QUALIDADE DE PRAÇAS E PARQUES URBANOS PELA PERCEPÇÃO DA POPULAÇÃO

potencial da oferta de serviços ecossistêmicos

  • Guilherme Nogueira Martins Universidade Nove de Julho
  • Ana Paula Branco do Nascimento
  • Amarilis Lucia Casteli Figueiredo Gallardo
Palavras-chave: Praças; Parques; Governança Ambiental; Percepção;

Resumo

Os espaços verdes urbanos são áreas provedoras de relevantes serviços ecossistêmicos para a sociedade. Dentre esses destacam-se os serviços ecossistêmicos culturais responsáveis pelo fornecimento de recreação, educação e percepção estética e espiritual, possibilitando a ampliação da qualidade de vida dos cidadãos urbanos. Praças e parques urbanos têm sido destacados na literatura como potenciais áreas verdes na oferta desses serviços ecossistêmicos. A governança ambiental dessas áreas verdes urbanas envolve a qualidade desses espaços, e, se for direcionada à promoção de melhores espaços verdes, infraestruturas e equipamentos pode ampliar as funções sociais e ambientais dessas áreas.  O objetivo deste artigo é avaliar a percepção da população do entorno acerca da qualidade de áreas verdes considerado o potencial intrínseco de oferta de serviços ecossistêmicos. Para tanto, selecionou-se um bairro de Osasco, São Paulo, cidade brasileira que possui várias praças e parques urbanos. As 216 entrevistas com moradores foram analisadas estatisticamente. Os resultados mostram que a população do entorno dessas áreas verdes percebe a importância da qualidade dessas áreas e da sua infraestrutura. Os resultados apontam que praças e parques necessitam de melhorias pelo órgão gestor, embora a população perceba que os parques estão melhor cuidados que as praças. Entende-se que esse mapeamento de percepção das áreas verdes pelos usuários pode representar uma oportunidade para a gestão pública local compreender os anseios da população e permitir que os potenciais serviços ecossistêmicos, principalmente, os culturais possam ser ampliados e desfrutados por um número maior de habitantes do bairro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDERSSON, Erik et al. Reconnecting cities to the biosphere: stewardship of green infrastructure and urban ecosystem services. Ambio, v. 43, n. 4, p. 445-453, 2014. Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1007/s13280-014-0506-y Acesso em: 17/03/2020.
ANDERSSON, Erik et al. Cultural ecosystem services as a gateway for improving urban sustainability. Ecosystem Services, v. 12, p. 165-168, 2015. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S2212041614000862 Acesso em: 17/03/2020.
BARGOS, Danúbia Caporusso; MATIAS, Lindon Fonseca. Áreas verdes urbanas: um estudo de revisão e proposta conceitual. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, v. 6, n. 3, p. 172-188, 2019. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/revsbau/article/view/66481 Acesso em: 17/03/2020.
CAMPOS, Renata Bernardes Faria; CASTRO, Josiane Marcia. Áreas verdes: Espaços urbanos negligenciados impactando a saúde. Saúde & Transformação Social/Health & Social Change, v. 8, n. 1, p. 106-116, 2017. Disponível em: http://incubadora.periodicos.ufsc.br/index.php/saudeetransformacao/article/view/4289 Acesso em: 17/03/2020.
CANEDOLI, Claudia et al. Public participatory mapping of cultural ecosystem services: Citizen perception and park management in the Parco Nord of Milan (Italy). Sustainability, v. 9, n. 6, p. 891, 2017. Disponível em: https://www.mdpi.com/2071-1050/9/6/891 Acesso em: 17/03/2020.
COLDING, Johan; LUNDBERG, Jakob; FOLKE, Carl. Incorporating green-area user groups in urban ecosystem management. AMBIO: A Journal of the Human Environment, v. 35, n. 5, p. 237-244, 2006. Disponível em: https://bioone.org/journals/AMBIO-A-Journal-of-the-Human-Environment/volume-35/issue-5/05-A-098R.1/Incorporating-Green-area-User-Groups-in-Urban-Ecosystem-Management/10.1579/05-A-098R.1.short Acesso em: 17/03/2020.
CARASEK, Mirian; MELO, Evanisa Fátima Reginato Quevedo; MELO, Ricardo Henryque Reginato Quevedo. Parques Urbanos na promoção da Qualidade de Vida Estudo de caso em Passo Fundo, RS. Revista Nacional de Gerenciamento de Cidades, v. 5, n. 35, 2017. Disponível em: http://amigosdanatureza.org.br/publicacoes/index.php/gerenciamento_de_cidades/article/view/1625 Acesso em: 17/03/2020.
COSTA, Renata Geniany Silva; COLESANTI, Marlene Muno. A contribuição da percepção ambiental nos estudos das áreas verdes. Raega-O Espaço Geográfico em Análise, v. 22, 2011. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/raega/article/view/21774 Acesso em: 17/03/2020.
DANIEL, Terry C. et al. Contributions of cultural services to the ecosystem services agenda. Proceedings of the National Academy of Sciences, v. 109, n. 23, p. 8812-8819, 2012. Disponível em: https://www.pnas.org/content/109/23/8812.short Acesso em: 17/03/2020.
DE ANGELIS, Bruno Luiz Domingos; CASTRO, Rosanda Miranda de; DE ANGELIS NETO, Generoso. Metodologia para levantamento, cadastramento, diagnóstico e avaliação de praças no Brasil. Engenharia Civil, v. 4, n. 1, p. 57-70, 2004. Disponível em: https://s3.amazonaws.com/academia.edu.documents/46265729/Pag_2057-70.pdf?response-content-disposition=inline%3B%20filename%3DMetodologia_para_levantamento_cadastrame.pdf&X-Amz-Algorithm=AWS4-HMAC-SHA256&X-Amz-Credential=AKIAIWOWYYGZ2Y53UL3A%2F20200317%2Fus-east-1%2Fs3%2Faws4_request&X-Amz-Date=20200317T135721Z&X-Amz-Expires=3600&X-Amz-SignedHeaders=host&X-Amz-Signature=aeeb0e1d4c2e046f100f5fc54e2f6cbb9bfa39cbb4788acaf0de19cca46bac60 Acesso em: 17/03/2020.
DORIGO, Tania Amara; LAMANO-FERREIRA, Ana Paula Nacimento. Contribuições da percepção ambiental de frequentadores sobre praças e parques no Brasil (2009-2013): revisão bibliográfica. Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, v. 4, n. 3, p. 31-45, 2015. Disponível em: http://revistageas.org.br/ojs/index.php/geas/article/view/138 Acesso em: 17/03/2020.
GRĂDINARU, Simona R.; HERSPERGER, Anna M. Green infrastructure in strategic spatial plans: Evidence from European urban regions. Urban Forestry and Urban Greening, 2018. Disponível em: https://www.dora.lib4ri.ch/wsl/islandora/object/wsl%3A17340/datastream/PDF/Gr%C4%83dinaru-2018-Green_infrastructure_in_strategic_spatial_plans-%28published_version%29.pdf Acesso em: 17/03/2020.
Hegetschweiler, K. T., de Vries, S., Arnberger, A., Bell, S., Brennan, M., Siter, N., ... & Hunziker, M. (2017). Linking demand and supply factors in identifying cultural ecosystem services of urban green infrastructures: A review of European studies. Urban Forestry & Urban Greening, 21, 48-59. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S1618866716302734 Acesso em: 17/03/2020.
HERNÁNDEZ-MORCILLO, Mónica; PLIENINGER, Tobias; BIELING, Claudia. An empirical review of cultural ecosystem service indicators. Ecological indicators, v. 29, p. 434-444, 2013. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S1470160X13000320 Acesso em: 17/03/2020.
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE. Recuperado em 21 maio, 2020, de https://cidades.ibge.gov.br/brasil/sp/osasco/panorama.
KABISCH, Nadja. Ecosystem service implementation and governance challenges in urban green space planning—The case of Berlin, Germany. Land use policy, v. 42, p. 557-567, 2015. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0264837714002002 Acesso em: 17/03/2020.
LOBODA, Carlos Roberto; DE ANGELIS, Bruno Luiz Domingues. Áreas verdes públicas urbanas: conceitos, usos e funções. Ambiência, v. 1, n. 1, p. 125-139, 2005. Disponível em: https://revistas.unicentro.br/index.php/ambiencia/article/view/157 Acesso em: 17/03/2020.
MACEDO, Julierme; ROCHA, Yuri. Qualidade ambiental urbana do bairro City Bussocaba, município de Osasco, Estado de São Paulo, Brasil. Anais, 2010. Disponível em: https://repositorio.usp.br/item/002456782 Acesso em: 17/03/2020.
MAK, Bonnie KL; JIM, Chi Yung. Linking park users' socio-demographic characteristics and visit-related preferences to improve urban parks. Cities, v. 92, p. 97-111, 2019. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0264275117307096 Acesso em: 17/03/2020.
DE MENESES, Antônio Vital; JUNIOR, Luiz Cezar Lima. GESTÃO DOS ESPAÇOS PÚBLICOS URBANOS PARA A PRÁTICA DE ESPORTES. Espaço em Revista, v. 19, n. 1, 2017.
O’DONNELL, Patricia M. Revitalizing Urban Parks to Uplift a Rust Belt City: HUL Applied to Pittsburgh, PA, USA. In: Reshaping Urban Conservation. Springer, Singapore, 2019. p. 387-401. Disponível em: https://link.springer.com/chapter/10.1007/978-981-10-8887-2_22 Acesso em: 17/03/2020.
PLIENINGER, Tobias et al. Assessing, mapping, and quantifying cultural ecosystem services at community level. Land use policy, v. 33, p. 118-129, 2013. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S026483771200258X Acesso em: 17/03/2020.
RIBEIRO, Luciano Amaral; RAMOS, Heidy Rodriguez; DO NASCIMENTO, Ana Paula Branco. Governança de áreas verdes e parques no município de São Paulo. Revista Nacional de Gerenciamento de Cidades, v. 7, n. 52, 2019. Disponível em: http://www.amigosdanatureza.org.br/publicacoes/index.php/gerenciamento_de_cidades/article/view/2165 Acesso em: 17/03/2020.
ROCHA, Luiz Carlos et al. Ordenamento legal e políticas públicas de esporte e lazer: o abismo entre gestão citadina e participação popular. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DO ESPORTE. 2007. Disponível em: http://www.cbce.org.br/docs/cd/resumos/276.pdf Acesso em: 17/03/2020.
SAKATA, Francine. Desafios para a gestão e a manutenção de praças e parques. 2019. Disponível em: http://projedata.grupoprojetar.ufrn.br/dspace/handle/123456789/2466 Acesso em: 17/03/2020.
SANDSTRO¨ M, Ulf G. Green infrastructure planning in urban Sweden. Planning practice and research, v. 17, n. 4, p. 373-385, 2002. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/02697450216356?journalCode=cppr20 Acesso em: 17/03/2020.
SCHRIJNEN, Pieter M. Infrastructure networks and red–green patterns in city regions. Landscape and Urban Planning, v. 48, n. 3-4, p. 191-204, 2000. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0169204600000426 Acesso em: 17/03/2020.
SOARES, Aline Paim et al. Importância dos parques urbanos para promoção da qualidade de vida dos indivíduos. Disciplinarum Scientia| Sociais Aplicadas, v. 15, n. 2, p. 243-257, 2019. Disponível em: https://periodicos.ufn.edu.br/index.php/disciplinarumSA/article/view/2746 Acesso em: 17/03/2020.
SOUZA, Alex Pereira de; MIRON, Luciana Inês Gomes. A Gestão de parques urbanos e praças em Porto Alegre. Blucher Design Proceedings. Blucher, 2019. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/204501/001107725.pdf?sequence=1 Acesso em: 17/03/2020.
TZOULAS, Konstantinos et al. Promoting ecosystem and human health in urban areas using Green Infrastructure: A literature review. Landscape and urban planning, v. 81, n. 3, p. 167-178, 2007. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0169204607000503 Acesso em: 17/03/2020.
VAN DER RYN, Sim; COWAN, Stuart. Ecological design. Island press, 2013. Disponível em: https://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=PEBs_eoIOdgC&oi=fnd&pg=PR5&dq=VAN+DER+RYN,+Sim%3B+COWAN,+Stuart.+Ecological+design.+Island+press,+2013.&ots=--9ucfIbrO&sig=n9FLkmfKTRWS29nm931cIBsWY4w#v=onepage&q=VAN%20DER%20RYN%2C%20Sim%3B%20COWAN%2C%20Stuart.%20Ecological%20design.%20Island%20press%2C%202013.&f=false Acesso em: 17/03/2020.
VASSALO, V. P. L.; FIGUEIREDO, P. J. S. Sustentabilidade dos espaços urbanos. In: 4º Congresso Luso-Brasileiro para o Planejamento Urbano, Regional, Integrado e Sustentável. 2010. Disponível em: http://pluris2010.civil.uminho.pt/Actas/PDF/Paper482.pdf Acesso em: 17/03/2020.
WALMSLEY, Anthony. Greenways: multiplying and diversifying in the 21st century. Landscape and urban planning, v. 76, n. 1-4, p. 252-290, 2006. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0169204604001446 Acesso em: 17/03/2020.
Publicado
22-09-2020
Como Citar
NOGUEIRA MARTINS, G.; BRANCO DO NASCIMENTO, A. P.; LUCIA CASTELI FIGUEIREDO GALLARDO, A. QUALIDADE DE PRAÇAS E PARQUES URBANOS PELA PERCEPÇÃO DA POPULAÇÃO. Revista Projetar - Projeto e Percepção do Ambiente, v. 5, n. 3, p. 34-47, 22 set. 2020.
Seção
PESQUISA