UMA GRAMÁTICA MODERNA

A LEI DE AMORIM

  • Luiz Manuel do Eirado Amorim UFPE
  • Cristiana Griz Universidade Federal de Pernambuco
  • Yara Bezerra Universidade Federal de Pernambuco
Palavras-chave: Gramática da forma; Projeto paramétrico, Arquitetura moderna, Composição arquitetônica

Resumo

Em teorias normativas ou prescritivas, os requisitos arquitetônicos são definidos como parâmetros para apoiar as decisões de projeto. Um conjunto de parâmetros formais é suficiente para gerar uma grande variedade de composições, quase sempre associadas a uma mesma linguagem formal. Este artigo analisa a obra do arquiteto luso-brasileiro Delfim Fernandes Amorim, cujas contribuições para a divulgação de ideias modernistas e para o desenvolvimento de léxico arquitetônico moderno são bastante relevantes, como observado na chamada Lei de Amorim – uma interpretação das normas municipais do Recife que considera espaços de ocupação transitória e elementos arquitetônicos específicos poderiam ser construídos para além do recuo obrigatório, sem que suas áreas fossem consideradas na área total da edificação. Este artigo apresenta o desenvolvimento de uma gramática da forma que mostra como alguns dos parâmetros definidos na Lei de Amorim são capazes de criar uma linguagem formal forte. A gramática foi desenvolvida em duas etapas sucessivas: a primeira permite a geração do padrão de adjacência dos cômodos dos apartamentos; o segundo, orientar a inserção das aberturas e elementos arquitetônicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Manuel do Eirado Amorim, UFPE
É arquiteto e urbanista, formado pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) em 1982, tendo concluído o PhD em Advanced Architectural Studies na Bartlett School of Graduate Studies - University College London, em 1999. É Professor Titular do Departamento de Arquitetura e Urbanismo da UFPE, atuando no Curso de Graduação em Arquitetura e Urbanismo e no Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Urbano (MDU), onde coordena o Laboratório de Estudos Avançados em Arquitetura (lA2) e o Grupo de Pesquisa de Morfologia da Arquitetura e do Urbanismo. 
Cristiana Griz, Universidade Federal de Pernambuco

É arquiteta e urbanista (1998), Mestre (2002) e Doutora (2012) em Desenvolvimento Urbano pela UFPE, fez pós-doutorado (2017) na área de Fabricação Digital, na UFPB. É Professora Associada do Departamento de Expressão Gráfica da UFPE e professora colaboradora do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da UFPB e pesquisadora do lA2 (Laboratório de Estudos Avançados em Arquitetura (lA2), onde desenvolve pesquisas nas áreas de morfologia da arquitetura, design generativo, projeto e fabricação digital.

Yara Bezerra, Universidade Federal de Pernambuco

Graduanda em Arquitetura e Urbanismo na Universidade Federal de Pernambuco. Ensino médio e Técnico em Edificações pelo Instituto Federal de Pernambuco (2013).

Referências

ALBERTI, L. B. On the art of building in ten books. Cambridge: MIT Press, 1988 [1485].
AMORIM, D.; MAIA NETO, H. Edifício Barão do Rio Branco. In: Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento de Pernambuco. Premiação Anual do IAB-PE 69. Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento de Pernambuco: Recife; 11-19, 1969.
Referência omitida para avaliação, 1981
Referência omitida para avaliação, 1989
Referência omitida para avaliação, 1999
Referência omitida para avaliação, 2018
Referência omitida para avaliação, 2019a
Referência omitida para avaliação, 2019b
Referência omitida para avaliação, 2020
CELANI, G. Algorithmic Sustainable Design. Uma visão crítica do projeto generativo. Resenhas Online, São Paulo, ano 10, n. 116.03, Vitruvius, ago. 2011 . Acesso em 25 de fevereiro de 2021.
DUARTE, J. P. Personalizar a habitação em série: Uma Gramática Discursiva para as Casas da Malagueira do Siza. Lisboa: Ed. Fundação Calouste Gulbenkian, 2007.
EILOUTI, B. Shape grammars as a reverse engineering method for the morphogenesis of architectural façade design. Frontiers of Architectural Research, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.foar.2019.03.006. Acesso em 25 de fevereiro de 2021.
ELOY, S. A transformation grammar-based methodology for housing rehabilitation: meeting contemporary functional and ICT requirements. (PhD). Universidade Técnica de Lisboa, Lisboa, 2012.
FIRMINO, B. Wandenkolk – filme. 2015
FISCHER, T.; HERR, C. M. (2001). Teaching Generative Design. In: 4th International Generative Art Conference, Generative Design. Milão. Available in: . Acesso em: 14 abril 2015.
Referência omitida para avaliação, 2015
INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL - DEPARTAMENTO DE PERNAMBUCO. Prêmio Anual do IABpe 1969. Recife: Instituto de Arquitetos do Brasil - Departamento de Pernambuco, 1969
KNIGHT T. The forty-one steps. Environment and Planning B: Planning and Design; v.8, p. 97-114, 1981.
KNIGTH, T. Shape grammars: Six types. Environment and Planning B: Planning and Design; v 26, p. 15-31, 1999.
KONING, H.; EIZENBERG, J. “The language of the prairie: Frank Lloyd Wright's prairie houses”. Environment and Planning B: Planning and Design, v. 8, p. 295-323, 1981.
LANG, J. Creating architectural theory: the role of behavioral sciences in environmental design. New York: Van Nostrand Reinhold, 1987.
LE CORBUSIER (1993) Vers une architecture. Paris: Éditions Crès, Collection de "L'Esprit Nouveau":
LE CORBUSIER El modulor: ensayo sobre uma medida armonica a la escala humana aplicable universalmente a la arquitectura y la mecânica. Buenos Ayres: Editorial Poseidon, 1976 [1948].
LATOUR, A. Kahn Louis I: Writings, lectures, interviews. New York: Rizzoli International Publication, 1991.
MAYER, R. (2012). A gramática da habitação mínima: análise do projeto arquitetônico de interesse social em Porto Alegre e Região Metropolitana. (Tese de Doutorado em Arquitetura). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.
MUSSI, A. Q. (2014). Os padrões de ampliação espontânea de interesse social em Porto Alegre, RS, e Região Metropolitana: Uma Proposta de Aplicação da Gramática da Forma e Sintaxe Espacial (Tese de Doutorado em Arquitetura). Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
PALLADIO, A. Os quatro livros da arquitetura. São Paulo: Editora Hucitec, 2009 [1570].
PREFEITURA DA CIDADE DO RECIFE. Lei nº 7.427 de 19 de outubro de 1961. Código de Urbanismo e obras; codificação das normas de urbanismo e obras. Recife, 1961. Disponível em: https://leismunicipais.com.br/a/pe/r/recife/lei-ordinaria/1961/742/7427/lei-ordinaria-n-7427-1961-codigo-de-urbanismo-e-obras-codificacao-das-normas-de-urbanismo-e-obras . Acesso em 25 de fevereiro de 2021.
PREFEITURA DA CIDADE DO RECIFE. LEI Nº 14.117 Modifica dispositivos da Lei nº 7427, de 19 de outubro de 1961, e dá outras providências. Recife, 1980. Disponível em: http://www.legiscidade.recife.pe.gov.br/lei/14117/ . Acesso em 25 de fevereiro de 2021.
PREFEITURA DA CIDADE DO RECIFE. Lei nº 14.511 de 17 de janeiro de 1983. Define diretrizes para o uso e ocupação do solo, e dá outras providências. Recife, 1983. Disponível em: https://leismunicipais.com.br/a/pe/r/recife/lei-ordinaria/1983/1451/14511/lei-ordinaria-n-14511-1983-define-diretrizes-para-o-uso-e-ocupacao-do-solo-e-da-outras-providencias . Acesso em 25 de fevereiro de 2021.
PREFEITURA DA CIDADE DO RECIFE, Lei nº 14 176 de 09 de abril de 1996. Estabelece a Lei de Uso e Ocupação do Solo da Cidade do Recife. Disponível em: http://www.legiscidade.recife.pe.gov.br/lei/16176/?keyword=Lei%20I4%20176%20de%2009%20de%20abril%20de%201996. Acesso em 25 de fevereiro de 2021.
SERLIO, S. Sebastiano Serlio on architecture. Yale: Yale University Press, 1996 [1537-].
SILVA, G.G. Marcos da arquitetura moderna em Pernambuco. In H. Segawa (Ed) Arquiteturas no Brasil/Anos 80. São Paulo: Projeto Editores Associados, p. 19-28, 1988
SILVA, G.G. Delfim Amorim, um modernista português no Recife. Revista AU: Arquitetura e Urbanismo: 57, PP. 71-79, 1995.
STINY, G.; GIPS, J. Shape grammars and the generative specification of painting and sculpture. In: C V Freiman (ed.) Information Processing 71, Amsterdam, p. 1460-1465, 1972
STINY G. Two exercises in formal composition. Environment and Planning B: Planning and Design; 3: 187-210, 1976.
STINY G, MITCHELL W. The Palladian grammar. Environment and Planning B: Planning and Design; 5: 5-18, 1978.
STINY G. Kindergarten grammars: designing with Froebel’s building gifts. Environment and Planning B: Planning and Design; 7: 409–462, 1980.
VAZ, C. Um método de ensino de projeto baseado no conhecimento – sistemas generativos e ontologias aplicados no ensino de arquitetura paisagística. Tese (Doutorado em Engenharia Civil) – Universidade Estadual de Campinas. Campinas, p. 240, 2011.
VITRUVIO. Da arquitetura. São Paulo: Hucitec, Fundação para a pesquisa Ambiental, 1999.
WAISMAN, M. O interior da história: historiografia arquitetônica para uso de latino-americanos. São Paulo: Editora Perspectiva, 2013 [2011].
Publicado
28-09-2021
Como Citar
AMORIM, L. M. DO E.; GRIZ, C.; BEZERRA, Y. UMA GRAMÁTICA MODERNA. Revista Projetar - Projeto e Percepção do Ambiente, v. 6, n. 3, p. 66-82, 28 set. 2021.
Seção
TEORIA E CONCEITO