NOTAS SOBRE MÉTODOS PARA A PESQUISA ARQUITETÔNICA PATRIMONIAL

Palavras-chave: arquitetura; projeto arquitetônico; tectônica, patrimônio arquitetônico; análise arquitetônica.

Resumo

O artigo possui como objeto de discussão notas sobre métodos para pesquisa arquitetônica de bens com valor patrimonial, desenvolvida pela autora desde 2007 e adotada em seu grupo de investigação no desenvolvimento de projetos de iniciação científica acadêmica e em programas de pós- graduação de instituição federal brasileira. Devido às dificuldades dos estudantes seguirem um método que os oriente no desenvolvimento de trabalhos investigativos, ao longo dos anos foi construída uma linha de pesquisa que dialoga com outros autores clássicos na área de arquitetura, como Katinsky (2005), Serra (2006), Rovira e Gáston (2007), resultando numa proposta metodológica que tem obtido bons produtos acadêmicos, como trabalhos de conclusão de curso, monografias, dissertações, artigos publicados em periódicos e anais de eventos nacionais e internacionais. Assim, o objetivo do artigo é expor aos interessados na área a possibilidade de mais um caminho a ser seguido por jovens pesquisadores na elaboração de análises arquitetônicas que não sejam apenas descritivas, mas também, críticas. De forma sucinta, a metodologia trabalha com sete dimensões da arquitetura, a saber: 1) Dimensão normativa; 2) Dimensão histórica; 3) Dimensão espacial (3.1 espaço externo; 3.2 espaço interno); 4) Dimensão Tectônica; 5) Dimensão Funcional; 6) Dimensão formal; 7) Dimensão da conservação do objeto. Justifica-se pela necessidade de jovens pesquisadores iniciarem nas investigações sobre as edificações e possuírem uma pauta que os oriente neste percurso. Certamente tal proposta metodológica passará sempre por revisões, procurando aperfeiçoamento e, justamente por isso, é divulgada, para ser discutida, e sofrer seus devidos ajustes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alcília Afonso Melo, Universidade Federal de Campina Grande

Unidade Academica de engenharia civil e arquitetura.

CAU-UAEC- CTRN-UFCG

Área de Projetos Arquitetônicos e Teoria e História da Arquitetura

Referências

ALBERTI, Verena. Ouvir contar: textos em História Oral. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2010. ALMANAQUE DO CARIRI, 1952. ALVES FILHO, João. Mateus rumo ao céu. Campo Maior: [s/n], 1994.
Constituição da República Federativa do Brasil.1988. Texto constitucional promulgado em 5 de outubro de 1988. Com as alterações adotadas pelas Emendas Constitucionais de 01/1992 a 91/2016. Palácio do Planalto. Brasília, ago 2016. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm. Acesso em 20 de junho de 2018.
BERMAN, Martin. Conversaciones sobre la guerra y la paz. Barcelona: Luiz Carral.1954.
CAMARGO, Aspásia. Como a História Oral chegou ao Brasil. História Oral. Revista da Associação Brasileira de História Oral São Paulo, n. 2, jun.1999.
Carta de Burra. Iphan. 1980. Disponível em http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Carta%20de%20Burra%201980.pdf. Acesso em 14 de junho de 2019.
CHOAY, F. A Alegoria do Patrimônio. 4ª. Ed. São Paulo: Estação Liberdade. UNESP. 2006.
COLIN, Silvio. Introdução à arquitetura. Rio de Janeiro: UAPE, 2000.
COSTA, L. Considerações sobre arte contemporânea (1940). In: L. COSTA, Registro de uma vivência. São Paulo, Empresa das Artes, 1995.
CULLEN, Gordon. Paisagem urbana. Lisboa: Edições 70, 1996.
ECO, Umberto. Como se faz uma tese. São Paulo: Editora Perspectiva. 1989.
FRAMPTON, Kenneth. Towards a critical regionalism: Six points for an architecture of resistance. In: FOSTER, Hal (Dir.). The anti-aesthetic: Essays on postmodern culture . Port Townsend (Washington): Bay Press, 1983, p. 16-30.
FRAMPTON, Kenneth. Rappel à l’Ordre: The Case for the Tectonic. Architectural Design, Londres, v. 60, n. 3-4, p. 19- 25.1990.
FRAMPTON, Kenneth. Studies in tectonics culture. Cambridge. Massachussets. The MIT Press.1995.
GASTÓN, C; ROVIRA, T. El proyecto Moderno: Pautas de Investigación. Barcelona: Ediciones UPC, 2007.
KATINSKY, J. R.. Pesquisa Acadêmica na FAUUSP. São Paulo: FAUUSP. 2005.
LAMAS, José. Morfologia Urbana e Paisagem da Cidade. Lisboa: Fergáfrica, 2000.
LICHTENSTEIN, Noberto. Patologia das construções. Publicado no Boletim Técnico Nº06/86 da Escola Politécnica da USP. SP:USP. 1986
LYNCH, Kevin. A imagem da cidade. São Paulo: Martins Fontes, 1997.
MACIEL, Carlos Alberto. Arquitetura, projeto e conceito. Arquitextos, São Paulo, ano 04, n. 043.10, Vitruvius, dez. 2003 Disponível em . Acesso em 10 de setembro de 2018.
MAHFUZ, Edson. Reflexões sobre a construção da forma pertinente. Arquitextos, São Paulo, ano 04, n. 045.02, Vitruvius, fev. 2004. Disponível em http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/04.045/606. Acesso em 20 de outubro de 2018.
MONTANER, Josep. As formas do século XX. Barcelona: Gustavo Gili. 2002.
MONTENEGRO, A. T. História Oral e memória. A cultura popular revisitada. 3ª. Edição. São Paulo: Contexto. 1994.
MOREIRA, Lilian. Patrimônio cultural imaterial e sua proteção pelo ministério público. In MIRANDA, Marcos. Patrimônio Cultural. Belo Horizonte: Del Rey. 2013.
PINON, Helio. Teoria do projeto. Traduzido por E. Mahfuz. Porto Alegre: Livraria do arquiteto. 2006
PORTELLI, Alessandro. Memória e diálogo: desafios da História Oral para a ideologia do século XXI. In: FERREIRA, Marieta de Moraes; FERNANDES, Tânia Maria; ALBERTI, Verena (Org.). História Oral: desafios para o século XXI. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2000.
RIBEIRO, R e NÓBREGA C. (org). Projeto e patrimônio: reflexões e aplicações. Rio de Janeiro: Rio Books. 2016.
SERRA, G. Pesquisa em arquitetura e urbanismo. Guia prático para o trabalho de pesquisadores em pós-graduação. São Paulo: EDUSP. 2006.
SILVA, De Plácido. Vocabulário jurídico. Rio de janeiro: Editora Forense. 2004
SOUZA, V. C.; RIPPER, T. Patologia, recuperação e reforço de estruturas de concreto. São Paulo: PINI, 1998.
TINOCO, Jorge Eduardo. Mapa de danos. Recomendações básicas. Recife: CECI/MDU. 2009.
VIEGAS, Waldir. Fundamentos da metodologia científica. Brasília: Editora da UNB: Paralelo 15, 1999.
ZEIN, Ruth Verde. A década ausente. É preciso reconhecer a arquitetura brasileira dos anos 1960-70. Arquitextos, n. 076.02. São Paulo, Portal Vitruvius, set. 2006. Disponível em http://www.vitruvius.com.br/arquitextos/arq076/arq076_02.asp. Acesso em 20 de outubro de 2018.
Publicado
12-12-2019
Como Citar
AFONSO MELO, A. NOTAS SOBRE MÉTODOS PARA A PESQUISA ARQUITETÔNICA PATRIMONIAL . Revista Projetar - Projeto e Percepção do Ambiente, v. 4, n. 3, p. 54-70, 12 dez. 2019.
Seção
PESQUISA