALIDADE DA PAISAGEM URBANA. Revista Projetar - Projeto e Percepção do Ambiente, v. 5, n. 1, p. 101-110, 23 jan. 2020.
Seção
TEORIA E CONCEITO